As traições ajudaram a espécie humana a espalhar-se pelo mundo

Viktor M. Vasnetsov / Wikimedia

-

Uma nova investigação sugere que foram as traições e as desconfianças que ajudaram a espécie humana a espalhar-se tão rapidamente por todo o mundo.

Esta conclusão retirada de um estudo da arqueóloga Penny Spikins, da Universidade de York, no Reino Unido, evidencia que o aparente sucesso humano na conquista do mundo é, afinal, apenas uma manifestação do lado mais negro da natureza da humanidade.

A investigadora debruçou-se sobre a forma como os humanos se espalharam por todos os cantos do planeta.

Segundo o estudo da arqueóloga, a dispersão dos nossos antepassados mais primitivos era lenta e surgia sobretudo provocada por fenómenos ambientais, nomeadamente secas que provocavam a escassez de alimentos – e era, muitas vezes, travada por barreiras ambientais ou climáticas.

Mas, há cerca de 100 mil anos, essa dispersão da espécie humana pelo mundo mudou significativamente, efectuando-se de forma muito mais rápida e independente de quaisquer barreiras.

O estudo de Penny Spikins relaciona esta alteração com mudanças nas relações emocionais dos humanos.

A arqueóloga considera que as “traições e quebras de confiança” foram o principal motor para essa dispersão rápida, e que os humanos foram movidos pelo “desejo de evitar o dano físico de ex-amigos desiludidos”.

“Os conflitos morais provocam mobilidade substancial – o furioso ex-aliado, ex-companheiro ou ex-grupo, com uma lança envenenada ou uma intenção de procurar vingança ou justiça, são uma forte motivação para fugir e para assumir quase todos os riscos para o fazer”, diz Penny Spikins, citada pelo site da Universidade de York.

“Enquanto vemos a dispersão global da nossa espécie como um símbolo do nosso sucesso, parte das motivações para tais movimentos reflectem um lado negro, embora não menos colaborativo, da natureza humana”, acrescenta a investigadora.

Na pesquisa, publicada na Open Quaternary, a arqueóloga alega que os compromissos entre humanos se tornaram cada vez mais vitais para a sobrevivência e que, por isso, as comunidades começaram, cada vez mais, a punir aqueles que eram considerados traidores.

Isto levou ao desenvolvimento do lado mais negro da natureza humana, provocando “disputas morais motivadas pela quebra de confiança” e sentimentos de “traição” cada vez mais frequentes, o que obrigava os elos mais fracos a afastarem-se dos seus rivais, movidos pelo rancor e pelo medo de retaliações, independentemente dos riscos que pudessem correr nessa aventura.

“As colonizações activas de e através de terreno perigoso são difíceis de explicar através de escolhas imediatas e pragmáticas”, constata Penny Spikins, frisando que essa explicação é mais fácil de fazer através do “aumento da forte motivação de magoar outros, mesmo que às próprias custas, que os compromissos emocionais alargados acarretam”.

SV, ZAP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Que “investigação” mais patética. Só podia ser americana. O entendimento da pré-história e história e da evolução da espécie humana ao longo do tempo, incluindo a actualidade não é propriamente o ponto forte deles. A história para eles resume-se aos cowboys, à guerra civil americana, ao desembarque na Normandia, às batalhas navais contra o Japão e pouco mais.

RESPONDER

Linha SNS 24 está a atender mais de 18 mil chamadas por dia

O secretário de Estado da Saúde saudou a capacidade de adaptação dos profissionais de saúde e do Governo à pandemia covid-19, dando como exemplo a Linha SNS 24 que está a atender mais de 18 …

Bolsonaro mais moderado. "A minha preocupação sempre foi salvar vidas”

O Presidente brasileiro adotou um tom mais moderado naquele que foi o seu quarto discurso ao país sobre o novo coronavírus, mas voltou a insistir na importância de a população manter os empregos durante a …

Diabéticos representam 9% das mortes por covid-19

Os doentes da diabetes são um grupo de risco, representando “mais de 9% das pessoas falecidas com covid-19”, mas não têm mais probabilidades de ser infetados pelo novo coronavírus. A informação foi avançada esta quarta.feira pelo …

Covid-19: Infarmed diz que nenhum medicamento provou eficácia no tratamento

O Infarmed assegurou, na terça-feira, estar a acompanhar todos os esforços nacionais e internacionais para o desenvolvimento de potenciais tratamentos e vacinas para a covid-19, mas insistiu que nenhum fármaco provou ainda a sua eficácia …

Adolescente de 13 anos morre no Reino Unido devido a Covid-19

Um adolescente britânico de 13 anos morreu na segunda-feira depois de testar positivo para o novo coronavírus, informou na terça-feira o hospital. Segundo a família, o jovem não sofria de nenhuma outra doença. Segundo noticiou a …

"Por favor, não venham". Autarca de Vila Real apela a emigrantes que não regressem a Portugal

O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, apela aos emigrantes para que, "por favor", não regressem agora ao país e nesta Páscoa "fiquem nas terras" que os "acolheram em segurança". "Este vírus infernal que …

84 pessoas detidas por desobediência ao estado de emergência

A PSP e a GNR detiveram, até esta terça-feira, 84 pessoas pelo crime de desobediência e encerraram 1600 estabelecimentos, no âmbito do estado de emergência. Em comunicado, o Ministério da Administração Interna (MAI) refere que, entre as …

Há creches, ATL e colégios privados a cobrar valores indevidos na quarentena

Há creches, ATL e colégios privados a cobrarem valores indevidos referentes a alimentação, transporte e atividades extracurriculares. O alerta foi dado pela Associação de Defesa do Consumidor (Deco). De acordo com a jurista da Deco, Carolina …

Pedro Proença acredita que "vai ser possível jogar na presente temporada"

O Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) admitiu, esta terça-feira, a possibilidade de realizar jogos à porta fechada e ainda esta temporada. Em entrevista à rádio TSF, Pedro Proença disse acreditar que ainda "vai …

Centeno deixa aviso à Zona Euro. Futuro da UE depende da resposta que der à pandemia

Mário Centeno escreveu aos ministros das Finanças da Zona Euro para os alertar que o futuro da União Europeia depende da forma como conseguir lidar com a crise económica devida à pandemia de Covid-19. Uma …