“Imposto dos ricos”. Taxa sobre lucros extraordinários chega nos próximos meses

6

Rodrigo Antunes / Lusa

A ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

A taxa sobre os lucros excessivos deverá avançar nos próximos meses, segundo admitiu a ministra da Presidência, esta segunda-feira.

O Governo já manifestou a intenção de avançar com a criação de uma taxa sobre os lucros extraordinários do setor energético. No entanto, remeteu os avanços para a Comissão Europeia.

“A nossa expectativa é de que ela possa ser aprovada nos próximos meses“, sublinhou Mariana Vieira da Silva, a ministra do Estado e da Presidência, em entrevista à CNN Portugal.

A ministra da Presidência explica que “existe um debate a ser concretizado a nível europeu sobre a criação de uma taxa. Portugal disse desde a primeira hora que apoiava a medida e que também a aplicaria”.

“A nossa expectativa é de que ela possa ser aprovada nos próximos meses, assim que esse acordo europeu esteja fechado“, informou Mariana Vieira da Silva esta segunda-feira, em declarações à CNN Portugal.

No entanto, a ministra adiantou que o Governo tem em curso medidas alternativas para lidar com os lucros extraordinários. “O Governo português já tem neste momento um mecanismo que assegura que os resultados dessas empresas são utilizados diretamente para apoiar os consumidores”, realçou.

A ministra referia-se ao mecanismo travão ao aumento das tarifas de eletricidade, que é financiado pelos resultados que as empresas têm nas renováveis.

  ZAP //

6 Comments

    • Porquê?! Vai beneficiar alguém? O que o governo devia fazer era obrigar a baixar os preços. Porque afinal quem vai pagar este imposto são os consumidores. Os preços vão continuar altos e o Governo além de lucra na própria venda agora ainda vai roubar outra fatia ao que a empresa mete ao bolso.

  1. Chamam-lhe imposto dos ricos mas na verdade é o imposto dos pobres. Em vez de baixar os preços dos produtos energéticos o Estado ainda vai lucrar com o muito que tem sido roubado às famílias e às empresas.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.