Trump ataca no Twitter empresa que deixou de vender a marca de Ivanka

O Presidente dos Estados Unidos utilizou o Twitter para atacar a Nordstrom, uma cadeia de lojas americana que anunciou que vai deixar de vender a roupa da sua filha mais velha.

Ivanka Trump tem uma coleção de roupa com o seu nome mas está a ser cada vez mais difícil obter as propostas para a Primavera de 2017 porque as cadeias de lojas norte-americanas estão a deixar de as vender.

A empresa Nordstrom foi a primeira a anunciar isso mesmo e já removeu a linha do seu site oficial. Uma atitude que o Presidente dos EUA não perdeu tempo em condenar.

“A minha filha Ivanka recebeu um tratamento tão injusto da @Nordstrom. Ela é uma ótima pessoa, sempre a estimular-me a fazer o correto! Terrível!”, escreveu esta quarta-feira na sua conta do Twitter, publicando depois na página oficial da Presidência.

A Nordstrom, com sede em Seattle, Washington, emprega mais de 76 mil pessoas e possui centenas de estabelecimentos nos EUA e no Canadá. Na semana passada, anunciou a retirada da marca da filha mais velha de Trump devido às vendas baixas.

“A cada ano, cortamos com cerca de 10% das marcas e atualizamos a nossa seleção de produtos com a mesma quantidade”, disse um representante da marca ao Business Insider.

“Sempre dissemos que tomamos decisões baseadas na performance. Neste caso, baseamo-nos na performance da marca e decidimos não comprá-la para esta estação”, justificou a Nordstrom a 2 de fevereiro, sendo que no dia seguinte já só estavam à venda no site quatro pares de sapatos da marca, todos com descontos de 40%.

“Grab Your Wallet”

A Nordstrom foi o primeiro retalhista a cortar, publicamente, laços com a marca de Ivanka, o que pode ser entendido como um boicote ligado à campanha “Grab Your Wallet” (“Agarra a tua carteira” em português), que defende que se deve boicotar a venda e compra de produtos de alguma forma ligados ao Presidente ou à sua família.

O nome é uma clara referência aos comentários misóginos de Trump, que sugeriu durante um programa de televisão, em conversa com o apresentador, que faz o que quer com as mulheres por ser uma “estrela”. “Grab them by the pussy”, disse na altura.

Esta semana, a Neiman Marcus decidiu fazer o mesmo, a par da decisão da T.J. Maxx e da Marshalls que, na semana passada, deram ordem aos seus funcionários para retirar das lojas todos os cartazes de propaganda dos produtos da linha de Ivanka.

Segundo o The New York Times, o objetivo foi impedir que as roupas e acessórios da marca fossem exibidos em áreas exclusivas e passou-se a misturá-los aos produtos de outras marcas.

Ainda assim, a linha de Ivanka mantém-se à venda ao público em vários locais como Zappos, Macy’s, e Lord & Taylor. Um porta-voz da marca disse à Fortune que, em 2016, tiveram um lucro 37% superior ao do ano anterior.

Assessora de Trump debaixo de fogo

Kellyanne Conway, a conselheira de Trump protagonista de várias polémicas, também decidiu defender Ivanka e ainda apelou à compra dos produtos da sua marca.

“Vão comprar os produtos da Ivanka. Detesto fazer compras, (mas) hoje vou fazê-las”, afirmou, a partir da Casa Branca, na cadeia televisiva Fox.

“É uma linha magnífica. Eu própria tenho alguns. Vou fazer publicidade gratuita: vão todos comprá-los. Vocês podem encontrá-los em linha” (online), disse Conway, que fez as declarações numa sala com o selo oficial da Casa Branca.

O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, preferiu distanciar-se das declarações de Conway.

Kellyanne foi chamada à ordem sobre este assunto, ponto final“, afirmou, durante o encontro diário com os jornalistas.

Reação dos democratas

O Presidente dos EUA tem usado regularmente a sua conta do Twitter para abordar vários temas da sua política. No entanto, a “defesa” pela honra e pelos negócios da filha mais velha não caiu bem a alguns políticos democratas.

Entre eles está, por exemplo, o senador Bob Casey que, segundo um porta-voz, considera “antiético e inapropriado” o facto de um Presidente “atacar uma empresa privada porque esta se recusou a enriquecer a sua família”.

Norm Eisen, que foi conselheiro especial de ética da administração Obama, apelidou o tweet de “revoltante”. Eisen recomendou mesmo à Nordstrom que processe Trump com base na lei da livre concorrência da Califórnia.

Por sua vez, Kathleen Clark, professora de direito da Universidade de Washington em St. Louis e especialista em ética governamental, considerou especialmente preocupante o facto do Presidente usar a conta oficial da Casa Branca para lançar críticas e defender o negócio da filha.

“A ameaça implícita é que [Trump] vai usar toda a autoridade que tem para castigar a Nordstrom ou qualquer um que afete os seus interesses“, disse à AP.

A Casa Branca tentou minimizar a polémica e nas palavras do porta-voz do Governo, Sean Spicer, a decisão da Nordstrom foi política e, por isso, o Presidente estava simplesmente a reagir a um ataque contra a sua filha.

Tem todo o direito de defender a sua família e de aplaudir as suas atividades, negócios e sucessos”, disse o porta-voz, acrescentando que a decisão da loja foi tomada por “preocupação pelos atos ou ordens executivas” do Presidente.

ZAP // Move / BBC

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

RESPONDER

TDT vai mudar de frequência (outra vez)

A frequência da Televisão Digital Terrestre (TDT) está a ser alterada de forma faseada, o que significa que os portugueses que usem este serviço gratuito de televisão têm de sintonizar novamente os seus recetores e/ou …

Ruas de Águeda entre as "mais bonitas do mundo" para a CNN

As ruas do centro de Águeda, no distrito de Aveiro, decoradas com guarda-chuvas estão entre as 21 mais bonitas de mundo para a emissora norte-americana CNN. A distinção é avançada pelo jornal Público, que dá …

Hospitais vão poder pagar mais a médicos para garantir urgências no Natal

Os hospitais vão poder contratar médicos prestadores de serviço, vulgo tarefeiros, por valores superiores aos de referência durante o Natal e o Ano Novo. De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Médicos, Noel Carrilho, …

Jovem que abandonou bebé no lixo esteve 13 anos institucionalizada em Cabo Verde

A jovem que abandonou o filho recém-nascido no lixo, em Lisboa, esteve institucionalizada durante 13 anos em Cabo Verde. A sua mãe está agora a lutar pela guarda da criança. Numa entrevista ao programa Sexta às …

Último debate. Boris defendeu o Brexit e Corbyn falou da Saúde (pelo menos 15 vezes cada um)

No debate televisivo, transmitido pela BBC, o último antes das eleições da próxima quinta-feira, Boris Johnson defendeu que é o melhor preparado para concretizar o Brexit e terminar com o impasse no processo, prometendo ainda …

No São José, há um doente numa cama 9 meses depois de ter alta. Não tem para onde ir

O Centro Hospitalar Lisboa Central tem diariamente uma média de 70 camas ocupadas com doentes que já deviam ter saído do hospital e há atualmente um caso que espera há nove meses por uma solução. Em …

Rio diz ser preocupante "notória desvalorização" que PS faz do ministro das Finanças

O líder do PSD disse, esta sexta-feira, ser preocupante a "notória desvalorização" que o Governo tem feito do ministro da Finanças, apontando como exemplo as novas regras de contratação nas PPP. "Temos assistido nos últimos dias …

Morreu a indiana que foi queimada quando ia a caminho do tribunal

A suposta vítima de violação, que foi incendiada a caminho de uma audiência de tribunal, morreu, esta sexta-feira, num hospital de Nova Deli. A mulher foi atacada por um grupo de homens na cidade de Unnao, no …

André Ventura avança com castração química para quem abusa de menores

André Ventura, líder e deputado único do partido Chega, entregou esta sexta-feira na Assembleia da República um projeto de lei que cria a pena acessória de castração química, agravando a moldura penal para os abusadores …

Centeno com apoios de peso para recandidatura ao Eurogrupo

Ao que tudo indica, o ministro das Finanças não deverá ter grande oposição em Bruxelas caso queira um segundo mandato como presidente do Eurogrupo. De Bruxelas chegam notícias de que Mário Centeno já terá apoios para …