Trump elogiou Erdogan, depois de uma reunião que descreveu como “maravilhosa e produtiva”

The White House / Wikimedia

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, e o seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan

O Presidente norte-americano, Donald Trump, elogiou na quarta-feira o seu relacionamento com o homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan. Os dois líderes encontraram-se para tentar superar várias diferenças, incluindo a situação na Síria e a compra por Ancara de um sistema russo de defesa antimísseis.

“Somos amigos há muito tempo, quase desde o primeiro dia. Entendemos o país um do outro. Entendemos de onde viemos”, disse Trump a Erdogan. “Eles são altamente respeitados no seu país e na região”, acrescentou, referindo-se a Erdogan e à sua mulher, Emine, segundo noticiou o Expresso, citando a Al Jazeera.

Posteriormente, numa conferência de imprensa conjunta, Trump revelou que ambos tiveram uma “reunião maravilhosa e produtiva”, acrescentando esperar que os dois países, aliados na NATO, possam resolver as suas diferenças.

Entre essas diferenças estão a compra pela Turquia do sistema de defesa russo S-400, o que levou Washington a retirar Ancara do programa de caças F-35. A Turquia desvalorizou a ameaça de sanções dos Estados Unidos (EUA) e começou a receber as entregas do sistema russo em julho, sem que Washington tenha imposto quaisquer sanções.

“A aquisição pela Turquia de sofisticado equipamento militar russo, como o S-400, cria-nos alguns desafios muito sérios e falamos constantemente sobre o assunto. Falámos disso hoje, falaremos no futuro e espero que sejamos capazes de resolver essa situação”, acrescentou Trump.

Através de um intérprete, Erdogan garantiu que os dois países “apenas poderiam superar os obstáculos que enfrentam através do diálogo”.

O Presidente turco mostrou-se “profundamente magoado” com a resolução recente da Câmara dos Representantes, que reconheceu os assassínios de 1,5 milhões de arménios, há um século, como um “genocídio”. Rejeita essa caracterização disse que a medida tem o potencial de “ensombrar seriamente as relações bilaterais entre os EUA e a Turquia”.

No mês passado, a Câmara dos Representantes aprovou um pacote de sanções para punir Ancara pela compra do sistema de defesa russo e pelas operações militares turcas na Síria contra combatentes curdos, que a Turquia considera terroristas.

Ofensiva turca na Síria

As tropas turcas e os combatentes sírios apoiados pela Turquia lançaram uma ofensiva dias depois de Trump ter anunciado que iria retirar as tropas americanas do local. A operação visou as Forças Democráticas Sírias (SDF), formadas por curdos financiados e treinados pelos EUA para combaterem o Daesh, desde 2015.

Os curdos conseguiram derrotar o Daesh em março mas perderam 11 mil soldados. No entanto, Ancara alega que as Unidades de Proteção Popular (YPG), a maior unidade das SDF, são um grupo terrorista ligado ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que luta há décadas contra o Estado turco.

A decisão de Trump de abandonar as SDF perante um iminente ataque turco foi amplamente criticada, mesmo pelos seus aliados, e descrita como uma traição a um parceiro militar dos EUA. A medida terá como consequências mais um desastre humanitário e um possível ressurgimento do Daesh, sublinharam os críticos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Utilizadores russos do Reddit terão divulgado documentos comprometedores sobre o Brexit

A rede social Reddit anunciou ter concluído que utilizadores russos estiveram na origem da divulgação de documentos confidenciais do governo britânico sobre as negociações comerciais do Brexit. O Reddit anunciou, num comunicado citado pela Associated Press, …

Concorrência quer novas regras para fidelizações nas telecomunicações

A Autoridade da Concorrência (AdC) quer mudanças nas regras impostas pelas operadoras de telecomunicações nos contratos de fidelização. Segundo um relatório da AdC, ao qual o Jornal de Negócios teve acesso e que será esta segunda-feira …

Se Trump fosse julgado perante um júri, seria condenado "em três minutos"

Caso o processo de impeachment avance, e Trump seja apresentado perante um júri, Jerry Nadler acredita que o presidente norte-americano seria considerado culpado "em três minutos". O presidente da comissão de Justiça da Câmara dos Representantes, …

Sangue, lágrimas e crianças escoltadas na primeira despromoção da história do Cruzeiro

O Cruzeiro desceu de divisão pela primeira vez na sua história. O último jogo do campeonato, que selou a despromoção, ficou marcado por episódios violentos entre adeptos e polícia. O cenário vivido no 'Mineirão', este domingo, …

Movimento "Convergência" prepara moção para convenção do Bloco (mas rejeita cisão)

Largas dezenas de elementos do Bloco de Esquerda (BE) estiveram reunidos para preparar uma moção para apresentar na próxima convenção do partido, mas rejeitam estar a criar uma nova tendência ou a preparar uma cisão. João …

Empresário lesou Fisco em 60 milhões, mas não tem de devolver nada

Um empresário do setor do ouro condenado a sete anos de prisão por fraude fiscal agravada não terá de devolver nenhuma parte dos 60 milhões de euros de prejuízo que deu ao Estado por não …

Maioria das pistolas Glock roubadas da PSP pode ter estado sempre com a polícia

Luís Gaiba defende que a contagem do armamento não estava atualizada e que, por isso, a maioria das armas alegadamente desaparecidas pode nunca ter saído da posse da polícia. O agente Luís Gaiba, suspeito do roubo …

Rússia banida dos Jogos Olímpicos e Mundiais por quatro anos

A Rússia foi banida, esta segunda-feira, de Jogos Olímpicos e Mundiais por quatro anos, na sequência de uma decisão, tomada por unanimidade, do comité da AMA que avalia o cumprimento dos regulamentos. A Rússia foi excluída dos …

Governo chinês bane compras públicas de computadores e software estrangeiros

O Governo chinês ordenou que todos os escritórios governamentais e instituições públicas removam computadores e software estrangeiros, ao longo dos próximos três anos, depois da decisão de Washington de banir aquisição de equipamentos da Huawei. A …

Arbitragem, relvado e azar. Sérgio Conceição explica deslize com o Belenenses

Desde a arbitragem ao relvado e de o azar à falta de discernimento, Sérgio Conceição explicou o empate contra o emblema de Belém. A equipa de arbitragem foi a principal visada. O FC Porto não foi …