Teerão está a afundar-se (e pode ser tarde demais para a recuperar)

wsrmatre/ Flickr

Vista de Teerão, capital do Irão

O terreno está a alterar-se sob a capital do Irão, Teerão, lar de aproximadamente 15 milhões de pessoas e a maior cidade por população no oeste da Ásia.

Imagens de satélite de alta resolução revelaram recentemente que, em alguns lugares, a metrópole do Médio Oriente está a afundar-se cerca de 25 centímetros por ano.

Cientistas investigaram dados de satélites da capital desde 2003 a 2017 e descobriram um afundamento significativo – também conhecidos como subsidência – em cerca de 10% do centro da cidade e em muitas aldeias na região noroeste de Teerão, segundo um artigo publicado em 30 de novembro na revista Nature.

Um efeito colateral da subsidência é o súbito aparecimento de fendas e buracos gigantes em algumas áreas. Num caso específico, um homem que trabalhava numa quinta ficou preso durante horas numa vala com seis metros de profundidade, depois de uma fenda se abrir, referiu Ali Beitollahi, do Building and Housing Research Center em Teerão.

As fendas que se formaram perto dos campos também estão a afetar as culturas, uma vez que drenam a água destinada a irrigar a terra.

Neste novo estudo de dados de satélite, os investigadores descobriram que a atual taxa de subsidência de Teerão está entre as mais altas do mundo, com as perdas de água subterrânea impulsionadas pela drenagem, construção de barragens e uma população em expansão.

Outra descoberta preocupante foi que as chuvas não estão a reabastecer as reservas de água subterrânea, sugerindo que já pode ser tarde demais para a recuperação da terra.

Mas Teerão não é a única cidade que se está a afundar. Observações de satélite também mostraram que Veneza, em Itália; partes do oeste do Texas e litoral da Louisiana; o Vale San Joaquin da Califórnia e o Aeroporto Internacional de São Francisco estão a ser vítimas de subsidência.

Estudos anteriores apontaram a drenagem de águas subterrâneas como a causa do naufrágio de Teerão, que já estava em andamento no início dos anos 2000. Os primeiros sinais de afundamento surgiram em áreas agrícolas.

Desde 2003, o problema tem sido nas áreas urbanas no leste, onde os efeitos do solo afundado de Teerão são visíveis em edifícios e estradas enviesados.

A perfuração ilegal de poços está a aumentar ainda mais a pressão sobre a diminuição das águas subterrâneas, aumentando também o risco de acelerar o afundamento. As autoridades do governo estão a tentar reprimir os poços ilegais, mas enquanto 100 mil já foram fechados, estima-se que ainda existem 30 mil.

O afundamento que já ocorreu é irreversível, uma vez que o solo não está a conseguir recuperar-se, mesmo depois da chuva, o que sugere que a porosidade da rocha foi permanentemente perdida. Essa perda pode levar a enchentes, já que, sem poros, a água não mais nenhum lugar para onde ir.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Ainda não começaram a ver, porque os migrantes, estão a querer sair d’aqueles países ? Eles irão também afundar. O que acontece, é que eles, migrantes, sem qualquer medo, estão a ser empurrados pela Mão do UNIVERSO, para não seres também afundados. esperem para ver. São muitos dos resgatáveis, que irá acontecer. Não acreditam, não é! Aguardem.

RESPONDER

Virgin Galactic abre as portas do primeiro aeroporto espacial do mundo

A empresa norte-americana Virgin Galactic, do bilionário Richard Branson, está a preparar o primeiro aeroporto espacial comercial do mundo, tendo revelado esta semana algumas das imagens daquelas que vão ser as instalações. O aeroporto, localizado …

A Internet está a regar esta planta há três anos

A comunidade online do Reddit tem tratado de uma planta durante três anos. Os utilizadores escolhem diariamente se a planta de ou não ser regada. Tudo começou com uma pequena brincadeira no Reddit, um dos maiores …

O pulmão de um chinês colapsou (e a culpa foi do karaoke)

O pulmão de um homem de 65 anos, na China, colapsou após ter tentado atingir uma nota alta durante uma intensa sessão de karaoke. O homem, residente em Nanchang, na província de Jiangxi, teria estado a …

"Emergência nacional". Deputados pedem a Boris que convoque imediatamente o Parlamento

Mais de 100 deputados britânicos pediram, numa carta divulgada este domingo, ao primeiro-ministro Boris Johnson para convocar imediatamente o Parlamento e voltar a debater o Brexit. As férias de verão do Parlamento terminam normalmente a 03 …

Rambo Luso. Há um português a viver na selva venezuelana há 25 anos

Há 25 anos que o português António Pestana Drumond realiza expedições às regiões de selva do Delta Amacuro e do Parque Nacional Canaima, leste da Venezuela, onde é conhecido pelos indígenas locais como o Rambo …

Já é possível saber se alguém está a mentir. Basta olhar nos olhos

Os olhos não mentem. Pelo menos é o que acham os investigadores da Universidade de Stirling, na Escócia, que criaram uma prova que diz se a pessoa está a mentir ou não com a monitorização …

NASA detetou (e mediu) o primeiro choque interplanetário

A Multiscale Magnetospheric Mission (MMS) da agência espacial norte-americana conseguir fazer as primeiras medições de um choque interplanetário. Em comunicado, a NASA explica que os choques interplanetários são um tipo de choque sem colisão, no …

Quem ganhou a Segunda Guerra Mundial? Aliados e Eixo dizem que foram eles próprios

Em média, tanto os cidadãos de países dos Aliados como cidadãos de países do Eixo dizem que foram eles mesmos os vencedores da Segunda Guerra Mundial. Se perguntarmos a qualquer um dos poucos veteranos remanescentes da …

Norte-americano passou 30 anos na prisão por erro. Vai ser indemnizado em 10 milhões

Um norte-americano que há 30 anos foi erradamente condenado a 57 anos de prisão por violação e roubo vai agora receber uma indemnização de quase 10 milhões de dólares, avança o jornal New York Post. …

O Pólo Norte está a ser atingido por relâmpagos (e isso não é normal)

Uma tempestade perto do Pólo Norte pode não parecer a maior preocupação, tendo em conta o rápido aquecimento do Ártico. Mas é mais um sinal de que o Ártico continua a ter um verão anormal. A …