Há 50 anos a terra tremeu (e o país entrou em pânico)

dr cafeportugal.pt

A 28 de fevereiro de 1969 Portugal sentiu o seu último grande sismo, o mais importante em termos de efeitos sentidos em Portugal e na Europa desde 1900 até à atualidade.

Com epicentro no mar, cerca de 200 quilómetros do cabo de São Vicente e 250 da capital, o sismo ocorreu de madrugada, pelas 3h41, com uma magnitude entre os 7,3 e os 7,9 graus, recorda o jornal Público.

Foi sentido em todo o país e o medo que provocou está patente nas primeiras páginas dos jornais da época. “Noite de pânico”, escreveu o Diário de Lisboa, enquanto O Século sublinhava o “pânico e prejuízos em todo o país”.



Para assinalar este sismo e falar de riscos sísmicos, há uma cerimónia de evocação esta quinta-feira de manhã na Fortaleza de Sagres, onde estará o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e uma outra em Lagos.

Há 50 anos, o sismo não só causou danos materiais como originou 13 vítimas mortais em Portugal Continental, sobretudo na zona litoral do Algarve – duas mortes como “consequência direta do sismo e 11 indiretas”, escrevem os geofísicos Miguel Miranda e Fernando Carrilho, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera. “O sismo provocou alarme e pânico entre a população, cortes nas telecomunicações e no fornecimento de energia elétrica”.

Foi no Algarve que o sismo teve uma maior intensidade. Depois de a crosta terrestre que originou o abalo se ter rompido no mar – e que teve epicentro entre o banco de Gorringe e a planície abissal da Ferradura –, ocorreu ainda um pequeno tsunami. Registado por instrumentos, essa onda de pequena dimensão originada pelo sismo passou, no entanto, despercebido para a população.

Os países vizinhos, como Espanha e Marrocos, também sentiram o abalo e reportaram vítimas. O sismo foi sentido até 1.300 quilómetros de distância do epicentro – em Bordéus (França), em Marrocos e em Espanha, nomeadamente nas ilhas Canárias.

O sismo de 1969 não foi, contudo, o maior que atingiu Portugal durante o século XX. Em 1941, ao largo de Portugal, gerou-se um sismo 8,4 de magnitude. Em 1980, o sismo que provocou grande destruição em Angra do Heroísmo (com 6,8 graus de magnitude) matou 61 pessoas, 400 ficaram feridas e desalojou 21 mil. Em 1906 o sismo de Benavente teve uma magnitude à volta de seis, causou 46 mortes e 75 feridos.

“A rede sísmica melhorou muito desde o sismo de 1969 em diversas etapas nos anos 80, 90 e 2000”, diz Fernando Carrilho. “O que ainda pode faltar é sermos capazes de caracterizar ao detalhe, de forma muito fina e rápida, a distribuição da intensidade, para percebermos o impacto que um sismo vai ter”, considera o geofísico.

Olavo Rasquinho, até há poucos dias presidente da Associação Portuguesa de Meteorologia e Geofísica, disse ao Público que há “falta de rigor na aplicação da regulamentação sobre a construção e os riscos sísmicos”.

Também Luís Matias, do Instituto Dom Luiz, em Lisboa, e membro da direção Sociedade Portuguesa de Engenharia Sísmica, destaca precisamente que “não são os sismos que matam as pessoas, mas os edifícios”. “Temos também de saber reconstruir melhor, atendendo ao aumento da atividade de restauro que não está a salvaguardar a vulnerabilidade sísmica”, acrescenta o geofísico.

“O risco sísmico vem de três fatores: perigosidade, não sabemos quando os sismos vão acontecer; vulnerabilidade dos edifícios, podemos construir melhor; a exposição, se tivermos pessoas e valores dentro de um interior, há sempre risco e é elevado”, resume.

Para assinalar os 50 anos do sismo, Luís Matias organizou um dossier digital que reúne vários jornais portugueses com notícias do sismo de 1969. O República pôs em manchete que “A terra tremeu”. O Diário de Notícias escreveu “forte tremor de terra sacudiu quase todo o país”. Já o Comércio do Porto disse: “O violento fenómeno telúrico que fez tremer o solo desde o Algarve até ao Minho”.

A recolha vai dar lugar à exposição “O sismo de 1969 na imprensa portuguesa”, que andará por vários pontos da cidade de Lisboa.

  ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Rorhwerk, o maior instrumento musical do mundo

Rohrwerk, uma obra de arte efémera, é a maior "fábrica do som" do mundo

Uma espécie de "pavilhão do som". Alunos da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, criaram um novo instrumento musical, o maior alguma vez construído. Com 45 metros de altura, a obra de arte imponente …

Costa já pediu desculpas às confederações patronais. "Houve um lapso"

O primeiro-ministro afirmou, esta sexta-feira, que já apresentou um pedido de desculpas às confederações patronais por o Governo ter aprovado duas medidas na área do trabalho sem antes as ter apresentado em Concertação Social. À chegada …

Luxemburgo torna-se o primeiro país da Europa a legalizar o cultivo e consumo de canábis

O Governo luxemburguês anunciou, esta sexta-feira, que o país será a primeira nação do Velho Continente a legalizar o cultivo e o consumo de canábis. De acordo com a nova legislação, explica o jornal The …

Prisão preventiva para suspeitos da morte de jovem no metro das Laranjeiras

Os quatro suspeitos da morte de um jovem, na quarta-feira, na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa, ficaram em prisão preventiva, depois de presentes a primeiro interrogatório judicial. Os quatro arguidos, com idades entre os …

Cristiano vs. Salah: Klopp não queria comparar mas comparou

Treinador do Liverpool não acredita que vai encontrar um adversário debilitado: "Eles são capazes de fazer coisas incríveis". É o grande jogo de futebol no Reino Unido e um dos mais aguardados em todos os países: …

Bastonário dos Médicos considera direção executiva do SNS "um disparate"

O bastonário da Ordem dos Médicos considera que a criação da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde, proposta no Estatuto do SNS aprovado esta quinta-feira, é "um disparate" e que há estruturas que podem …

João Leão no Parlamento: "A alternativa é um Orçamento apresentado pelo PSD"

O ministro das Finanças afirmou, esta sexta-feira, na Assembleia da República, que a alternativa à viabilização à esquerda da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) é um Orçamento feito pelo PSD. "A alternativa que …

Mais de 30 mil mulheres polacas recorreram a métodos de aborto ilegais ou no estrangeiro desde a alteração na lei

Proibição à interrupção voluntária da gravidez entrou em vigor no início deste ano e as  exceções só se aplicam a casos de violações, incestos ou quando a saúde da mãe está em risco. Pelo menos 34 …

Fenprof anuncia nova greve no dia 12 e concentração em frente ao Parlamento

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anunciou, esta sexta-feira, a realização de uma concentração em frente à Assembleia da República no dia 5 de novembro e a adesão à greve nacional da Administração Pública marcada …

Luis Díaz será a prioridade do Newcastle

Valor de mercado será agora inacessível para os clubes italianos, escreve-se... em Itália. O novo Newcastle deverá atacar o mercado do futebol com estrondo, possivelmente já daqui a pouco mais de dois meses, e a prioridade …