Tunísia 1-0 França | Triunfo agridoce, africanos fora

Tolga Bozoglu / EPA

Doloroso. O triunfo da Tunísia, o seu terceiro em Mundiais, parecia encaminhar a formação do norte de África para os oitavos-de-final, um feito, ainda por cima, alcançado frente à campeã do Mundo, a França – ainda que totalmente transfigurada

Contudo, no outro jogo, a Austrália também ganhou, o que tornou este sucesso tunisino um prémio agridoce que deixou lágrimas no final. Foi o adeus ao Mundial 2022.

Os tunisinos aproveitaram a revolução autêntica que Deschamps promoveu no “onze” gaulês para equilibrarem as operações a ganharem ímpeto no jogo, e aos nove minutos marcaram mesmo por Yassine Meriah, na sequência de um livre da esquerda. Porém, o golo foi anulado por fora-de-jogo do central.

França respondeu por Kingsley Coman (26′) que, em boa posição para marcar, rematou forte, mas ao lado.

A Tunísia fez pela vida nesta primeira parte e, por isso mesmo, o melhor em campo ao intervalo era um central francês. Ibrahima Konaté registava um GoalPoint Rating de 7.0, com um passe apenas falhado em 27 e números defensivos incríveis: em 45 minutos realizou oito desarmes, uma interceção, quatro alívios e três bloqueios de passe/cruzamento.

O melhor jogo da Tunísia teve expressão, finalmente, no marcador aos 58 minutos, quando Wahbi Khazri arrancou, ganhou espaço e rematou certeiro para um golo merecido – o jogador acabou substituído logo após marcar. Uma alegria que durou pouco, pois, no outro jogo, a Austrália marcou e passou para o segundo posto.

A França, a perder, lançou as suas principais estrelas para o jogo – Mbappé, Griezmann e Dembélé -, mas acordou tarde. Com a vantagem, a Tunísia recuou e foi destruir jogo francês, com esperança de garantir o triunfo. O problema estava no outro jogo, que tornou agridoce a terceira vitória tunisina em mundiais.

Melhor em campo

Eduardo Camavinga foi, ainda assim, o melhor em campo. Jogou a defesa-esquerdo, mas não foi por isso que deixou de brilhar, com um extraordinário GoalPoint Rating de 8.3. O jovem do Real Madrid somou 117 ações com bola (máximo), nove recuperações de posse e incríveis 21 ações defensivas, novo máximo do Mundial 2022, sendo 11 delas desarmes.

Destaques da França

Ibrahima Konaté 7.8

Grande jogo do central do Liverpool, que terminou com incríveis 11 desarmes e somente um passe falhado em 67.

Mbappé 6.1

Entrou para tentar dar a volta aos acontecimentos e abanou com o jogo. Terminou com três remates, dois enquadrados, o máximo de ações com bola na área contrária (7) e sucesso em todos os três dribles tentados.

Destaques da Tunísia

Aïssa Laïdouni 7.2

O médio fez a assistência para o golo tunisino, somando um total de três passes para finalização, e ainda registou dez recuperações de posse.

Wahbi Khazri 6.7

Esteve perto de ser herói nacional. Marcou o golo, foi substituído de imediato por lesão, mas o tento acabou por não ter grande significado. Fez só oito passes, completou todos, mas foi um dos mais rematadores, com três disparos, dois enquadrados.

Resumo do jogo

  // GoalPoint

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.