Um morto e mais de cem feridos em “Dia de Raiva” na Palestina

As autoridades de Saúde palestinianas reviram hoje em baixa o número de palestinianos mortos nos confrontos com forças israelitas em Jerusalém, na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, de dois para um, mantendo o balanço de cem feridos.

O Ministério da Saúde palestiniano tinha dado conta, ao longo da tarde de hoje, de dois mortos palestinianos nos confrontos com militares israelitas, mas depois corrigiu a informação que tinha prestado e fala apenas em um morto.

O porta-voz do ministério, Ashraf al Qedra, anunciou a morte de Mahmud al Masri, de 30 anos, da cidade de Khan Yunes, na Faixa de Gaza, devido a ferimentos de bala. Minutos mais tarde foi dada a informação de um segundo morto, devido a um ferimento na cabeça.

Ashraf al Qedra esclareceu posteriormente que o segundo homem chegou a sofrer uma paragem cardíaca, mas que os médicos conseguiram reanimá-lo.

Os protestos na Cisjordânia, Faixa de Gaza e Jerusalém, no âmbito do Dia da Ira – contra a decisão dos EUA de reconhecerem Jerusalém como capital de Israel – fizeram também mais de uma centena de feridos.

Ainda assim, de acordo com os jornalistas da agência espanhola EFE presentes no local, o Dia da Ira decorreu com relativa calma na cidade de Jerusalém.

Após as orações do meio-dia de hoje (sexta-feira, o principal dia da semana religiosa muçulmana), vários grupos de jovens na Cisjordânia e em Gaza dirigiram-se aos postos de controlo militares israelitas e lançaram pedras e cocktails molotov contra os soldados.

Os militares israelitas responderam a tiro, com balas de borracha, fogo real (segundo testemunhas) e usando material anti-distúrbios.

“Ocorreram protestos violentos em cerca de 30 localidades na Judeia, Cisjordânia e na Faixa de Gaza”, confirmou o Exército de Israel em comunicado. Na mesma nota, precisou que na Cisjordânia manifestaram-se violentamente cerca de 3 mil pessoas, que queimaram pneus e lançaram bombas incendiárias e pedras contra as forças de segurança.

Abedin Taherkenareh / EPA

Iranianos queimam bandeiras dos EUA e de Israel em protestos de apoio à Palestina

Os principais confrontos na Cisjordânia ocorreram em Hebron, nos arredores de Belém, em Beit Umar, Al Aroub, Tulkarem e Qalandia, o principal posto de controlo entre Jerusalém e Ramalah, confirmou o Exército. O balanço do exército fala em dez feridos e seis detidos.

O Crescente Vermelho (equivalente à Cruz Vermelha) contabilizou, no entanto, 52 feridos por balas de borracha em Jerusalém e Cisjordânia, bem como quatro feridos com pancadas e 178 assistidos devido à inalação de gás lacrimogéneo.

Em Gaza, o Exército deu conta de confrontos em seis pontos da Faixa. O porta-voz Ashraf al Qedra confirmou ainda 60 feridos, todos devido a munição real, dois dos quais de “gravidade extrema”.

Na cidade protagonista do conflito, Jerusalém, verificaram-se poucos incidentes.

“O imã apelou à calma, disse que este é um local de oração, sagrado. Ainda que sintamos dor nos nossos corações por aquilo que fez Trump, não vamos organizar protestos aqui. Convidamos o mundo a juntar-se a Jerusalém, que é uma zona árabe, palestiniana e muçulmana”, relatou à EFE Abu Salahedín, após a oração na mesquita de Al Aqsa.

Depois da oração principal na Esplanada das Mesquitas, as ruas da Cidade Velha ficaram meio desertas e em calma, bem como os bairros adjacentes. Registou-se um confronto breve entre dezenas de palestinianos e polícia, que resultou apenas em montras partidas, segundo a agência AP.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Afinal, novo apoio social vai chegar a 250 mil trabalhadores e custar 633 milhões de euros

As negociações do Governo com a esquerda levaram a alterações no novo apoio social, que deverá abranger mais 80 mil pessoas do que inicialmente estava previsto.  O novo apoio social previsto na proposta de Orçamento do …

Geringonça açoriana. PSD pondera ligação com CDS, PPM e Chega (e o PAN é o centro da disputa)

PSD leva em conta "casamento" político com CDS e PPM e estes podem ser opção para o executivo regional. Os sociais-democratas e os socialistas disputam o PAN. Após as eleições nos Açores, que se realizaram no …

"Dei-te quase tudo." PS dedica música ao Bloco, mas não vai em cantigas

"Dei-te quase tudo e quase tudo foi demais." A dedicatória do deputado socialista João Paulo Pedrosa resume a relação tensa do Governo com o Bloco de Esquerda. Sem acordo, parte das propostas no Código de …

Cristiano Ronaldo está a ser investigado em Itália por causa da covid-19

O ministro do Desporto de Itália, Vincenzo Spadafora, anunciou que está em curso uma investigação para "provar" que Cristiano Ronaldo quebrou o protocolo sanitário no âmbito da pandemia de covid-19. Em causa está o facto …

PEV vai abster-se na votação do Orçamento do Estado na generalidade

O Partido Ecologista "Os Verdes" junta-se ao PCP e ao PAN na abstenção da votação da proposta de Orçamento do Estado para 2021, cuja aprovação já está garantida. De acordo com o deputado José Luís Ferreira, …

Ovar volta a ativar Plano de Emergência Municipal

A Câmara Municipal de Ovar reativou o Plano Municipal de Emergência da Proteção Civil face ao aumento do número de casos de covid-19. Salvador Malheiro, decidiu ativar o Plano Municipal de Emergência, a partir das 00:00 …

Crocodilos africanos viveram em Espanha há seis milhões de anos

Há milhões de anos, várias espécies de crocodilos habitaram a Europa. Contudo, era improvável que crocodilos do género Crocodylus - de origem africana - tivessem vivido na bacia do Mediterrâneo. Os vestígios encontrados nas regiões …

Bernardo Silva arrasa Vieira (e Jesus e Rui Costa atiram-se ao jogador)

Na antecâmara das eleições para a presidência do Benfica, Bernardo Silva, ex-futebolista encarnado, apela a uma "mudança" e deixa duras críticas à presidência de Luís Filipe Vieira. Por outro lado, Rui Costa, que integra a …

Cristina Rodrigues deu a mão ao Governo para fazer passar o OE (mas ainda tem mais 14 reivindicações)

A dois dias da votação do Orçamento de Estado para 2021 na fase da generalidade, a deputada não-inscrita Cristina Rodrigues deu a mão ao Governo para fazer passar o documento. No entanto, ainda tem - …

Costa diz que estado de emergência é "prematuro" e põe de lado o recolhimento obrigatório

Numa altura em que o número de infetados não pára de subir em Portugal, o Governo prefere manter a situação de calamidade para dar resposta à pandemia, o que permite tomar medidas como o confinamento …