Uma droga pode tratar o nanismo (mas há quem defenda o “orgulho anão”)

HBO

Tyrion Lannister — provavelmente, o acondroplásico mais bem sucedido do “mundo”

Um estudo vem agora revelar que uma droga pode tratar o nanismo. Porém, a possibilidade de haver um tratamento para esta condição clínica não é consensual.

Um novo estudo, financiado pela BioMarin Pharmaceutical e publicado no Lancet no início deste mês, afirma ter encontrado uma forma de tratar o nanismo. Contudo, a droga não cura a doença.

O nanismo é uma condição que se caracteriza por uma deficiência no crescimento. As pessoas afetadas são mais baixas em relação à média da população com a mesma idade e do mesmo sexo. Consideram-se “de baixa estatura” homens que medem menos de 1,45 m, e mulheres com uma altura inferior a 1,40 m.

De acordo com o jornal The New York Times, se tomada ao longo de vários anos, a droga pode facilitar a vida das pessoas que convivem com a doença, conhecida como acondroplasia –  o tipo mais comum de nanismo, em que os braços e as pernas são mais curtos em proporção ao comprimento do corpo.

Segundo o estudo, a droga permite aos doentes aliviar alguns dos problemas que mais afetam a sua qualidade de vida, como é o caso de dores nas costas ou dificuldade em respirar.

Contudo, a possibilidade de usar o medicamento está a gerar discórdia numa comunidade que vê o “orgulho anão” como um princípio conquistado — e onde ser uma pessoa pequena é uma característica única a ser celebrada, não um problema que precisa de um tratamento ou cura.

A droga “milagrosa” é a vosoritide, uma versão sintética de uma proteína que os humanos produzem naturalmente para estimular o crescimento ósseo.

Durante os testes, a droga conseguiu acrescentar uma média de 1,5 cm à altura de uma pessoa ao longo de um ano, com efeitos colaterais mínimos. Os cientistas que estudaram o medicamento acreditam que este poderá ser útil, aumentando significativamente a altura das pessoas, e sobretudo como forma de aliviar as complicações médicas da acondroplasia.

Porém, para algumas pessoas com acondroplasia, o facto de esta droga lhes permitir um aumento de altura não é necessariamente positivo, por se considerarem capazes de sobreviver de forma independente, e porque, apesar de algumas condicionantes, o facto de a sua estrutura ser abaixo da média não significa que sejam inferiores.

Megan Schimmel atribui a sua força de viver, a compaixão e a empatia que transmite, ao facto de viver com acondroplasia, admitindo que gosta de ser assim e que não gostaria de mudar.

A condição é hereditária, e a filha de Schimmel também teve de aprender a viver com ela, mas ainda assim não pretende que a menina possa vir a tomar qualquer tipo de droga que potencie o seu crescimento. “Posso fazer tudo o que as pessoas mais altas fazem”, referiu.

O caso de Melissa Mills é diferente. A norte-americana, que vive na Florida, não tem acondroplasia, mas diz que, caso o droga seja aprovada pela FDA, iria usá-la no filho de 4 anos, que sofre com acondroplasia. “O mundo não foi feito para o meu filho. Se houver algo que eu possa fazer para ajudá-lo a viver um pouco melhor, vou fazê-lo”, disse Mills.

Ainda assim, e mesmo que o uso da droga seja aprovado, o tema mantém-se sob controvérsia, depois de a BioMarin Pharmaceutical, que patrocinou o estudo, ter sido acusada de praticar preços exorbitantes — o que pode complicar o acesso dos mais interessados à milagrosa droga.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Costa diz que estado de emergência é "prematuro" e põe de lado o recolhimento obrigatório

Numa altura em que o número de infetados não pára de subir em Portugal, o Governo prefere manter a situação de calamidade para dar resposta à pandemia, o que permite tomar medidas como o confinamento …

22-0: a soma de dois jogos, no mesmo dia

Com claro destaque para o que aconteceu nos Países Baixos: 13-0, vitória do Ajax. Recorde no campeonato holandês, cinco golos de um jogador, um guarda-redes a querer marcar uma grande penalidade... O que aconteceu no sábado, …

Aminoácido produzido no cérebro pode prevenir ataques epiléticos

Uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade da Florida descobriu que um aminoácido produzido pelo cérebro pode desempenhar um papel crucial na prevenção de um tipo de ataque epilético. As crises epiléticas do …

Ir à escola, viajar e assistir a espetáculos. As exceções à proibição de circulação entre concelhos

No final do último Conselho de Ministros, na semana passada, o Governo anunciou a proibição de circulação entre concelhos entre as 0h de 30 de outubro e as 6h de 3 de novembro, englobando o …

País Basco em confinamento, Bélgica quer transferir doentes para os Países Baixos e França "perdeu o controlo"

Numa altura em que a Europa volta a ser epicentro da pandemia de covid-19, o País Basco decretou o confinamento da população e França considera impor a mesma medida. Com falta de camas, Bélgica pediu …

"Dia histórico". Senado confirma nomeação de Amy Coney Barrett para o Supremo Tribunal dos EUA

O Senado norte-americano confirmou segunda-feira à noite a juíza Amy Coney Barrett para o Supremo Tribunal dos Estados Unidos, o que representa uma vitória política para o Presidente Donald Trump a poucos dias das eleições …

Os olhos das corujas podem ter uma "lente" que melhora a visão noturna

As corujas capturam as suas presas durante a noite. Uma nova investigação sugere que há algo de especial na forma como as moléculas de ADN nos olhos das corujas estão acondicionadas, uma característica que lhes …

Os extraterrestres podem estar a observar-nos à distância (em mais de 1.000 estrelas diferentes)

Da mesma forma que nós, da Terra, já detetámos vários milhares de planetas ao redor de outras estrelas, uma hipotética civilização alienígena poderia ter detetado a nossa presença. Mas de que posições no Espaço isso seria …

Afinal, o buraco negro mais próximo da Terra pode não ser um buraco negro

Um objeto identificado no início deste ano como o buraco negro mais próximo da Terra pode, afinal, não o ser. Depois de reanalisar os dados, diferentes equipas de cientistas concluíram que o sistema HR 6819 …

Rara cobra de duas cabeças e dois cérebros independentes encontrada na Florida

Uma rara cobra com duas cabeças e dois cérebros independentes foi resgatada no estado norte-americano da Florida por uma equipa de especialistas do organização Florida Fish and Wildlife Conservation Commission. Na rede social Facebook, a organização, …