Utilização frequente de smartphones pode danificar nervos do braço

-

Os utilizadores frequentes de smartphones ficam sujeitos a “uma grande tensão nos nervos da mão e do braço” e, nas piores situações, podem desenvolver o Síndrome do Túnel do Carpo que afecta o nervo que passa na região do pulso.

Segundo o Alpha Galileo, estes dados foram apurados por um novo estudo científico que foi apresentado no recente Congresso da Academia Europeia de Neurologia, em Amesterdão, na Holanda.

“Além de ser uma pressão sobre os olhos e sobre os poderes de concentração”, o uso dos smartphones ainda acarreta “grandes exigências nas funções motoras do braço e da mão”, salientam os investigadores turcos que se dedicaram a esta pesquisa.

Os utilizadores destes aparelhos pressionam nos respectivos ecrãs 2617 vezes por dia, em média. Mas “os utilizadores pesados carregam até 5427 vezes por dia“, refere o estudo.

Os investigadores analisaram se estas movimentações repetitivas podem ter efeitos negativos nos nervos do braço e da mão e concluíram que podem de facto causar danos.

“O nervo mediano é o principal nervo responsável pelos movimentos dos músculos que executamos enquanto usamos smartphones. Sabemos que frequentes repetições de certos movimentos podem resultar no Síndrome do Túnel do Carpo e queríamos descobrir se o uso do smartphone poderia ter o mesmo tipo de efeito”, explica o investigador Faik Ilik, da Universidade Baskent, na Turquia, citado pelo Alpha Galileo.

O estudo centrou-se sobre 62 participantes que foram divididos em três grupos – 22 usaram telemóveis clássicos, sem características similares a computadores; 19 usaram moderadamente smartphones; e 22 usaram smartphones com muita frequência.

Depois, os participantes tiveram que manifestar se sentiam alguma dor ou outro tipo de problema, numa escala visual e de acordo com um questionário pré-estabelecido, no braço, ombro ou mão. Simultaneamente, foram feitas medições electro-fisiológicas aos respectivos nervos medianos.

“Descobriu-se que o uso de um telemóvel clássico raramente tem efeitos negativos nas funções sensoriais do nervo mediano ou na condução motora. Mas o uso frequente de um smartphone, por seu lado, pode ter um efeito desfavorável no nervo mediano“, realça Faik Ilik.

Os participantes do estudo classificaram as suas queixas numa média de 16.63. “Os utilizadores moderados de smartphone ficaram um pouco mais abaixo, enquanto os utilizadores recorrentes tiveram um resultado de 19.80“, explica-se no comunicado sobre a pesquisa.

“Entre os utilizadores frequentes, a condução do nervo na mão dominante [que mexe no telemóvel] foi cerca de 12% menor do que para a mão sujeita a menos tensão”, constatam ainda os investigadores.

Outro estudo anterior já tinha apontado o crescimento do número de pessoas que sofrem do chamado “polegar de telemóvel”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientista americana diz estar certa de que a Terra será atingida por asteroide

https://vimeo.com/355132338 Uma cientista americana de uma ONG dedicada a proteger a Terra diz que é 100% certo que um asteroide atingirá o nosso planeta. A cientista é Danica Remy, presidente da Fundação B612. Após um asteroide não …

NASA vai mesmo explorar Europa, a lua de Júpiter que pode ter vida extraterrestre

A NASA deu luz verde a uma missão para explorar uma lua de Júpiter que é considerada um dos melhores candidatos para a vida extraterrestre. A Europa - que é um pouco mais pequena do que …

País de Gales cancela plano controverso de criar "casas de banho robô"

O objetivo da construção era impedir atividade sexual, vandalismo e dormidas nas casas de banho públicas. O projeto ia recorrer às tecnologias de piso sensível ao peso, jatos de água, sensores anti-movimento e alarmes. O conselho …

Sem saber, uma mulher viveu durante 17 anos com a sua "gémea" dentro dela

Uma jovem na Índia, sem saber, viveu com uma das condições médicas mais raras e perturbadoras durante quase duas décadas. De acordo com um relatório de caso desta semana, a mulher tinha um saco que continha …

Novo filme da saga 007 já tem nome e data de estreia marcada

O novo filme da saga 007, realizado por Cary Fukunaga chama-se "No time to die" e estreia-se no Reino Unido e nos Estados Unidos em abril de 2020. "Daniel Craig regressa como James Bond, 007 em... …

Comporta pode tornar-se na nova Ibiza (e tudo começou com a queda do BES)

Após anos de um quase esquecimento, em termos de desenvolvimento imobiliário, a Comporta está a atrair investidores internacionais que encaram a pequena vila de Setúbal como uma "nova Ibiza". Um cenário que está a preocupar …

Família de Aretha Franklin cria fundo para a investigação de cancro raro

Um ano após a morte da cantora, a família de Aretha Franklin criou um fundo de apoio à investigação na área dos tumores neuroendócrinos, a doença rara que se revelou fatal para a celebridade, a …

Sporting vai monitorizar tudo o que se diz e escreve sobre jogadores

A empresa Noisefeed tem uma enorme base de dados relativa à atividade nas redes sociais de milhares de jogadores a nível global. Os jogadores de futebol de todo o mundo usam, cada vez mais, as redes …

Boris janta hoje com Merkel para mudar acordo. Maioria quer novo referendo

A pouco mais de dois meses da data marcada para a saída do Reino Unido da União Europeia, uma nova sondagem mostra que a maioria dos britânico quer que qualquer novo acordo vá a referendo. Um …

Oficial: Pardal Henriques candidato a deputado pelo partido de Marinho Pinto

O advogado Pedro Pardal Henriques anunciou esta quarta-feira que aceitou o convite para encabeçar a lista do PDR a Lisboa, deixando de ser porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas para "não misturar …