Três milhões de emigrantes podem ficar no Reino Unido, assegura May

Stephanie Lecocq / Lusa

Theresa May, primeira-ministra britânica

Theresa May, primeira-ministra britânica

Durante a primeira reunião em Bruxelas à qual Theresa May assistiu desde que iniciou o processo de saída da União Europeia – artigo 50 -, a líder dos conservadores ofereceu aos restantes elementos da UE um acordo considerado justo: não haverá deportação para os que vivem há cinco ou mais anos no Reino Unido.

A primeira-ministra britânica avançou na reunião com os líderes da União europeia alguns pontos da sua política de retirada do Reino Unido, entre os quais o de não haver plano de deportação para cidadãos europeus a viver em território britânico, segundo a revista Sábado.

Atualmente, no Reino Unido existem cerca de 3 milhões de habitantes de vários países da UE a habitar no Reino Unido.

May prometeu que todos os cidadãos com origem dos 27 que habitem no Reino Unido há mais de cinco anos poderão continuar para o resto da vida, se assim quiserem. Os que lá estiverem há menos tempo ou estejam agora a pensar mudar-se para lá podem ficar até atingir a meta dos cinco anos.

Antes da intervenção da líder britânica, a chanceler alemã Angela Merkel tinha já pedido “garantias a longo prazo” para os cidadãos europeus que vivem no Reino Unido ou que pensam vir a viver.

Depois da proposta apresentada por May, Merkel considerou este um “bom início”, mas a líder alemã quer que as garantias se mantenham até que o Reino Unido abandone definitivamente a União Europeia – a 30 de março de 2019, dois anos depois de acionar o artigo 50.

Na segunda-feira, Theresa May deve apresentar um documento escrito onde apresenta os pontos referidos durante a reunião em Bruxelas, de forma mais pormenorizada.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tunsk, tinha decidido com os restantes líderes europeus que não entrariam em diálogo com a líder britânica. Quando May abandonou a reunião, os representantes dos 27 continuaram a discutir assuntos relacionados com o Brexit.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.