Tondela vs Porto | Dragões garantem vantagem para o Clássico

Paulo Novais / Lusa

O FC Porto fez o que lhe competia para garantir que chegava ao “clássico” do próximo sábado, com o Benfica, no primeiro lugar do campeonato.

Na visita ao Tondela, os “dragões” não deram grandes veleidades aos anfitriões e, mesmo não realizando uma exibição brilhante, venceram por 3-0. Óliver Torres, autor de um golo de levantar o estádio, foi a grande figura de uma equipa que apresentou várias mexidas no “onze” – há jogo da Taça de Portugal na terça-feira, com o Sporting de Braga -, mas que mostrou sempre que a vitória não lhe fugiria.

O Jogo explicado em Números

  • Início de domínio portista, com 56% de posse de bola por altura do 1-0. Aos 11 minutos, Pepe marcou o seu primeiro golo no regresso ao FC Porto, ao rematar com sucesso uma bola afastada pela defensiva da casa, após livre cobrado por Óliver Torres. Um golo ao terceiro remate portista, primeiro enquadrado, mas ao segundo disparo do brasileiro que, aos dois minutos, já havia desperdiçado uma ocasião flagrante.
  • O Tondela só rematou pela primeira vez após o golo portista, e logo duas vezes num curto espaço de tempo, aos 15 e 16 minutos, um deles enquadrado, por António Xavier. Por volta dos 20 minutos, os beirões não passavam dos 37% de posse de bola e modestos 57% de eficácia de passe. Ainda assim esboçavam a primeira reacção, embora sem criarem muito perigo.
  • O jogo perdeu um pouco de qualidade, com o Porto a não conseguir evitar que os homens da casa subissem no terreno. Por volta da meia-hora, ambas as equipas registavam o mesmo número de remates (4) e enquadrados (1), valendo aos “dragões” a melhor pontaria de Pepe. E o beirão Sergio Peña registava o melhor rating do jogo nesta fase, 5.8, fruto, essencialmente, dos dois passes para finalização que somava.
  • Muito perto do descanso, as duas equipas chegavam aos seis remates cada, dois enquadrados para cada uma, parecendo desenvolver-se um duelo especial no que toca aos disparos. Contudo, o Tondela sentia mais dificuldades de penetração, pelo que quatro dos seus remates haviam sido realizados de fora da área.
  • Ainda antes do apito final, Jaquité teve de ser substituído, devido a lesão, numa altura em que já havia ultrapassado o seu colega de equipa Peña na liderança dos ratings, com 6.1, com quatro faltas sofridas, três dribles eficazes (em três) e dois duelos aéreos ofensivos ganhos em quatro.
  • Jogo muito disputado em Tondela, nem sempre bem jogado, mas de muita luta, como demonstram as 19 faltas no primeiro tempo, 13 delas cometidas por jogadores do FC Porto.
  • Os “dragões” chegaram ao descanso na frente do marcador, fruto de um bom arranque de jogo, no qual criaram perigo e marcaram por Pepe. Depois, os “azuis-e-brancos” foram incapazes de impedir a reacção beirã, com os da casa a chegarem ao intervalo com 44% de posse de bola e somente menos dois remates que os visitantes.
  • O melhor em campo nesta fase era Óliver Torres, com um GoalPoint Rating de 6.2, graças a uma ocasião flagrante criada em dois passes para finalização e sete recuperações de posse.
  • Jogo confuso no arranque do segundo tempo, mas mais uma vez o Porto marcou cedo. Aos 52 minutos, Óliver Torres – que já na primeira parte mostrara ser o mais esclarecido – arrancou um pontapé forte de fora da área para o 2-0. Ao décimo remate, quarto enquadrado, o espanhol ampliava, no primeiro remate que realizava.
  • À hora de jogo o Porto tinha os acontecimentos controlados. Mais uma vez, os “dragões” marcavam antes de o Tondela conseguir qualquer remate desde o apito inicial. Nesta fase, apenas dois disparos, ambos dos portistas, apenas um enquadrado, que deu golo, e 55% de posse de bola para os visitantes.
  • Mais uma vez, o Tondela só se aproximou da baliza de Iker Casillas após o tento de Óliver, com dois remates, mas nenhum enquadrado. Ainda assim, os beirões apresentavam uma eficácia de passe melhorada em relação ao primeiro tempo (70%) à passagem dos 70 minutos.
  • Mas a eficácia do Porto na frente de ataque não dava hipóteses e, aos 74 minutos, os “dragões” ampliaram para o 3-0. Yacine Brahimi, recém-entrado na partida, serviu Héctor Herrera e o mexicano rematou para o fundo da baliza de Cláudio Ramos, ao 12º remate da equipa no jogo, quinto enquadrado (3-2 desde o intervalo). Estava definido no vencedor do encontro.
  • Jogo pouco conseguido de Jesús Corona. O mexicano chegava aos 80 minutos com um rating de 4.2 e com um máximo no jogo pouco invejável. Ao todo somava sete maus controlos de bola, para além de três desarmes sofridos e 19 perdas de posse. O extremo pareceu não se adaptar à posição no eixo de ataque portista.
  • O jogo foi-se encaminhando para o fim com o Tondela sem desistir de procurar o golo, mas claramente com a noção de que este seria apenas o tento de honra. Os “dragões”, mesmo com mais bola, preocupavam-se mais em controlar e resguardar-se para o jogo de terça-feira.

O Homem do Jogo

Não podia ser de outra forma. O melhor em campo foi claramente Óliver Torres, o grande “maestro” por detrás do resultado folgado dos “dragões” no terreno do Tondela.

O médio espanhol esteve em todas, terminando com um GoalPoint Rating de 8.1.

À vista salta o golo espectacular que marcou num remate de primeira de fora da área – que pode ver no vídeo abaixo -, mas fez muito mais para merecer a distinção. Para além dos 85% de eficácia de passe, Óliver criou uma ocasião flagrante de golo em dois passes para finalização, acertou oito de 11 passes longos, foi o elemento mais em jogo, com 77 acções com bola, e ainda somou dez recuperações de posse.

Jogadores em foco

  • Adrián López 6.7 – Segundo espanhol do FC Porto, segundo rating mais alto. Após marcar um golo potencialmente decisivo em Roma, o avançado esteve mais uma vez em bom plano, com três remates realizados (um enquadrado), dois passes para finalização, quatro duelos aéreos ofensivos ganhos em oito e três defensivos ganhos em quatro. É obra para um jogador da sua estatura.
  • Felipe 6.1 – Num jogo de muita luta, Felipe conferiu os equilíbrios que a equipa necessitou, perante a reacção do Tondela aos dois primeiros golos. O brasileiro terminou o jogo com nove passes longos certos em dez, todos os cinco duelos aéreos defensivos ganhos e ainda quatro alívios.
  • Jaquité 6.1 – A prova da impotência beirã para discutir o resultado está no facto de o melhor da equipa da casa ter sido Jaquité, que saiu ainda antes do intervalo devido a lesão. O guineense fez um passe para finalização, teve sucesso no único cruzamento que realizou, completou as três tentativas de drible e ganhou dois de quatro duelos aéreos ofensivos.
  • Wilson Manafá 6.1 – O lateral chegou em Janeiro ao Porto, mas aos poucos vai assumindo protagonismo na equipa. O português esteve muito activo no seu flanco, registando dois passes para finalização, um cruzamento eficaz em duas tentativas e um drible completo. Defensivamente não teve muito trabalho, pois o Tondela privilegiou o ataque pelo flanco direito (58% dos lances).
  • Pepe 5.9 – Bom jogo do central. O internacional luso marcou um golo madrugador, o primeiro do jogo, mas já antes havia desperdiçado uma ocasião flagrante – algo que lhe penaliza o rating. Na retaguarda registou dez acções defensivas, entre elas três desarmes, e ganhou os três duelos aéreos defensivos em que participou.

Resumo

PARTILHAR

RESPONDER

Se quer um coração saudável, desligue a televisão e tome um bom pequeno-almoço

É conhecida como a refeição mais importante do dia e não é por acaso. Os hábitos de vida que seguimos diariamente têm um impacto direto na nossa saúde vascular. Numa investigação recentemente apresentada na reunião anual …

Determinada temperatura das bebidas que aumenta risco de cancro

Cientistas da Universidade de Ciências Médicas de Teerão publicaram novas provas sobre a relação entre o consumo de bebidas quentes e o cancro do esófago. De acordo com o estudo publicado na revista International Journal of …

Descobertos 83 buracos negros supermassivos no Universo inicial

Astrónomos do Japão, de Taiwan e dos EUA descobriram 83 quasares alimentados por buracos negros supermassivos no universo distante, numa época em que o Universo tinha menos de 10% da sua idade atual. "É notável que …

Joy Milne consegue cheirar a doença de Parkinson antes de ser diagnosticada

Atualmente, não existe nenhum teste diagnóstico definitivo para o Parkinson, mas isso pode mudar graças a Joy Milne, uma mulher que consegue detetar a doença antes que os sintomas apareçam. Parece demasiado bizarro para ser verdade, …

Filho de José Eduardo dos Santos libertado da prisão. Estava preso desde setembro de 2018

O antigo presidente do Fundo Soberano de Angola, José Filomeno dos Santos, que se encontrava em prisão preventiva desde 24 de setembro de 2018, encontra-se já em liberdade, disse hoje à agência Lusa fonte oficial. A …

Naufrágio no Nilo é a primeira prova de que Heródoto não estava a mentir sobre os barcos egípcios

Um navio naufragado encontrado no rio Nilo pode ter permanecido inalterado durante mais de 2.500 anos. Agora, está finalmente a revelar os seus segredos: cientistas pensam que este navio revelou uma estrutura cuja existência tem …

A gravidade influencia a maneira como tomamos decisões

Todo e qualquer organismo vivo na Terra evoluiu a longo de milhares de anos sob um campo gravitacional constante, com a gravidade desempenhando um papel fundamental no comportamento e na cognição humana. Um estudo recente publicado …

"Atentado" na Disneyland Paris era apenas uma avaria nas escadas rolantes

Por volta das 21h00 em Paris, produziu-se um movimento de pânico na Disney Village, no parque de diversões francês da Disney. Rapidamente se multiplicaram mensagens sobre um "atentado". Ao jornal belga DH, uma fonte afirmou que …

Cientistas alargam limites físicos do grafeno

Até onde vão os limites físicos do grafeno? Uma equipa de cientistas do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), em Braga, respondeu a esta questão e desafiou-os. Uma equipa de investigadores dos Departamentos de Materiais Quânticos …

Ilusionista britânico diz que vai travar o Brexit com o poder da mente

Uri Geller é um ilusionista israelista, com nacionalidade britânica, que se tornou famoso nos anos 1970 em programas de televisão em que realizava demonstrações dos seus alegados poderes paranormais. Agora, Geller deixa um aviso a Theresa …