Veneno de tarântula pode ser benéfico no tratamento de dores viscerais

Uma equipa de investigadores australianos identificou dois peptídeos do veneno da tarântula, que podem ajudar a aliviar dores em órgãos do sistema digestivo.

Há algum tempo que os cientistas investigam a funcionalidade do veneno em doenças, tendo mesmo sido identificada uma proteína analgésica no veneno da aranha-pássaro chinês que pode ser muito útil no tratamento de várias doenças. O veneno pode ajudar em tratamentos de doenças como o cancro da pele, derrame cerebral e artrite.

Segundo o New Atlas, agora, a equipa identificou novas moléculas numa espécie de aranha diferente, que podem ter como alvo a dor visceral – que afeta os órgãos internos, e muitas vezes é desencadeada por distúrbios gastro-intestinais e da bexiga. O estudo foi publicado na revista Pain a 17 de agosto.

Stuart Brierley, autor do estudo, diz que “os órgãos internos têm uma rede complexa de nervos sensoriais com uma ampla gama de canais iónicos e recetores dependentes de voltagem para detetar estímulos”, acrescentando que  “a hipersensibilidade desses nervos na doença muitas vezes contribui para o desenvolvimento da dor”.

Assim, a equipa começou a investigar quais os peptídeos que poderiam ajudar a tratar a dor visceral, bloqueando os canais relacionados. Idealmente, o veneno usado para efetuar o bloqueio da dor não deveria afetar outros canais, como é o caso do coração.

Depois de examinar 28 espécies de aranhas, a equipa encontrou um candidata particularmente promissora: a tarântula Pinkfoot Goliath. Encontrada na Venezuela e no Brasil, esta é uma das maiores aranhas do mundo, uma vez que mede de cerca de 30 cm.

Os investigadores encontraram dois peptídeos – o Tap1a e Tap2a –  que foram muito eficazes na inibição dos canais iónicos associados à dor. Em testes com ratos, a equipa descobriu que Tap1a era particularmente potente, reduzindo quase toda a dor visceral crónica.

O tratamento aplicado a humanos pode ainda estar longe. Ainda assim, é um bom ponto de partida para os cientistas, que podem começar a aprender mais sobre biologia e o uso do veneno no tratamento de doenças.

Para já, os investigadores têm “um entendimento forte da estrutura, e da função desses peptídeos do veneno de aranha”, garante Richard Lewis, autor principal do estudo.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Depois do "selo Brexit", os correios da Áustria emitem o "selo corona" impresso em papel higiénico

O serviço postal da Áustria uniu dois pontos da pandemia do novo coronavírus ao criar um selo impresso em papel higiénico que, segundo os correios, as pessoas também podem, a qualquer momento, usar para ajudar …

A Moog celebra os 100 anos do Theremin com um novo instrumento: o Claravox Centennial

Este ano marca o 100º aniversário do Theremin - um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrónicos, controlado sem qualquer contacto físico pelo músico. Para celebrar vai ser lançado o Claravox Centennial. Foi em 1920 que Leon Theremin, …

Depósito inexplorado na Sibéria tem uma das maiores reservas de ouro do mundo

O maior produtor de ouro da Rússia, PJSC Polyus, anunciou esta semana que o seu depósito inexplorado em Sukhoi Log, na região siberiana de Irkutsk, possui uma das maiores reservas mundiais deste metal preciosos. De …

Os novos iPhones não trazem carregador. Apple poupa muito nos custos, mas não no ambiente

A Apple decidiu vender os seus novos iPhones sem carregador ou auscultadores, alegando que a alteração tem em conta o ambiente, uma vez que serão utilizados menos produtos na embalagem dos telemóveis, mas os especialistas …

Caça ao tesouro secular. Lendária ilha pode esconder Santo Graal, manuscritos de Shakespeare e jóias reais

Perto da Nova Escócia, no Canadá, há uma lendária ilha com misteriosos túneis e estranho artefactos. Há quem acredite que esconde o Santo Graal, os manuscritos de Shakespeare e um tesouro de um capitão. Porém, …

Aprender "baleiês" pode evitar choque de navios com o animal

Uma equipa de cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, tem uma nova ideia para salvar as baleias-azuis em migração das colisões com navios. Durante a época de migração das baleias-azuis, os animais enfrentam sérios …

Afinal, os carros elétricos não são a melhor resposta para combater as alterações climáticas

Os carros elétricos, surgem como alternativas mais sustentáveis aos veículos a gasolina ou gasóleo, podem não ser a melhor forma de combater as alterações climáticas no âmbito dos transportes, de acordo com um novo estudo. …

Seria Jesus um mágico? Há arte romana que parece sugerir que sim

Em alguma arte antiga, Jesus é retratado a fazer milagres com algo na mão que parece ser uma varinha. Investigadores sugerem que se trata de um cajado, que era usado como símbolo de poder. Segundo a …

Nem todos os clubes estão a afundar – alguns estão a prosperar durante a pandemia

Nem todos os clubes estão a sofrer às mãos desta pandemia de covid-19. Alguns deles têm conseguido bons resultados financeiros apesar da crise. A covid-19 provou ser um adversário devastador para o desporto profissional em todo …

Kibus: o aparelho que vai revolucionar a forma como os nossos cães se alimentam

Ter cães como melhores amigos pode ser muito benéfico, mas também traz a sua dose de trabalho e responsabilidades. Levar ao veterinário, dar banho, levar a passear, brincar, dar de comer... No fundo é como …