Toyota chama 2,27 milhões de viaturas por defeito no airbag

Toyota Motor Europe / Flickr

-

A Toyota Caetano Portugal vai chamar à revisão mais 2.465 veículos das marcas Yaris, Corolla e Avensis devido a um defeito detetado no sistema de airbag.

Em declarações à agência Lusa, o relações públicas da Toyota Caetano Portugal, António Costa, salienta tratar-se de uma “atualização” da chamada efetuada em abril do ano passado, altura em que foi detetado o defeito, e decidida agora após “informação do fornecedor de um novo número de série” afetado que “obrigou a abranger mais veículos”.

Globalmente, o construtor automóvel japonês Toyota anunciou esta quarta-feira que pretende rever 2,27 milhões de veículos em todo o mundo (650 mil no Japão e 1,62 milhões no estrangeiro) devido a um defeito no sistema de airbag do passageiro passível de originar um incêndio.

No âmbito deste defeito, estão atualmente por intervencionar em Portugal 12.521 unidades, do total de 14.465 abrangidas desde a chamada inicial de abril passado.

Em causa estão os modelos Yaris, Corolla e Avensis produzidos entre novembro de 2000 e novembro de 2004, quando até agora apenas estavam a ser chamadas as viaturas produzidas de novembro de 2000 a março de 2004.

Apesar de se tratar de viaturas em circulação já há 10 a 14 anos, António Costa garante que, em Portugal, nunca foi registado nenhum problema com o airbag.

“Esta campanha de serviço é meramente preventiva e reflete a preocupação da Toyota na satisfação dos clientes e na salvaguarda da qualidade”, sustentou.

Segundo adiantou à Lusa, “dentro dos próximos dias” a Toyota Caetano Portugal vai “contactar diretamente os clientes de viaturas envolvidas para que se desloquem à rede oficial de concessionários Toyota”, durando o tempo de intervenção “cerca de uma a duas horas e meia, dependendo do modelo” e não estando em causa qualquer custo para o cliente.

Conforme explicou, “esta campanha intervenciona o elemento responsável pelo enchimento do airbag do passageiro – que é do tipo efervescente – o qual pode conter alguma humidade ou carecer da compressão necessária, decorrente do seu fabrico”.

“Esta situação pode fazer com que o enchimento do airbag não corresponda às características pré-definidas pelo construtor, salientando-se, contudo, que este continua em funcionamento no caso de embate”, destacou.

Num comunicado enviado ao Ministério dos Transportes do Japão e hoje noticiado pela agência AFP, a Toyota refere que o defeito detetado no sistema de airbag é passível de originar um incêndio, sendo que um porta-voz da empresa, em Tóquio, disse ter sido recebida uma queixa por parte de um cliente no Japão, dando conta de que o banco do passageiro da sua viatura ardeu parcialmente devido a essa falha.

Esta chamada à revisão acontece depois de, no início de abril deste ano, a Toyota ter anunciado a recolha de 6,39 milhões de viaturas devido a uma série de problemas, incluindo um defeito no banco do condutor e uma falha no motor.

Isto figura com mais um golpe na reputação do construtor japonês, cuja qualidade e segurança têm sido colocadas em causa nos últimos anos na sequência da descoberta de defeitos que têm conduzido às recolhas massivas dos automóveis da marca em todo o mundo.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Quatro mortos em manifestações na Bolívia. São 23 desde o final de outubro

Comissão Interamericana de Direitos Humanos registou pelo menos 122 feridos desde sexta-feira. Já houve 23 vítimas mortais desde o final de Outubro, início da crise social e política na Bolívia. Quatro pessoas morreram no sábado em …

UE acusada de pagar aos próprios traficantes para travar imigração

A União Europeia conta com um processo no Tribunal Penal Internacional interposto por Omer Shatz e Juan Branco. A UE é acusado de pagar aos próprios traficantes para parar a imigração. Omer Shatz, advogado e professor …

Governo quer ter a primeira refinaria de lítio da Europa

O Governo quer abrir a primeira refinaria de lítio no continente europeu. No entanto, João Galamba refere que tudo depende dos resultados do estudo de impacto ambiental das minas. Sem confirmar que venha a haver minas …

Cientistas desvendam novas pistas sobre o maior macaco que já existiu

O mítico "Bigfoot" é uma criatura lendária mas, durante milhões de anos, o verdadeiro — um símio com o dobro do tamanho de um ser humano adulto — percorreu as florestas do Sudeste Asiático, antes …

Preço do tabaco pode aumentar. Decisão cabe ao Governo

Os responsáveis do Programa Nacional para a Prevenção do Tabagismo propuseram um aumento do preço do tabaco, e a decisão depende agora do Governo. Os responsáveis do Programa Nacional para a Prevenção do Tabagismo propuseram um …

Derrocada em Borba. Um ano depois, ainda é uma ferida aberta e problemas continuam

Um ano depois do acidente na pedreira de Borba, o sindicato que representa os trabalhadores garante que os perigos persistem, enquanto a associação Assimagra salienta que foi um caso “isolado” e está a avançar com …

Caracóis estão a ficar amarelos para se adaptarem às alterações climáticas

Nas áreas urbanas, os caracóis estão a ficar com as cascas amarelas para se adaptarem às alterações climáticas. Os cientistas vão agora analisar os padrões das penas dos pássaros, para perceberem se também há uma …

Os terrenos contaminados de Fukushima vão tornar-se num centro de "energia verde"

Fukushima, local que sofreu um dos maiores desastres nuclear do mundo, vai reinventar-se e tornar-se num centro de energia renovável. Depois de ser atingido por um terramoto e um tsunami de 15 metros em 2011, três …

Cientistas identificaram neurónios específicos que mapeiam memórias

Neurocientistas descobriram um aspeto curioso de como a nossa memória funciona: Quando o cérebro precisa de recuperar informação relacionada com um lugar específico, neurónios individuais podem atingir memórias específicas. De acordo com o estudo publicado na …

Grande tempestade de areia pode ter ditado o fim de um império da Mesopotâmia

O Império Acádio da Mesopotâmia entrou em colapso devido a uma enorme tempestade de areia, sugeriu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Hokkaido, no Japão. Em comunicado, os especialistas explicam …