Regime de Nicolás Maduro tortura militares dissidentes

Miguel Gutierrez / EPA

“Ajude-me”. Foram estas as palavras do capitão da marinha aposentado Rafael Acosta para o advogado, no dia em que apareceu no tribunal militar de cadeira de rodas e com sinais de tortura. Tinha sido detido há uma semana pelas secretas venezuelanas e acabou por morrer no dia em que compareceu em tribunal.

A história é contada pelo New York Times, num texto que denuncia que Nicolás Maduro está a torturar membros dissidentes das suas próprias forças armadas para manter o poder, segundo noticiou o Observador esta quarta-feira.

De acordo com a Coligação pelos Direitos Humanos e pela Democracia – uma organização não governamental com sede em Caracas -, citada pelo jornal norte-americano, há 217 oficiais ativos e aposentados detidos em prisões venezuelanas, incluindo 12 generais.

Voltando ao caso de Rafael Acosta, a sua autópsia – que o regime de Nicolás Maduro não conseguiu manter oculta – confirmou que sofreu vários traumatismos e foi eletrocutado. Acabou por ser enterrado três semanas depois de ter aparecido em tribunal (a 10 de julho) e os cinco membros da sua família que foram autorizados a assistir ao enterro não puderam ver o corpo, coberto com um plástico castanho.

O próprio governo admitiu ter exagerado no uso da força neste caso. Na sequência do caso foram mesmo detidos dois militares de baixa patente, mas a oposição e a família de Rafael Acosta acreditam que as ordens foram de Nicolás Maduro.

Os militares continuam ao lado do líder venezuelano Nicólas Maduro, mas nos últimos dois anos já houve, contou também o New York Times, cinco tentativas para derrubar ou assassinar o presidente por parte de forças de segurança (incluindo as forças armadas).

O ex-chefe das secretas da Venezuela, que desertou em abril, Manuel Figueira afirmou que “os abusos contra oficiais militares cresceu porque eles representam uma ameaça real para o governo de Maduro”.

Em julho, a alta comissária para os Direitos Humanos das Nações Unidas, Michelle Bachelet, divulgou um relatório que acusava o governo venezuelano de sujeitar os presos políticos a “choques elétricos, sufoco com sacos de plástico, simulação de afogamento, espancamentos, violência sexual, privação de água e comida, e exposição a temperaturas extremas”.

Hugo Chávez, o pai político de Nicolás Maduro, afirmou em 2006 que o governo venezuelano tinha de ser “humanista” e recusar a tortura. Mas durante estes últimos anos de governação de Nicolás Maduro têm-se sucedido os abusos contra militares dissidentes.

TP, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. É óbvio que quem tortura deve ser responsabilizado, mas, raios há sempre um mas, para que maduro seja responsabilizado por estas alegadas torturas, também outros o devem ser, os torturadores de Abu graihb por exemplo, e as ordens para essas torturas também devem ter vindo de cima, ou seja, do presidente dos EUA, e recorde-se que essas torturas eram: Walter boarding, choques eléctricos nos genitais, simular cópula entre dois homens, etc. Estes torturadores foram julgados??? Parece-me que não, então porque maduro o tem que ser??? Ou será que a tortura efectuada pelos EUA é legal e correcta, e a tortura feita por outros e ilegal???? Recordemos ainda que os EUA mantém aberto um campo de concentração em Guantánamo, que penso não será um hotel de 5 estrelas e de boa vida, e estão lá seres humanos presos sem que tenham sido acusados do que quer que seja, não será está situação um crime e um acto de terrorismo??? Claro que é e só não vê quem não quer.

  2. Claro que os americanos também fizeram, e ainda fazem muito provavelmente coisas parecidas, mas (lá vem o mas) duas coisas erradas não fazem uma certa. As barbaridades cometidas pelo regime do Maduro continuam a ser barbaridades.

RESPONDER

Maria e Francisco foram os nomes mais populares em 2019

Maria foi, mais uma vez, o nome feminino mais popular em 2019. João foi atirado para segundo lugar, sendo destronado por Francisco. Dados do Ministério da Justiça, divulgados pela TVI24, revela que, este ano, foram registadas …

Tensão nas eleições da JSD-Porto levam à intervenção da PSP

Rodrigo Passos foi eleito, no sábado, como novo líder da JSD-Porto, substituindo Rosina Ribeiro Pereira, que deixou algumas palavras duras para comentar o que se passou no ato eleitoral. Segundo o Público, Rosina Ribeiro Pereira, eleita …

Livre não aplica sanção a Joacine, mas condena declarações da deputada

O Livre decidiu não aplicar qualquer sanção disciplinar a Joacine Katar Moreira no seguimento do conflito entre Direção e deputada que surgiu após a polémica abstenção num voto no parlamento sobre uma investida israelita na …

Rio alerta para "claro divórcio entre a sociedade portuguesa e os partidos políticos"

O presidente do PSD, Rui Rio, disse ontem, em Paredes, no distrito do Porto, haver "um divórcio entre a sociedade e os partidos", defendendo que só uma maior "abertura" das estruturas às "pessoas" pode inverter …

Megaoperação de combate à pedofilia detém mais de 30 pessoas

Mais de 30 pessoas foram detidas em onze países no âmbito de uma megaoperação de combate à pornografia infantil realizada pela Europol e pela polícia nacional de Espanha, país onde foram presos mais de metade …

Grandes hotéis acusados de ignorar tráfico sexual. Queixa em grupo relata casos de 13 mulheres

Uma ação judicial deu entrada segunda-feira em Columbus, Ohio, nos Estados Unidos (EUA), com vários grandes grupos hoteleiros a serem acusados de lucrar com o tráfico sexual, ignorando os crimes e os danos nas vítimas. Segundo …

Líder da Birmânia, Suu Kyi, vai a Haia defender o país de acusação de genocídio

A líder birmanesa Aung San Suu Kyi decidiu comparecer perante o Tribunal Internacional de Justiça (TIJ) para defender o seu país da acusação de genocídio contra a minoria muçulmana rohingya, durante uma audiência de três …

Impeachment. Democratas preparam-se para avançar com duas acusações formais contra Trump

Os democratas estarão a planear apresentar esta terça-feira dois artigos de impeachment que acusam Donald Trump de abuso de poder e obstrução do Congresso. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, o Comité …

Esquema de venda de droga na darkweb. Fortuna em bitcoins fica nas mãos do Estado

Pedro e Rita vendiam droga para todo o mundo na darkweb. Agora, a fortuna em bitcoins acabou por ficar nas mãos do Estado. Pedro, um engenheiro informático, e Rita, uma web designer, montaram um esquema para …

CDS e PAN querem regime protetor do denunciante no combate à corrupção

CDS e PAN vão apresentar propostas no combate à corrupção que tem sido discutido desde segunda-feira. Os partidos querem um regime protetor do denunciante. Numa iniciativa de combate à corrupção, o CDS e o PAN vão …