Canadá mergulha no caos. Trudeau perdeu mais uma ministra

Michael Reynolds / EPA

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau

Jane Philpot, uma das principais ministras do governo do Canadá, bateu com a porta e demitiu-se esta segunda-feira, manifestando o seu descontentamento com a forma como o Governo lidou com uma alegada tentativa de encobrimento.

Uma das principais ministras do Governo do Canadá, Jane Philpot, demitiu-se esta segunda-feira em rota de colisão com a forma como o Executivo de Justin Trudeau lidou com uma investigação sobre corrupção. Esta saída da responsável pelo departamento do tesouro é considerada como um duro de golpe para o primeiro-ministro.

Segundo a Renascença, Jane Philpot manifestou publicamente o seu descontentamento com a forma como o governo lidou com uma alegada tentativa de encobrimento. Estão em causa suspeitas de que funcionários do Estado pressionaram, no ano passado, a então ministra da Justiça Jody Wilson-Raybould a ajudar a empresa de construção SNC-Lavalin Group a escapar a um julgamento por corrupção.

“Tristemente, perdi a confiança na forma como o Governo enfrentou esta matéria e como respondeu às questões levantadas”, afirmou a governante na sua carta de demissão.

Wilson-Raybould também já se tinha demitido a 12 de fevereiro depois de, inesperadamente, ter sido despromovida em janeiro. A antiga ministra da Justiça acredita que foi despromovida por ter recusado ajudar a construtura SNC-Lavalin.

O partido da oposição, o Partido Conservador, fala em “podridão ética” e, esta segunda-feira, voltou a pedir a demissão do primeiro-ministro, Justin Trudeau.

“A demissão de Jane Philpott demonstra um Governo em caos total, liderado por um primeiro-ministro caído em desgraça, consumido pelo escândalo e concentrado apenas na sua sobrevivência política”, disse Andrew Scheer.

Trudeau minimiza segunda demissão

O primeiro-ministro do Canadá minimizou a demissão da ministra do Tesouro, que afirmou ter perdido “a confiança no Governo”, na sequência de um escândalo de interferência política.

A demissão de Jane Philpott é a segunda que o Executivo enfrenta em apenas 30 dias. Em 2 de fevereiro, a então ministra dos Veteranos e ex-ministra da Justiça (2015-2019) Jody Wilson-Raybould tinha anunciado a demissão do cargo.

Dias após a demissão, Wilson-Raybould acusou Trudeau e outros membros do Governo de pressão contínua para oferecer à maior empresa de construção do país, SNC-Lavalin, um acordo para evitar um processo criminal por corrupção na Líbia.

Apesar das renúncias de Wilson-Raybould e Philpott, o primeiro-ministro canadiano defendeu na segunda-feira que a “discordância é normal e saudável num sistema democrático”.

“Apesar de estar desapontado, compreendo a decisão de Philpott. Quero agradecer-lhe pelos seus serviços”, disse Trudeau, durante um comício partidário, realizado na segunda-feira à noite, nos arredores de Toronto. Em vários momentos, o discurso de Trudeau foi interrompido por críticas ao primeiro-ministro e às políticas do Governo.

Trudeau também minimizou os incidentes, afirmando que opiniões contrárias precisam de ser expressas. “Numa democracia como a nossa, na qual valorizamos fortemente a diversidade, podemos permitir-nos divergências e debate”, afirmou.

Sobre o escândalo de SNC-Lavalin, Trudeau procurou transformar a polémica em algo positivo: “Este assunto gerou um importante debate. É fundamental para todos os nossos princípios o comportamento das instituições democráticas”.

A SNC-Lavalin, a maior construtora canadiana, foi acusada pelo Ministério Público de pagar subornos a altos funcionários do antigo regime líbio de Muammar Khadafi, incluindo a alguns dos filhos do antigo dirigente, para conseguir contratos no país do Norte de África. A possível condenação da construtora nos tribunais canadianos impedirá a empresa de participar nos contratos públicos no Canadá, o que resultará em perdas avultadas.

Wilson-Raybould indicou que Trudeau pretendia um acordo, a ser proposto pelo Ministério Público, para evitar a penalização da SNC-Lavalin com a exclusão dos contratos públicos.

Quando o Ministério Público recusou propor o acordo, Wilson-Raybould, também Procuradora-Geral, disse ter sido pressionada a obrigar os procuradores a mudar de decisão, o que negou fazer.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Um megassatélite em órbita de Ceres daria "um ótimo lar" para seres humanos

Enquanto Elon Musk, CEO da SpaceX, olha para Marte, o físico e astrobiólogo Pekka Janhunen, do Instituto Meteorológico da Finlândia, está de olho no planeta anão Ceres. Seres humanos a viver noutros planetas do Sistema …

O vento solar é estranhamente atraído para o Pólo Norte (e não se sabe porquê)

Durante anos, os cientistas pensaram que o vento solar era igualmente atraído para os Polos Norte e Sul da Terra. No entanto, estudos recentes mostram que estas partículas parecem preferir o Norte - e não …

22 mil pessoas vão assistir (no estádio) ao Super Bowl

Um terço das pessoas presentes será composto por profissionais de saúde. Quatro equipas ainda na luta pelo título do campeonato principal de futebol americano. O dia 7 de fevereiro vai contar com uma "visão rara" nos …

Investigadores "voltam atrás no tempo" para calcular idade e local de explosão de supernova

Os astrónomos estão a "voltar atrás no tempo" num remanescente de supernova. Usando o Telescópio Espacial Hubble da NASA, refizeram o percurso dos estilhaços velozes da explosão a fim de calcular uma estimativa mais precisa …

Cientista dos EUA acredita que o monstro do Lago Ness pode ser uma antiga tartaruga marinha

Um importante cientista dos Estados Unidos acredita que desvendou o mistério do Monstro de Lago Ness e pensa que a criatura é uma espécie ancestral de tartaruga marinha. Henry Bauer, professor aposentado de Química e Estudos …

Biden quer banir uma palavra das leis de imigração dos Estados Unidos

Se o projeto de lei proposto por Joe Biden, recém-eleito Presidente dos Estados Unidos, for aprovado, a palavra alien ("estrangeiro") vai desaparecer das leis de imigração norte-americanas, sendo substituída pelo termo noncitizen ("não cidadão"). A …

“As pessoas são mortas na mesquita, na rua e no trabalho". Em Cabul, reina o medo

Os assassínios seletivos de jornalistas, políticos e defensores dos direitos humanos são cada vez mais frequentes no país, com Cabul e várias províncias a registarem um aumento da violência nos últimos meses. O medo está …

"Fiquem em casa". Enfermeiros deixam "grito de alerta desesperado" aos portugueses

A Ordem dos Enfermeiros lançou esta sexta-feira uma campanha de sensibilização a apelar aos portugueses para ficarem em casa, afirmando que é “um grito de alerta desesperado face à situação de catástrofe que se vive …

Senado francês aprovou lei que protege os sons e cheiros do campo

O Senado francês aprovou a lei, esta quinta-feira, que protege o "património sensorial" das áreas rurais do país, depois de várias queixas sobre os ruídos e cheiros típicos do campo. De acordo com o canal televisivo …

Identificado em Portugal o primeiro caso da variante da África do Sul

O primeiro caso de covid-19 associado à variante genética da África do Sul foi identificado esta sexta-feira em Portugal pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), adiantou à agência Lusa a instituição. O caso identificado …