“Tirámos Trump de lá”. Funcionário admite que CNN quis ajudar Biden a vencer eleições

Jim Lo Scalzo / EPA

Último debate presidencial entre os candidatos à Casa Branca, Donald Trump e Joe Biden

Um funcionário da CNN falou abertamente com um jornalista infiltrado sobre as motivações políticas que a emissora teve durante a eleição presidencial de 2020.

A investigação foi divulgada pela Fox News, que relatou que o funcionário da emissora norte-americana CNN se gabou a um jornalista infiltrado de que o meio de comunicação ajudou a derrotar o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

A mesma fonte até chamou à cadeia televisiva, para a qual trabalha, de “propaganda”.

Segundo a Fox News, o diretor técnico da CNN, Charles Chester, esclareceu que a emissora queria remover o seu inimigo da Casa Branca e ajudar o agora Presidente Joe Biden.

“Veja o que fizemos, tirámos Trump de lá”, disse Chester, em tom de comemoração. “Eu vou 100% dizer isso. E eu 100% acredito que se não fosse pela CNN, eu não sei se Trump teria sido eliminado.”

Este tipo de vídeos podem ser editados e tirados do contexto. Contudo, muitos comentários feitos por Chester ao longo do vídeo são longos e mostram-no a proferir frases claras e completas.

Numa série de reuniões com um jornalista infiltrado no mês passado, Chester – que se gabou de estar “um degrau abaixo” de diretor – afirmou que a CNN estava “a criar uma história” que questionava a saúde de Trump, chamando a este processo de “propaganda” para ajudar a remover Trump do cargo.

“Trouxemos tantos médicos para contar uma história, que era tudo especulação de que estava neurologicamente doente, que estava a perder o controlo, de que é impróprio para qualquer coisa”, disse Chester. “Estávamos a criar uma história da qual nada sabíamos.”

Por outro lado, segundo Chester, a CNN também queria promover a saúde e a boa forma de Biden. “Mostrávamos sempre fotografias dele [Biden] a correr… com os seus óculos de aviador e (…) como um jovem geriátrico”, disse Chester. “Acho que o ajudámos a superar esse período”.

Chester revelou ainda que, após o “cansaço da covid” da cobertura da CNN, quando o público estiver “aberto a isso”, a rede “passará a focar-se principalmente no clima”. “O nosso foco era tirar Trump do cargo”, continuou. “Então, o nosso próximo passo será a consciencialização sobre as mudanças climáticas.”

“Quem decide isso?”, continuou a questionar o jornalista. Chestes respondeu que é o “chefe da rede” quem toma as decisões, referindo-se ao presidente da CNN, Jeff Zucker.

De acordo com o LinkedIn, Chester trabalha com a CNN desde 2018 e já trabalhou em vários programas, incluindo “New Day”, “Cuomo Prime Time” e “CNN Tonight”.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Bons hábitos alimentares podem reduzir a probabilidade de contrair covid-19

Um novo estudo indica que as pessoas que comem muitas frutas e vegetais podem ter menos probabilidades de contrair covid-19. Num pesquisa que envolveu 590 mil adultos, os investigadores descobriram que as pessoas que eram adeptas …

Inteligência Artificial está a "alimentar" a violação dos direitos humanos, alerta ONU

Num novo relatório, a Organização das Nações Unidas (ONU) alertou os países que o uso imprudente de Inteligência Artificial (IA) pode estar a pôr em causa o respeito pelos direitos humanos. Michelle Bachelet, Alta Comissária das …

Foi viajar e não voltou. O misterioso desaparecimento de Gabby Petito (e do namorado)

Gabrielle Petito, uma jovem norte-americana de 22 anos, desapareceu misteriosamente. Gabby foi viajar com o namorado, que voltou para casa sozinho e não quis contar o que aconteceu — e agora também está desaparecido. Gabby Petito, …

Aos 101 anos, Ginny é a "Senhora Lagosta" e não planeia reformar-se

Virginia Oliver continua a trabalhar na pesca da lagosta, apesar de já ter 101 anos de idade. 'Ginny' não planeia reformar-se e já se tornou um meme na internet. Virginia 'Ginny' Oliver tem 101 anos e …

Dinamarca. Reclusos condenados a prisão perpétua proibidos de iniciar novos romances

Os reclusos que cumprem prisão perpétua na Dinamarca serão proibidos de iniciar novos relacionamentos amorosos, decisão proposta pelo governo após uma jovem de 17 anos se apaixonar por Peter Madsen, que assassinou a jornalista Kim …

Casal queria que o seu filho se chamasse Vladimir Putin. A Suécia não deixou

Na Suécia, os pais são obrigados a comunicar os nomes dos seus filhos recém-nascidos ao Skatteverket nos primeiros três meses a partir do nascimento. Um casal sueco, que vive na cidade de Laholm, foi proibido pela …

44 jogos seguidos sem ganhar. Mas o presidente não está preocupado

O Atlético Mogi não vence qualquer jogo oficial há mais de quatro anos. Perdeu em 42 desses 44 duelos. 17 de Junho de 2017 foi o último dia em que o Atlético Mogi venceu um jogo …

Autárquicas: António Costa promete que os municípios terão mais mil milhões de euros

O secretário-geral do PS, António Costa, indicou hoje, em Celorico de Basto, no distrito de Braga, que os municípios “vão passar a ter, a partir de abril, mais mil milhões de euros que acompanham a …

Mais de trinta anos após ter sido lançada ao mar no Japão, mensagem em garrafa é encontrada no Hawaii

Durante uma viagem ao Hawaii, uma jovem de apenas 9 anos encontrou uma garrafa que foi lançada ao mar há mais de trinta anos. Esta continha uma mensagem que, posteriormente, acabou por revelar uma experiência …

Mais 939 infeções, sete mortes e nova redução nos internamentos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 939 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, sete mortes atribuídas à covid-19 e nova redução nos internamentos em enfermaria e cuidados intensivos. De acordo com o boletim epidemiológico da …