Trump acusa China de querer travar a sua reeleição. Casa Branca prepara medidas de retaliação

Jim Lo Scalzo / EPA

Numa entrevista à Reuters, Donald Trump acusou o Governo chinês de ter escondido a gravidade do novo coronavírus e sugeriu que este comportamento teve como objetivo dificultar a sua reeleição.

O Presidente dos Estados Unidos afirmou, numa recente entrevista à agência Reuters, que a China “fará tudo o que puder para me fazer perder esta corrida”, acusando as autoridades chinesas de preferirem a eleição do candidato do Partido Democrata, Joe Biden.

Para Donald Trump, a vitória de Biden nas eleições presidenciais faria com que os Estados Unidos aliviassem a pressão sobre a China para a renegociação de acordos comerciais.

Por um lado, Trump acusa a China e a Organização Mundial ds Saúde de serem as principais responsáveis pela pandemia e suas consequências nos EUA. Por sua vez, segundas figuras do regime chinês acusam o Presidente norte-americano de querer esconder os seus próprios erros na gestão da crise.

Segundo o Público, na entrevista à Reuters, o Presidente dos EUA não acusou directamente Xi Jinping, de quem disse, em várias ocasiões, ser amigo. No entaot, pela primeira vez, Trump estabeleceu uma ligação direta entre a pandemia e as eleições presidenciais nos Estados Unidos.

Questionado sobre se está em preparação alguma resposta concreta à China pela forma como geriu o desenvolvimento da crise de saúde, Donald Trump não entrou em pormenores e disse que o assunto ainda está a ser investigado.

“Eu tenho poder para fazer muitas coisas. E eles estão sempre a usar relações públicas para fazerem crer que são inocentes”, disse.

Casa Branca prepara medidas de retaliação

A Casa Branca já está a iniciar os trabalhos de preparação de medidas retaliatórias tomadas pelos EUA visando a China, avança o The Washington Post.

As medidas retaliatórias, pela forma como o regime geriu o início do surto do novo coronavírus, podem ser sanções económicas ou pedidos de indemnizações pelos danos económicos causados pela pandemia.

Segundo fontes ouvidas pelo diário, além de pessoas de várias agências governamentais vão, também, ser envolvidos responsáveis ligados aos serviços secretos. Ainda assim, o Washington Post sabe que está em cima da mesa a hipótese de retirar à China o seu estatuto de “imunidade soberana”.

Tal permitiria que empresas, pessoas e o próprio Governo pudessem demandar a China, judicialmente, pedindo reparações financeiras. Apesar de estar a ser ponderado, a hipótese não parece exequível, uma vez que envolveria passar legislação nesse sentido no Congresso.

Castigar a China é, sem dúvida, o objeto de fixação da cabeça do Presidente neste momento”, revelou uma das fontes.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Trump tornou-se patético, obcecado com o sucesso da China e do seu regime comunista. É claro q este sucesso é uma ameaça para o capitalismo, culpado de ser incapaz de erradicar a pobreza, se não a miséria em q vivem milhões de seres humanos, com crianças a morrer de fome.

Jornalistas insultados e ameaçados em jantar-comício de Ventura (sem distanciamento)

Jornalistas foram vaiados, insultados e até ameaçados num jantar-comício do Chega, este domingo. O evento não cumpriu o distanciamento social, reunindo 170 pessoas num sala com 450 metros quadrados. No domingo, no Campo de São Mamede, …

Athletic Bilbao vence Barcelona e conquista Supertaça. Messi expulso após agressão

O Athletic Bilbao ergueu a sua terceira Supertaça de futebol de Espanha, ao vencer 3-2 no prolongamento o FC Barcelona, após 2-2 no final do tempo regulamentar, na final disputada no Estádio Olímpico de Sevilha. Depois …

Regionalização, um "poema de um calceteiro" e (mais) críticas a Marcelo. O último debate presidencial

Os candidatos presidenciais juntaram-se em mais um debate conjunto antes das eleições. Falou-se da ausência de Ventura, regionalização, justiça e até jardinagem. O primeiro tema a marcar o debate das rádios foram as medidas de confinamento …

Em plena pandemia, houve cinco setores que conseguiram faturar mais do que em 2019

Apesar de a pandemia ter levado muitos setores da economia para os piores resultados de sempre, nem todos perderam faturação durante os meses de março a novembro da crise sanitária, algum conseguiram mesmo aumentar. Neste sentido, …

Pesadelo de Özil no Arsenal chega ao fim com transferência para o Fenerbahçe

O futebolista alemão Mesut Özil, dos ingleses do Arsenal, confirmou que vai assinar pelos turcos do Fenerbahçe, depois de vários meses sem jogar pelos 'gunners'. "Estou muito feliz e muito animado, por Deus me ter dado …

Palácio mais antigo da China é descoberto perto de antiga capital. Tem mais de 5000 anos

Um Palácio descoberto no sítio arqueológico de Shuanghuaishu, nos arredores da cidade de Zhengzhou, uma das oito capitais antigas da China, foi construído por volta de 3300 a.C., ou seja, tem atualmente cerca de 5.300 …

"Há exceções a mais". Marques Mendes defende que Governo deve reavaliar medidas de confinamento

No seu habitual espaço de comentário na SIC, no domingo à noite, Luís Marques Mendes falou sobre as novas medidas de confinanento e das eleições presidenciais. Depois de uma semana a bater recordes em números de …

O cenário "é de guerra" e o medo é de a perder. Temido admite que "estamos muito próximos do limite"

Após uma visita ao Hospital Garcia de Orta, que alertava no sábado para um "cenário de pré-catástrofe", Marta Temido admitiu que o Serviço Nacional de Saúde, os operadores sociais e privados estão em "extremo sobreesforço". Marta …

Discutir sobre temas controversos requer mais atividade cerebral do que concordar

Uma nova investigação da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, confirmou aquilo que o senso comum já vaticinava: discutir sobre temas controversos requer muito mais atividade cerebral do que simplesmente concordar. De acordo com a nova …

Estado de emergência vai manter-se até março. Marcelo admite confinar mais o país

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, esteve este domingo no Hospital Santa Maria, em Lisboa, onde admitiu confinar mais o país devido à pressão nos hospitais. Em declarações aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa, …