A Terra está a comer os seus próprios oceanos

(CC0/PD) Samir Belhamra / pexels

A quantidade de água puxada por zonas de subducção “é incompreensível”, dizem os cientistas

À medida que as placas tectónicas da Terra mergulham umas nas outras, arrastam 3 vezes mais água para o interior do planeta do que se pensava – e essa quantidade de água não está a ser devolvida pelas erupções vulcânicas.

Usando os sismos naturais da zona de subducção propensa a terremotos na fossa das Marianas, onde a placa do Pacífico está a deslizar por baixo da placa das Filipinas, uma equipa de investigadores da Universidade de Washington estimou a quantidade de água que está a ser incorporada nas rochas mais profundas sob a superfície da Terra.

Os resultados do estudo foram apresentados num artigo publicado a 14 de novembro na revista Nature. A descoberta tem grandes implicações no entendimento do ciclo das águas profundas da Terra, segundo explica a especialista em geologia marinha e geofísica norte-americana Donna Shillington.

A água por baixo da superfície da Terra pode contribuir para o desenvolvimento do magma e lubrificar as falhas tectónicas, tornando os terremotos mais prováveis, explica Shillington, que não esteve envolvida no estudo.

A água é armazenada na estrutura cristalina dos minerais e incorporada na crosta terrestre, quer quando as placas oceânicas se formam quer quando as mesmas fraturam.

Este processo de subducção é a única forma pela qual a água penetra profundamente na crosta e no manto, mas pouco se sabe sobre a quantidade de água que se move durante o processo, explica Chen Cai, autor principal do estudo.

Os investigadores usaram dados recolhidos por uma rede de sensores sísmicos posicionados em redor da fossa central das Marianas no oeste do Oceano Pacífico. A parte mais profunda da fossa está localizada a quase 11 quilómetros abaixo do nível do mar. Estes sensores detetam terremotos e réplicas que ecoam na crosta terrestre.

Chen Cai e a sua equipa analisaram a rapidez com que esses tremores viajavam: uma desaceleração na velocidade indicaria fraturas cheias de água em rochas e minerais “hidratados” que prendem a água dentro dos seus cristais.

Falta de água

Os investigadores observaram essa desaceleração profunda na crosta, cerca de 30 quilómetros abaixo da superfície. Usando as velocidades medidas, a equipa calculou que as zonas de subducção arrastam 3 mil milhões de teragramas de água para a crosta a cada milhão de anos.

“A quantidade de água puxada nas zonas de subducção é incompreensível“, disse Cai. “É três vezes mais água do que se estimava que as zonas de subducção recebessem”.

Isto levanta algumas questões: a água que é arrastada para baixo tem necessariamente que subir — geralmente, no conteúdo de erupções vulcânicas. A nova estimativa sobre a quantidade de água que está a ser absorvida é maior do que as estimativas da quantidade que está a ser expelida por vulcões — o que significa que falta alguma coisa nas estimativas dos cientistas.

Segundo o investigador, não falta água nos oceanos.

“Isso significa que a quantidade de água arrastada para o interior da crosta e a quantidade de água expelida nos vulcões deveriam ser aproximadamente iguais. O facto de não o serem sugere que há algo sobre a forma como a água se move através do interior da Terra que os cientistas ainda não conseguiram entender.

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Terremotos??? Frases imprecisas que culminam na falta de sentido das mesmas, erros ortográficos gravíssimos, etc. Não me querem dar emprego?! Sobre o “trabalho” que estes vossos tradutores/redactores fazem, garanto que consigo fazer bem melhor!

    • ter·re·mo·to
      (latim terrae motus, movimento de terra), substantivo masculino
      O mesmo que terramoto.
      in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

      Obrigado pelo seu reparo.
      Pode por favor apontar concretamente que erros ortográficos gravíssimos encontrou no texto? Gostaríamos de os corrigir.

      • “Terremoto” é português brasileiro, em português é “terramoto”, a forma mais correcta (do latim terra-, «terra» +motu-, «agitado», particípio passado de movēre, «mover; agitar»).

        • Cara Ana C,
          Obrigado pelo seu reparo.
          O ZAP usa habitualmente a forma “terramoto”. Mas terremoto não é “brasileiro”.
          O dicionário Priberam, que usamos em casos de dúvida e que reputamos como bom, não identifica o termo “terremoto” como sendo a grafia brasileira do termo português (algo que faz quando assim é o caso), mas como sinónimo do termo português.
          Assim sendo, continuaremos a usar por norma a expressão “terramoto”, mas não vemos necessidade de, nesta peça, corrigir um termo que não está incorrecto.

  2. E claro me perdoe , mas pode ser a falto do petróleo que é retirado ?? Posso ser irônico mas para mim o petróleo e um amortecedor e lubrificador da terra , se usarmos o petróleo sabiamente a terra agradece

  3. Vanderlei por acaso já tinha pensado em algo do género também, no planeta Terra tudo tem uma razão de estar lá, seja o que for…….

RESPONDER

Bebé nos EUA nasceu sem pele (e ainda não se sabe porquê)

Um bebé no Texas, nos EUA, nasceu sem pele na maior parte do seu corpo. Ja'bari Gray nasceu a 1 de janeiro e pesava apenas 1,4 quilogramas. O menino não tem pele na maior parte do …

Os donos de cães são mais felizes que os donos de gatos

O mundo está dividido em dois: amantes de cães e amantes de gatos. Um estudo acaba de revelar que os donos de cães são mais felizes do que os donos de felinos. Será que os donos …

Estávamos quase a perder um osso do joelho (mas afinal está de volta)

Algumas pessoas têm um osso extra no joelho, conhecido como fabela. Ninguém identificou um propósito para o osso, que até aumenta o risco de artrite. Não era uma surpresa que o osso estivesse a tornar-se cada …

Explosões em hotéis e igrejas no Sri Lanka fazem 200 mortos. Há um português entre as vítimas

Uma série de oito explosões simultâneas em quatro hotéis, um complexo de casas e três igrejas no Sri Lanka deixou pelo menos 207 mortos, entre os quais nove estrangeiros, e 469 pessoas feridas. Um dos …

Os ratos (também) têm sentimentos

Cientistas detetaram “neurónios-espelho” nos ratos. Quando um rato sofre, as células que o seu cérebro ativa são as mesmas do que quando vê um outro rato sofrer. A dor é partilhada e transversal, exatamente como …

Milhares de peregrinos vão a Shingo em busca de Jesus (que, diz a lenda, ali está enterrado)

Jesus não morreu aos 33 anos, mas aos 109. Casou e teve três filhas. Quem foi crucificado em Jerusalém foi o seu irmão. Estas são as crenças de um pequeno grupo de cristãos que vivem …

Os Simpsons fazem 30 anos a celebrar o seu dia internacional

A série sobre uma das famílias mais queridas da televisão mundial "Os Simpsons" vai fazer em dezembro 30 anos desde a sua estreia neste formato, mas as comemorações começam já esta sexta-feira com direito a …

Só as mulheres podem parar o Apocalipse nuclear

O aumento da participação feminina no setor nuclear ajudaria a reduzir a ameaça de um Apocalipse, afirmou recentemente a analista Xanthe Scharf. O conflito nuclear continua a ser a maior ameaça imediata à segurança global. Os …

Esqueleto que caiu de um penhasco pode ter pertencido a uma princesa

Há mais de um século, um tronco esculpido que continha o antigo esqueleto de uma mulher caiu de um penhasco à beira-mar na pequena vila costeira polaca de Bagicz. Agora, os investigadores determinaram que a mulher …

Apanhado no Facetime. Prisão perpétua para português por violação e agressão em Inglaterra

Um português a residir em Inglaterra foi condenado a prisão perpétua por violação e agressão a uma jovem de 19 anos, tendo uma captura de ecrã durante uma chamada de FaceTime sido um elemento chave. Samuel …