Ucrânia vence Festival Eurovisão com crítica política à Rússia

Maja Suslin / EPA

A ucraniana Jamala venceu a 61ª edição do Festival Eurovisão com a canção "1944"

A ucraniana Jamala venceu a 61ª edição do Festival Eurovisão com a canção “1944”

A Ucrânia venceu este sábado a 61.ª edição do Festival Eurovisão com a canção “1944”, interpretada em inglês por Jamala.

De conteúdo marcadamente político, e vista como uma provocação a Moscovo, ao evocar a deportação dos Tártaros da Crimeia por Josef Estaline, “1944” levou a melhor sobre a Austrália, convidada para esta edição do festival e apontada como favorita, que ficou na segunda posição.

Foi a segunda vitória da Ucrânia no Festival Eurovisão, depois de Ruslana ter vencido na Turquia a edição de 2004 com “Wild Dances”.

A Rússia, também considerada uma das grandes favoritas à vitória nesta edição do Festival, ficou em terceiro lugar com a canção “You Are The Only One”, interpretada por Sergey Lazarev.

“Para a Rússia, isto é muito importante, é como os Jogos Olímpicos da música. O público russo adora a Eurovisão. Todos os anos, as audiências sobem”, disse o cantor em entrevista à BBC.

O resultado final foi decidido em partes iguais pelo voto de júris profissionais e pelo televoto dos 42 países participantes. A Ucrânia obteve 534 votos, contra 511 da Austrália e 491 da Rússia.

A edição deste ano do festival, que se realizou na Ericsson Globe Arena, em Estocolmo, na Suécia, não contou com a presença de Portugal.

A última participação portuguesa teve lugar em 2015, ano em que Leonor Andrade não foi além do 14º lugar na semi-final.

Os 26 finalistas deste ano foram compostos pelos 20 qualificados na primeira e segunda semifinal, realizada nos dias 10 e 12 de maio, e pelos seis países apurados automaticamente: os chamados “grandes 5” (França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido) e o país anfitrião, Suécia.

A final do Festival foi pela primeira vez transmitida em directo no YouTube, no canal da Eurovisão.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

O Bosão de Higgs foi apanhado a fazer algo inesperado

Uma equipa de cientistas do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN) observou o Bosão de Higgs, a fazer algo inesperado: à medida que caía, esta parecia decompor-se numa combinação inesperada de partículas. De acordo com …

Feitos de estrelas. Os nossos ossos são compostos por estrelas que explodiram

Uma nova investigação concluiu que metade do cálcio do nosso Universo é oriundo de uma supernova rica em cálcio, que explodiu há milhões de anos. O novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista …

"Monarquia criminosa". Parlamento declara Catalunha republicana e não reconhece o rei

O Parlamento catalão aprovou esta sexta-feira uma resolução na qual declara que “a Catalunha é republicana e, portanto, não reconhece nem quer ter um rei”, rotulando a monarquia de “criminosa”. A resolução foi aprovada em sessão …

Novo método deteta metais tóxicos em alimentos e água em apenas algumas horas

Uma equipa de cientistas da Universidade de Joanesburgo, na África do Sul, desenvolveu um método sensível para detetar níveis perigosos de metais pesados em alguns alimentos e água. Os vestígios de metais como chumbo (Pb), arsénico …

Meghan Markle vence primeira batalha judicial contra jornal britânico

A Duquesa de Sussex conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que está a ser levada a cabo. O 39º aniversário …

Cientistas obrigados a rebatizar dezenas de genes humanos. A culpa é do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é mais parecida com um fogo florestal do que com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …