Regime de Nicolás Maduro tortura militares dissidentes

Miguel Gutierrez / EPA

“Ajude-me”. Foram estas as palavras do capitão da marinha aposentado Rafael Acosta para o advogado, no dia em que apareceu no tribunal militar de cadeira de rodas e com sinais de tortura. Tinha sido detido há uma semana pelas secretas venezuelanas e acabou por morrer no dia em que compareceu em tribunal.

A história é contada pelo New York Times, num texto que denuncia que Nicolás Maduro está a torturar membros dissidentes das suas próprias forças armadas para manter o poder, segundo noticiou o Observador esta quarta-feira.

De acordo com a Coligação pelos Direitos Humanos e pela Democracia – uma organização não governamental com sede em Caracas -, citada pelo jornal norte-americano, há 217 oficiais ativos e aposentados detidos em prisões venezuelanas, incluindo 12 generais.

Voltando ao caso de Rafael Acosta, a sua autópsia – que o regime de Nicolás Maduro não conseguiu manter oculta – confirmou que sofreu vários traumatismos e foi eletrocutado. Acabou por ser enterrado três semanas depois de ter aparecido em tribunal (a 10 de julho) e os cinco membros da sua família que foram autorizados a assistir ao enterro não puderam ver o corpo, coberto com um plástico castanho.

O próprio governo admitiu ter exagerado no uso da força neste caso. Na sequência do caso foram mesmo detidos dois militares de baixa patente, mas a oposição e a família de Rafael Acosta acreditam que as ordens foram de Nicolás Maduro.

Os militares continuam ao lado do líder venezuelano Nicólas Maduro, mas nos últimos dois anos já houve, contou também o New York Times, cinco tentativas para derrubar ou assassinar o presidente por parte de forças de segurança (incluindo as forças armadas).

O ex-chefe das secretas da Venezuela, que desertou em abril, Manuel Figueira afirmou que “os abusos contra oficiais militares cresceu porque eles representam uma ameaça real para o governo de Maduro”.

Em julho, a alta comissária para os Direitos Humanos das Nações Unidas, Michelle Bachelet, divulgou um relatório que acusava o governo venezuelano de sujeitar os presos políticos a “choques elétricos, sufoco com sacos de plástico, simulação de afogamento, espancamentos, violência sexual, privação de água e comida, e exposição a temperaturas extremas”.

Hugo Chávez, o pai político de Nicolás Maduro, afirmou em 2006 que o governo venezuelano tinha de ser “humanista” e recusar a tortura. Mas durante estes últimos anos de governação de Nicolás Maduro têm-se sucedido os abusos contra militares dissidentes.

TP, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. É óbvio que quem tortura deve ser responsabilizado, mas, raios há sempre um mas, para que maduro seja responsabilizado por estas alegadas torturas, também outros o devem ser, os torturadores de Abu graihb por exemplo, e as ordens para essas torturas também devem ter vindo de cima, ou seja, do presidente dos EUA, e recorde-se que essas torturas eram: Walter boarding, choques eléctricos nos genitais, simular cópula entre dois homens, etc. Estes torturadores foram julgados??? Parece-me que não, então porque maduro o tem que ser??? Ou será que a tortura efectuada pelos EUA é legal e correcta, e a tortura feita por outros e ilegal???? Recordemos ainda que os EUA mantém aberto um campo de concentração em Guantánamo, que penso não será um hotel de 5 estrelas e de boa vida, e estão lá seres humanos presos sem que tenham sido acusados do que quer que seja, não será está situação um crime e um acto de terrorismo??? Claro que é e só não vê quem não quer.

  2. Claro que os americanos também fizeram, e ainda fazem muito provavelmente coisas parecidas, mas (lá vem o mas) duas coisas erradas não fazem uma certa. As barbaridades cometidas pelo regime do Maduro continuam a ser barbaridades.

RESPONDER

Cientista americana diz estar certa de que a Terra será atingida por asteroide

https://vimeo.com/355132338 Uma cientista americana de uma ONG dedicada a proteger a Terra diz que é 100% certo que um asteroide atingirá o nosso planeta. A cientista é Danica Remy, presidente da Fundação B612. Após um asteroide não …

NASA vai mesmo explorar Europa, a lua de Júpiter que pode ter vida extraterrestre

A NASA deu luz verde a uma missão para explorar uma lua de Júpiter que é considerada um dos melhores candidatos para a vida extraterrestre. A Europa - que é um pouco mais pequena do que …

País de Gales cancela plano controverso de criar "casas de banho robô"

O objetivo da construção era impedir atividade sexual, vandalismo e dormidas nas casas de banho públicas. O projeto ia recorrer às tecnologias de piso sensível ao peso, jatos de água, sensores anti-movimento e alarmes. O conselho …

Sem saber, uma mulher viveu durante 17 anos com a sua "gémea" dentro dela

Uma jovem na Índia, sem saber, viveu com uma das condições médicas mais raras e perturbadoras durante quase duas décadas. De acordo com um relatório de caso desta semana, a mulher tinha um saco que continha …

Novo filme da saga 007 já tem nome e data de estreia marcada

O novo filme da saga 007, realizado por Cary Fukunaga chama-se "No time to die" e estreia-se no Reino Unido e nos Estados Unidos em abril de 2020. "Daniel Craig regressa como James Bond, 007 em... …

Comporta pode tornar-se na nova Ibiza (e tudo começou com a queda do BES)

Após anos de um quase esquecimento, em termos de desenvolvimento imobiliário, a Comporta está a atrair investidores internacionais que encaram a pequena vila de Setúbal como uma "nova Ibiza". Um cenário que está a preocupar …

Família de Aretha Franklin cria fundo para a investigação de cancro raro

Um ano após a morte da cantora, a família de Aretha Franklin criou um fundo de apoio à investigação na área dos tumores neuroendócrinos, a doença rara que se revelou fatal para a celebridade, a …

Sporting vai monitorizar tudo o que se diz e escreve sobre jogadores

A empresa Noisefeed tem uma enorme base de dados relativa à atividade nas redes sociais de milhares de jogadores a nível global. Os jogadores de futebol de todo o mundo usam, cada vez mais, as redes …

Boris janta hoje com Merkel para mudar acordo. Maioria quer novo referendo

A pouco mais de dois meses da data marcada para a saída do Reino Unido da União Europeia, uma nova sondagem mostra que a maioria dos britânico quer que qualquer novo acordo vá a referendo. Um …

Oficial: Pardal Henriques candidato a deputado pelo partido de Marinho Pinto

O advogado Pedro Pardal Henriques anunciou esta quarta-feira que aceitou o convite para encabeçar a lista do PDR a Lisboa, deixando de ser porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas para "não misturar …