Numa empresa neozelandesa só se trabalha quatro dias por semana (mas a produtividade aumentou)

George Grinsted / Flickr

Em março e abril do ano passado, uma empresa neozelandesa implementou um novo modelo laboral: trabalhar apenas quatro dias por semana. O estudo final foi publicado esta terça-feira e as conclusões mostram resultados animadores.

Quase um ano depois de a empresa neozelandesa Perpetual Guardian ter implementado um modelo laboral que permite aos funcionários trabalhar apenas quatro dias por semana, o balanço não podia ser mais animador.

O projeto piloto iniciou em março e abril do ano passado, mas em novembro a empresa decidiu adotar o sistema em pleno. Assim, os 240 funcionários passaram a folgar três dias por semana, recebendo o mesmo salário e sem horas extraordinárias.

O estudo final, publicado esta semana e monitorizado por investigadores a Universidade de Auckland, revela que a produtividade desta empresa aumentou 20%, enquanto que o stress dos funcionários baixou em 45% em 2017 para 36% em 2018.

Mas as vantagens deste modelo laboral não ficam por aqui. Segundo a TSF, também o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional cresceu de 54% em 2017 para 78% em 2018.

Segundo Andrew Barnes, fundador da empresa, o sistema de quatro dias de trabalho também contribuiu para que os lucros da empresa de serviços financeiros crescessem, aumentou o nível de empenho e melhorou a disposição dos trabalhadores.

Ao The Guardian, o responsável afirmou que, por todos estes motivos, considera que mais empresas deveriam implementar este método. “Precisamos que mais companhias tentem esta abordagem. Irão ficar surpreendidos com as melhorias na companhia, nos trabalhadores e na comunidade adjacente.”

Tammy Barker, funcionária da empresa, referiu que trabalhar menos ajudou-a a concentrar-se mais nas suas tarefas. “Temos sido tratados como adultos e penso que o resultado é que estamos todos a agir como adultos“, disse.

À Perpetual Guardian já chegaram centenas de pedidos de informação sobre o modelo laboral. A empresa Wellcome Trust, do Reino Unido, está a pensar aplicá-lo no seu total de 800 trabalhadores.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Aqui em Portugal seria agravar a situação, como iriam depois os portugueses pagar mais estadias nos cafés e outras diversões, pedir empréstimos à Banca para alimentar os vícios só agravaria ainda mais a situação de todas as partes.

  2. Exatamente! Estou consigo! E para prevenir esse desastre o melhor é passar a trabalhar 7 dias por semana e aumentar o horário para 10h/dia. Assim não há tempo para vícios, gastos e empréstimos. Vamos todos ficar bem mais felizes.

  3. Infelizmente em Portugal o patrão só olha para o seu umbigo e quer que os empregados sejam escravos só porque lhe dá prazer, portanto só mesmo se forem obrigados é que implementarão tal mudança!

RESPONDER

Maher e Safa deixaram sonhos para trás. Mas reencontraram a paz em Portugal

Os sonhos de Maher e de Safa ficaram adiados com a guerra na Síria, mas reencontraram a paz em Portugal, onde residem há dois anos ao abrigo de um programa de acolhimento de refugiados. É no …

São Francisco poderá ser a primeira cidade a proibir venda de cigarros eletrónicos

Se esta decisão for aprovada pela FDA, São Francisco vai tornar-se a primeira cidade a banir a venda de cigarros eletrónicos. De acordo com o Observador, a Câmara de Supervisores de São Francisco, nos EUA, aprovou uma …

Nunca houve tantos deslocados no mundo. São mais de 70 milhões

Um novo recorde foi quebrado no mundo em 2018, com 70,8 milhões de pessoas deslocadas das suas casas ou dos seus países, devido às guerras ou perseguições, anunciou esta quarta-feira as Nações Unidas. O relatório anual …

A monogamia foi inventada pelas mulheres (e o casamento, pelos homens)

A poligamia é natural no ser humano e a monogamia foi criada por imposição para a mulher, diz o investigador português Rui Diogo, que usa a ciência e a história para explicar a relação entre …

Morreu o DJ Zdar do duo electrónico Cassius. Caiu da janela de um prédio em Paris

O músico, produtor e DJ francês Philippe Cerboneschi, mais conhecido por Zdar, morreu aos 50 anos após ter caído da janela de um apartamento em Paris. O seu agente confirmou a "queda acidental" sem revelar …

PS quer o Estado a pagar licença sabática aos portugueses para voltarem a estudar

A criação de uma licença sabática para qualificar trabalhadores e um sistema de prémios e penalizações para combater a desigualdade salarial são medidas que o PS inclui no seu projecto de programa eleitoral. O director do …

Putin reconhece: as condições de vida dos russos pioraram nos últimos anos

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, admitiu esta quinta-feira que as condições de vida no país pioraram nos últimos anos, mas assegurou que as autoridades russas trabalham para reverter essa tendência, e enumerou os primeiros …

Marcelo, o "verdadeiro professor", é estrela em promo de La Casa de Papel

O novo vídeo promocional de La Casa de Papel tem um protagonista improvável. Marcelo Rebelo de Sousa, ou, na verdade, uma imitação do Presidente da República, faz uma chamada para a inspetora Raquel. Na chamada telefónica, …

Num só dia, derreteu 40% da área superficial da Gronelândia (e há fotografias)

Uma fotografia divulgada no Twitter do climatologista dinamarquês Rasmus Tonboe ilustra o degelo que ocorre na Gronelândia, evidenciando algumas das consequências que podem ser desencadeadas pelo fenómeno.   A imagem, que mostra um trenó a ser …

Juiz suspende pena a agressor que ameaçou a mulher com uma motosserra

"Vou-te pôr às postas como se põe um cação." Esta foi uma das ameaças, com uma motosserra ligada, que um homem de 52 anos fez à mulher com quem esteve casado durante 30 anos. O …