Tensão no Mediterrâneo. Macron envia ajuda militar à Grécia em conflito com a Turquia

(dr) Ministère des Armées

O porta-helicópteros da Marinha Francesa Tonnere

O presidente Emmanuel Macron anunciou, quarta-feira, o envio de forças francesas para o Mediterrâneo Oriental. A intenção turca de procurar petróleo e gás no fundo do mar, tem criado tensão política entre a Grécia e a Turquia – dois países tradicionalmente envolvidos em disputas diplomáticas e militares. Agora os franceses pretendem fornecer assistência militar à Grécia.

De acordo com o Wall Street Journal, à medida que os EUA se desligam dos conflitos no Mediterrâneo Oriental, a França tem-se envolvido mais nas questões políticas que ocorrem na zona. O país é a potência militar mais forte da União Europeia, e é a única nação com armas nucleares.

Agora, o governo de Macron está mais uma vez a enfrentar a Turquia, que é também membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO). Esta decisão, anunciada no Twitter em francês e grego, posiciona a França como um ator importante na disputa marítima sobre potenciais campos de gás e petróleo no Mediterrâneo Oriental.

De acordo o Ministério da Defesa francês, a frota destacada para o Mediterrâneo inclui a fragata La Fayette, o porta-helicópteros de assalto anfíbio Tonnerre e dois caças Rafale.

A Turquia enviou esta semana o navio de exploração sísmica Oruc Reis, acompanhado por navios de guerra, para a área que pretende dominar. O país tem feito reivindicações sobre o que a Grécia e o Chipre consideram ser as suas próprias zonas económicas exclusivas, pretendendo com isso alargar o seu território marítimo para conseguir explorar petróleo e gás.

Foi neste contexto que o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakiso, pediu ajuda a Macron, que expressou solidariedade com qualquer membro da UE que veja a soberania contestada, e considera que “a situação no Mediterrâneo é alarmante, pois as decisões unilaterais da Turquia em questões de exploração de petróleo provocam tensões”.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse por seu turno que o seu país não tem como objetivo alimentar a tensão na região, mas sim defender os seus interesses nacionais. “Não vamos deixar ninguém nos enganar sobre o que é nosso”.

Num discurso televisivo, esta quinta-feira, Erdogan garantiu que “não é a Turquia que aumenta a tensão no Mar Mediterrâneo, mas sim uma mentalidade grega que tenta ignorar a Turquia e a República da Turquia do Chipre do Norte”, num referência às reivindicações turcas no norte de Chipre, que não são reconhecidas internacionalmente.

O apoio por parte dos franceses à Grécia pode também ter origem nas relações pouco amistosas que Macron e Erdogan desenvolveram nos últimos anos — especialmente depois de uma força naval turca quase ter atacado uma fragata francesa que transportava armas das Nações Unidas, ao largo da Líbia, em junho. Macron acusou a Turquia de “responsabilidade criminal” por fomentar a guerra civil na Líbia.

A Turquia tem vindo a contestar há muito tempo que as ilhas gregas tenham direito a uma zona económica exclusiva (ZEE). Em novembro do ano passado, o país assinou um acordo de delimitação marítima, com um dos dois governos da Líbia, que corta grande parte da zona da Grécia. Este mês, a Grécia e o Egito selaram um acordo rival de delimitação da ZEE que se sobrepõe às reivindicações turcas e líbias.

Ismail Hakki Pekin, ex-chefe de inteligência militar da Turquia, considera que os franceses querem “eliminar a Turquia por causa do gás natural e do petróleo na região do Mediterrâneo. Este é o principal motivo da disputa entre a Turquia e a França”.

Contudo, um alto funcionário francês garante que responder às ações turcas no Mediterrâneo deve ser uma prioridade para toda a UE, e não só para a França. “Erdogan preenche o vazio, assume posições e cria situações que parecem perigosas para nós. É um problema de estabilidade estratégica que está muito perto da UE ”, explica o funcionário.

As autoridades francesas temem que o papel ativo da Turquia na guerra civil na Líbia, para onde enviou milhares de militantes sírios, dê a Erdogan a capacidade de enviar migrantes para a UE.

A influência turca começa também a ganhar peso no Líbano, especialmente entre os muçulmanos sunitas da classe trabalhadora no norte do país. O vice-presidente da Turquia, Fuat Oktay, e o ministro dos Negócios Estrangeiros, chegaram a Beirute no dia seguinte à visita de Macron, prometendo ajuda à reconstrução e oferecendo cidadania turca aos libaneses que afirmam ter ascendência turca.

Contudo o domínio da Turquia no Líbano não é tão forte quanto o da França. Segundo Alain Aoun, “para os libaneses, a França continua a ser a pátria-mãe”. O legislador libanês explica que “a visita de Macron (após as explosões) quebrou o isolamento que estávamos a sentir no Líbano. Veio aqui como porta-voz da comunidade internacional, não apenas como presidente da França”.

Com cada vez mais compromissos na agenda internacional, os franceses correm o risco de se expandirem demais, advertiu François Heisbourg, um conselheiro especial da Strategic Research Foundation, que foi assessor de Macron em questões de defesa e segurança nacional.

Para Heisbourg este envolvimento de França, em questões no mediterrâneo oriental pode não ser assim tão benéfico para a política externa do país. “Estamos a tentar fazer malabarismos com a bola da Líbia, estamos a tentar fazer malabarismos com a bola do Mediterrâneo Oriental, estamos a tentar fazer malabarismos com a bola do Líbano e, enquanto isso, também temos esse a questão do Níger”, disse Heisbourg.

“Há demasiadas bolas no ar”, considera o ex-assessor de Macron, que compara a política externa de França a uma prática de malabarismo.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. “O país é a potência militar mais forte da União Europeia, e é a única nação com armas nucleares.”
    Então… e a Inglaterra? Deixou de ter armas nucleares!?

RESPONDER

Faca feita de fezes entre os vencedores deste ano dos prémios Ig Nobel

Uma faca feita com fezes congeladas e um jacaré a arrotar são alguns dos vencedores dos prémis Ig Nobel, que distinguem as invenções mais incomuns. Os prémios Ig Nobel – uma paródia dos prémios atribuídos pelas …

O hemisfério norte teve o verão mais quente de que há registo (e isso é um sinal de alerta para a Terra)

O hemisfério teve em 2020 o verão mais quente de que há registo. No geral, o Planeta Terra teve três dos meses mais quentes, e o mês de agosto foi o segundo mais quente que …

Há uma nova explicação para o naufrágio do Titanic: Uma fantástica Aurora Boreal

Todos conhecemos a história do Titanic. Também todos sabemos que o seu naufrágio aconteceu após o grande navio ter embatido num iceberg. Contudo, um investigador americano põe novas hipóteses em cima da mesa. E se …

Famalicão 1-5 Benfica | "Águia" faminta com nota artística

Após a desilusão de Salónica, que ditou um adeus precoce dos milhões da fase de grupos da Liga dos Campeões, o Benfica goleou na noite desta sexta-feira o Famalicão por 5-1, numa espécie de redenção. Neste …

O anonimato de Banksy teve um custo. Perdeu os direitos sobre uma das suas obras mais icónicas

O famoso artista de rua britânico Banksy perdeu uma longa batalha judicial pelos direitos autorais da obra "The Flower Thrower", contra a Full Colour Black, empresa que produz postais de felicitações. Banksy, o misterioso artista que, …

Reino Unido e Espanha aumentam restrições. Itália e Alemanha com quase dois mil casos

Madrid restringe movimentos de 850 mil pessoas, Itália regista um aumento dos casos de infeção nas últimas 24 horas, britânicos enfrentam novas restrições no país e Alemanha com dois mil novos casos de covid-19. A região …

Trump novamente acusado de assédio sexual. "Enfiou a língua na minha garganta", disse Amy Doris

O Presidente dos EUA, Donald Trump, foi acusado esta quinta-feira de agressão sexual por uma ex-modelo, num episódio que alegadamente terá ocorrido num torneio de ténis, em 1997. A ex-modelo Amy Dorris relatou ao jornal britânico …

Ventura pondera suspender mandato para se dedicar à campanha presidencial

O presidente do Chega afirmou hoje que o seu partido "está a analisar" no plano jurídico a questão da suspensão temporária do seu mandato de deputado para se dedicar às campanhas dos Açores e presidenciais. Em …

Schumacher está em estado vegetativo e dificilmente recupera, avisa neurologista

Um neurologista ouvido num documentário da RMC Sport diz que o ex-piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher está em estado vegetativo e dificilmente recuperará. Já passaram quase sete anos desde que Michael Schumacher sofreu um acidente …

Processos com acórdãos a meias entre Rangel e Galante estão em risco

Durante dez anos, centenas de acórdãos do Tribunal da Relação de Lisboa foram feitos a meias entre Rui Rangel e Fátima Galante. Agora, esses processos estão em risco. A Procuradoria-Geral da República anunciou esta sexta-feira a …