Há “todos os motivos” para os médicos fazerem greve

Miguel Guimarães / Facebook

Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos

O bastonário da Ordem dos Médicos afirma que existem “todos os motivos” para os médicos fazerem greve. No entanto, vai ainda avaliar a forma de dar apoio à paralisação nacional convocada para abril.

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, disse à Lusa que “existem todos os motivos para os médicos marcarem uma greve”, comentando desta forma a intenção da Federação Nacional dos Médicos (FNAM) de realizar uma greve nacional a 10, 11 e 12 de abril.

“Existem todas as razões e mais algumas para os médicos aderirem a uma greve. Há uma insatisfação total dos médicos e dos próprios sindicatos. Ao que sei, as negociações entre sindicatos e Ordem não têm resultado em rigorosamente nada”, declarou o bastonário, que vai realizar uma reunião da direção nacional da Ordem para analisar a greve.

Nas próximas duas semanas haverá também uma reunião do Fórum Médico, que já estava prevista, na qual será também analisada a greve dos médicos.

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) disse que não descarta a hipótese de se juntar à greve convocada pela FNAM, mas afirmou que ainda acredita no processo negocial que mantém com o Governo.

João Proença, o novo presidente da comissão executiva da FNAM, admitiu, no final de uma reunião do Conselho Nacional, durante o fim de semana, em Coimbra, que a FNAM vai procurar o apoio do Fórum Médico, a plataforma que reúne todas as associações médicas.

A decisão sobre a greve foi tomada “face à incapacidade do Ministério da Saúde em garantir os diversos compromissos já assumidos“, lê-se num comunicado emitido no final do encontro. Além dos três dias de greve, está também prevista uma manifestação em frente ao Ministério da Saúde, em Lisboa, a 10 de abril.

A revisão das carreiras e das grelhas salariais dos médicos – tendo por base o regime das 35 horas semanais, o descongelamento imediato da carreira médica e a devida progressão salarial, bem como o propósito de dar um médico de família a todos os cidadãos estão entre as propostas defendidas pela FNAM.

 

Os médicos pretendem também a abertura de concursos anuais, a criação de um estatuto profissional de desgaste rápido, a separação progressiva dos setores público e privado, além do limite do trabalho extraordinário anual para 150 horas, “em igualdade com toda a outra função pública”.

// Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Já agora porque não incluem nas suas reivindicações, irem para as zonas do interior, para onde não há medico que queira ir e onde tanta faltam fazem?
    Se têm tanta peninha do utente… Vão também para lá senhores doutores! Os utentes agradecem!

  2. Não há nenhum motivo para fazer greves no sector médico, isto porque os salários dos médicos levam quase metade do orçamento de saúde. Se querem fazer greves façam-no privado, a ver vamos se lhes apetece fazer greves no privado.

  3. Nestas notícias de greves de funcionários públicos os Srs jornalistas seja qual for a marca, radio, tv, online, etc., esquecem-se sempre de informar o povo dos respetivos vencimentos e das aspirações futuras. Porque será? Os grevistas proíbem? Ou fazem acordos?

RESPONDER

Cientistas produziram um processador quântico em larga escala feito apenas de luz

Uma equipa internacional de cientistas da Austrália, Japão e Estados Unidos produziu um protótipo de um processador quântico em larga escala feito apenas de luz laser. O mais recente processador quântico é baseado num projeto com …

FIFA investe 449 milhões de euros para desenvolver o futebol feminino

A FIFA anunciou que vai investir 500 milhões de dólares no desenvolvimento do futebol feminino. Em cima da mesa está uma Liga das Nações, um mundial de clubes e torneios para camadas jovens. A FIFA vai …

Escritor famoso escreve livro para ser lido apenas em 2114

O famoso escritor norueguês Karl Ove Knausgaard, autor de romances como A Morte do Pai e a Ilha da Infância, onde explora a sua história pessoal e o seu dia a dia, aceitou escrever um …

PS deverá aprovar recandidatura de Ferro à presidência da Assembleia da República

O Grupo Parlamentar do PS vai reunir-se na quinta-feira, com a presença do secretário-geral, António Costa, ocasião em que deverá aprovar a recandidatura de Ferro Rodrigues ao cargo de presidente da Assembleia da República. Fonte oficial …

Perito revela que arma que investigação diz que matou Luís Grilo foi adulterada

O perito que examinou a arma que, segundo o Ministério Público, António Joaquim usou para matar o triatleta Luís Grilo revelou hoje em tribunal que o revólver foi adulterado, não conseguindo garantir se essa foi …

Cientistas criam vasos sanguíneos artificiais funcionais

Cientistas nos Estados Unidos usaram impressão 3D para fabricar vasos sanguíneos funcionais que poderão vir a ser usados clinicamente em casos de doenças vasculares. O resultado das experiências é relatado num estudo publicado esta terça-feira no …

Ordem suspende durante seis meses obstetra do caso do bebé sem rosto

O Conselho Disciplinar do Sul da Ordem dos Médicos decidiu suspender preventivamente o obstetra envolvido no caso do bebé que nasceu em Setúbal com malformações graves. A informação foi avançada à Lusa por fonte oficial da …

A China está a criar porcos gigantes (tão grandes como ursos polares)

https://vimeo.com/368036025 Porcos tão pesados como ursos polares. Esta é a solução encontrada por produtores chineses de porcos que tentam resolver o problema da falta de carne no mercado, muito por culpa da gripe suína africana dizimou …

Rússia e Síria vão partilhar controlo do nordeste sírio

O Presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse hoje que a Turquia e a Rússia alcançaram um acordo pelo qual as forças curdas da Síria vão recuar 30 quilómetros a partir da zona fronteiriça do nordeste …

Câmara dos Comuns aprova acordo do Brexit (mas rejeita calendário apertado)

A Câmara dos Comuns aprovou esta terça-feira a primeira votação do acordo para o Brexit. No entanto, a calendarização da saída foi rejeitada numa segunda votação, deixando um impasse na data para o Brexit. Pela primeira …