Turismo de Portugal beneficiou empresa em concurso público “viciado” de 3,2 milhões de euros

World Travel & Tourism Council / Flickr

Luís Araújo, o presidente do Turismo de Portugal.

O Tribunal Central Administrativo ordenou ao Turismo de Portugal que anulasse um contrato de 3,2 milhões de euros adjudicado à Multilem, Design e Construção de Espaços. A entidade atuou de forma “ilegal” ao promover um concurso público “viciado”, reconhece o tribunal com base num parecer do Ministério Público.

O Turismo de Portugal foi acusado de violar vários princípios, nomeadamente “da imparcialidade, da isenção, da concorrência, da boa-fé, da confiança, da transparência e da não-discriminação”.

O contrato em causa é relativo à promoção em feiras e foi inicialmente denunciado pela ExpoMundo, empresa que oferece serviços de criação e construção de stands. De acordo com a notícia avançada este sábado pelo Púbico, a decisão do Tribunal Central Administrativo foi tomada no passado dia 7 de novembro, contrariando a sentença de primeira instância Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa.

O concurso mostrou estar viciado, já que no caderno de encargos estavam anexos escritos em papel timbrado pela Multilem-Design e Construção de Espaços três dias antes do resultado do concurso ter sido publicado em Diário da República.

O tribunal lisboeta justificou a decisão de primeira instância, explicando que o caso dos anexos se ter tratado de “um lapso manifesto que decorre de ter sido utilizado um ficheiro electrónico na posse da entidade adjudicante que foi na sua origem um ficheiro entregue pela Multilem, num contexto de execução de contratos anteriores”.

No entanto, o Ministério Público deu razão à ExpoMundo, notando “um forte indício de irregularidade” e entende que a decisão recorrida deve “ser alterada e substituída”.

A decisão do Tribunal Central Administrativo obriga, assim, a entidade tutelada pelo Ministério da Economia a cancelar o contrato com a Multilem e encontrar uma nova empresa para fornecer o serviço em causa.

Em sua defesa, a Multilem defende que “não teve qualquer participação na elaboração das peças do concurso”. A advogada da empresa disse ao Público que a decisão final “se baseia num equívoco e numa errada interpretação e aplicação do Direito e que oportunamente será interposto recurso para o Supremo Tribunal Administrativo”.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Concursos públicos 🙂 Trabalhei numa empresa multinacional de dragagens com gerente do PS e ganhava todos os concursos quando o PS estava no governo. A concorrente multinacional (as duas eram holandesas) estava ligada ao PSD e ganhava então. Com toda esta burocracia pretendem eliminar politicas entre amiguinhos, mas na pratica só fazem aumentar a despesa pública. Nas escolas e autarquias, e por causa desta fantochada, perdem bons preços para as compras que precisam de fazer e muito tempo e energia.

RESPONDER

Tensão nas eleições da JSD-Porto levam à intervenção da PSP

Rodrigo Passos foi eleito, no sábado, como novo líder da JSD-Porto, substituindo Rosina Ribeiro Pereira, que deixou algumas palavras duras para comentar o que se passou no ato eleitoral. Segundo o Público, Rosina Ribeiro Pereira, eleita …

Livre não aplica sanção a Joacine, mas condena declarações da deputada

O Livre decidiu não aplicar qualquer sanção disciplinar a Joacine Katar Moreira no seguimento do conflito entre Direção e deputada que surgiu após a polémica abstenção num voto no parlamento sobre uma investida israelita na …

Rio alerta para "claro divórcio entre a sociedade portuguesa e os partidos políticos"

O presidente do PSD, Rui Rio, disse ontem, em Paredes, no distrito do Porto, haver "um divórcio entre a sociedade e os partidos", defendendo que só uma maior "abertura" das estruturas às "pessoas" pode inverter …

Megaoperação de combate à pedofilia detém mais de 30 pessoas

Mais de 30 pessoas foram detidas em onze países no âmbito de uma megaoperação de combate à pornografia infantil realizada pela Europol e pela polícia nacional de Espanha, país onde foram presos mais de metade …

Grandes hotéis acusados de ignorar tráfico sexual. Queixa em grupo relata casos de 13 mulheres

Uma ação judicial deu entrada segunda-feira em Columbus, Ohio, nos Estados Unidos (EUA), com vários grandes grupos hoteleiros a serem acusados de lucrar com o tráfico sexual, ignorando os crimes e os danos nas vítimas. Segundo …

Líder da Birmânia, Suu Kyi, vai a Haia defender o país de acusação de genocídio

A líder birmanesa Aung San Suu Kyi decidiu comparecer perante o Tribunal Internacional de Justiça (TIJ) para defender o seu país da acusação de genocídio contra a minoria muçulmana rohingya, durante uma audiência de três …

Impeachment. Democratas preparam-se para avançar com duas acusações formais contra Trump

Os democratas estarão a planear apresentar esta terça-feira dois artigos de impeachment que acusam Donald Trump de abuso de poder e obstrução do Congresso. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, o Comité …

Esquema de venda de droga na darkweb. Fortuna em bitcoins fica nas mãos do Estado

Pedro e Rita vendiam droga para todo o mundo na darkweb. Agora, a fortuna em bitcoins acabou por ficar nas mãos do Estado. Pedro, um engenheiro informático, e Rita, uma web designer, montaram um esquema para …

CDS e PAN querem regime protetor do denunciante no combate à corrupção

CDS e PAN vão apresentar propostas no combate à corrupção que tem sido discutido desde segunda-feira. Os partidos querem um regime protetor do denunciante. Numa iniciativa de combate à corrupção, o CDS e o PAN vão …

Morreu Marie Fredriksson, vocalista dos Roxette

A cantora sueca Marie Fredriksson, dos Roxette, morreu segunda-feira aos 61 anos, anunciou esta terça-feira a sua manager em comunicado. Marie Fredriksson, vocalista e co-fundadora da banda Roxette, faleceu esta segunda-feira, aos 61 anos. A morte …