Uso de analgésicos comuns pode aumentar o risco de ataques cardíacos

Um novo estudo sugere uma ligação entre o consumo de altas doses de analgésicos anti-inflamatórios – como o ibuprofeno – e ataques cardíacos.

A pesquisa, publicada no British Medical Journal, baseia-se num estudo anterior, que já tinha identificado uma possível ligação entre o consumo deste tipo de medicamentos em doses elevadas e o risco de doenças cardíacas.

O estudo agora publicado sugere que o risco pode ser maior nos primeiros 30 dias de uso. Para realizar a pesquisa, uma equipa internacional de cientistas analisou dados de 446.763 pessoas para tentar entender a ocorrência de problemas cardíacos.

Os cientistas, contudo, focaram-se apenas nas pessoas que consumiram anti-inflamatórios não esteróides como o ibuprofeno, aspirina, diclofenaco, celecoxibe e naproxeno, adquiridos com receita médica – e não em quem comprou analgésicos sem receita.

Ao debruçar-se nos dados sobre o Canadá, Finlândia e Reino Unido, os investigadores identificaram risco de ataque cardíaco logo na primeira semana de consumo. O risco aumenta ao longo do primeiro mês quando as pessoas tomam doses altas – por exemplo, 1200 mg de ibuprofeno por dia.

Os autores do estudo admitem porém que há outros factores em jogo, que tornam difícil estabelecer com precisão de que forma se dá a relação directa de causa e efeito entre analgésicos e ataques cardíacos.

Pode-se então culpar os analgésicos?

Kevin McConway, professor de estatística da Open University, no Reino Unido, questionou alguns aspectos do estudo, citando o exemplo de alguém que sofra de dores intensas e que seja medicado com altas doses de analgésico. Nesse caso, diz McConway, o paciente teria provavelmente um ataque na semana seguinte ao início do uso do medicamento.

“Vai ser difícil dizer se um ataque cardíaco foi causado pelo analgésico ou pelo o que quer que tenha levado à prescrição do medicamento. Pode até ser uma outra coisa completamente diferente”, afirma McConway.

O professor McConway salienta que factores como o fumo e a obesidade também podem estar por trás do risco de ataques do coração nas pessoas focadas no estudo.

O que os pacientes devem fazer?

Os médicos estão cientes de que estudos anteriores já indicavam que anti-inflamatórios não esteróides podem aumentar o risco de problemas do coração e de derrames.

Actualmente, no Reino Unido, por exemplo, há a recomendação de que se use com cautela este tipo de medicamentos em pacientes com problemas cardíacos. Em alguns casos, como em pacientes com falência cardíaca, estes medicamentos não podem ser receitados em nenhuma circunstância.

Mike Knapton, da British Heart Foundation, sugere que pacientes e médicos avaliem os riscos e benefícios relacionados com o uso de elevadas doses destes analgésicos convencionais, em especial nos casos de quem já teve um ataque cardíaco ou que têm risco potencial.

A médica e professora Helen Stokes-Lampard, por sua vez, afirma que qualquer decisão de prescrever esse tipo de medicamento tem que se basear no prontuário do paciente e em circunstâncias individuais, que precisam de ser revistas periodicamente.

Stokes-Lampard diz que o seu uso em pessoas com dores crónicas já está a ser reduzido e que alguns dos medicamentos testados na pesquisa, como o celecoxibe, já nem sequer são prescritos no Reino Unido. “Sabe-se que o uso prolongado destas drogas pode provocar efeitos colaterais sérios em alguns pacientes”, afirma Stokes-Lampard.

A pesquisa analisou apenas os casos de quem usa analgésicos com receita médica. Não avaliou, portanto, a situação de pacientes que compram esse tipo de medicamento sem prescrição, nas farmácias.

Mas segundo a professora Helen Stokes-Lampard, o estudo deveria também chamar a atenção para os pacientes que se auto-medicam com anti-inflamatórios não esteróides para se livrar de dores.

O sistema de saúde público do Reino Unido, por exemplo, orienta as pessoas a tomar sempre as menores doses possíveis por um curto período de tempo. E se as pessoas acham que precisam de doses mais altas, têm sempre de consultar um médico.

Quão elevado é o risco de ter um ataque cardíaco?

Investigadores independentes dizem que uma das principais armadilhas do estudo é que ele não especifica claramente qual é o risco absoluto – ou o risco básico de pessoas terem ataques cardíacos ao usarem os anti-inflamatórios não esteróides.

Sem compreender o tamanho do risco, afirmam estes investigadores, é difícil avaliar o impacto de um possível aumento nas probabilidades de se ter um ataque cardíaco.

Entretanto, o professor Stephen Evans, da escola britânica de Higiene e Medicina Tropical, em Londres, diz que, apesar de o estudo ter indicado que mesmo o uso durante alguns dias pode estar associado a um risco de ataque cardíaco, essa relação pode não ser tão clara como os autores sugerem.

“As duas questões principais são que os riscos são relativamente pequenos e, para a maioria das pessoas que não tem alto risco de um ataque cardíaco, essas descobertas têm implicações mínimas“, concluiu.

ZAP // BBC

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Pois, a publicidade a medicamentos devia ser proibida. É ver o trifene 400 a passar milhares de vezes na tv… E sabem quanta gente desinformada existe?
    É o negócio da droga legal e mesmo à mão de semear de qualquer um…

  2. “Pode-se então culpar os analgésicos?” – ““Vai ser difícil dizer se um ataque cardíaco foi causado pelo analgésico ou pelo o que quer que tenha levado à prescrição do medicamento. Pode até ser uma outra coisa completamente diferente”, afirma McConway.” – Claro que é difícil, assim como acontece com as vacinas. A não ser que a reação se dê minutos depois da administração da substância. Só nesses casos é que relacionam o mal com a causa.
    E é assim que se torna muito difícil processar as farmacêuticas por danos irreparáveis…

RESPONDER

Comer muitas refeições takeaway pode aumentar a probabilidade de morte

Comer demasiadas vezes refeições takeaway pode afetar negativamente a saúde das pessoas. Isto porque, muitas vezes, a comida em causa é fast food. A pandemia de covid-19 veio intensificar a adoração das pessoas pelas refeições takeaway. …

Fezes de morcego ajudam a decifrar o passado da humanidade

Uma equipa de investigadores australianos usou fezes de morcego para ajudar a entender uma parte do passado dos nossos ancestrais. Para perceber melhor como é que artefactos antigos são alterados pelo sedimento em que estão enterrados …

"É como fogo". Dezenas de pessoas morreram na República Dominicana após ingestão de álcool ilegal

Depois de dezenas de pessoas morreram por intoxicação nas últimas semanas, as autoridades da República Dominicana acabaram por fechar várias lojas de bebidas alcoólicas. As lojas de bebidas clandestinas situavam-se sobretudo na capital, Santo Domingo, mas …

Eis AlphaDog, a resposta da China para o cão-robô norte-americano Spot

A empresa de tecnologia Weilan, sediada em Nanjing, na China, desenvolveu o AlphaDog, um cão-robô que usa sensores e inteligência artificial (IA) para realizar uma série de aplicações, incluindo entrega de encomendas e orientação para …

E se a vacina contra a covid-19 se chamasse Trumpcine? O "sir" sugeriu e Donald Trump gostou

No fim de semana passado, durante um encontro do Comité Nacional Republicano, o ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que alguém sugeriu que as vacinas disponíveis contra a covid-19 deveriam receber o seu nome. …

O custo da paz mundial é bastante inferior ao custo da guerra

Um recente relatório do Instituto de Economia e Paz (IEP) conclui que o custo dos países com a violência é bem superior ao custo com a paz mundial. O Instituto de Economia e Paz estima que, …

Malta vai pagar aos turistas que visitarem a ilha durante o verão

Numa altura em que pandemia não tem dado tréguas ao setor do turismo, Malta anunciou um conjunto de medidas com o objetivo de encorajar os viajantes a visitarem o país e a ficarem hospedados nos …

Pentágono confirma que filmagens de OVNI em forma de pirâmide são autênticas

Uma nova série de imagens e vídeos de OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados) filmados pela Marinha dos Estados Unidos foi agora confirmada como autêntica pelo Pentágono. Enquanto muitas pessoas geralmente se referem a avistamentos misteriosos …

Irão vai aumentar produção de urânio enriquecido em resposta ao “terrorismo nuclear” de Israel

O Irão justificou esta quarta-feira a decisão de enriquecer urânio a 60% como resposta ao “terrorismo nuclear” e à “maldade” israelita, referindo-se ao alegado ataque contra a central de Natanz, no domingo. “A decisão de enriquecer …

Possibilidade de ser reinfetado baixa 84% para quem já teve covid-19

Um novo estudo indica que a infeção prévia por SARS-CoV-2 protege a maioria dos indivíduos contra a reinfecção durante uma média de sete meses As probabilidades de reinfeção não descem até zero, mas um novo estudo, …