Saúde atinge número de médicos tarefeiros e horas extra mais alto de sempre

O Relatório Social do Ministério da Saúde, divulgado esta terça-feira, aponta mais gastos com médicos tarefeiros e uma sobrecarga horária dos profissionais do Serviço Nacional de Saúde, nomeadamente os enfermeiros.

Os gastos com os chamados médicos tarefeiros, em regime de prestação de serviços, subiram quase 7,3% no ano passado, ultrapassando os 105 milhões de euros, segundo o Relatório Social do Ministério da Saúde.

De acordo com o documento, a despesa com a prestação de serviços nesta área passou de 98,1 milhões (mais de 3,3 milhões de horas) em 2017 para 105,2 milhões de euros (mais de 3,6 milhões de horas).

No relatório, o Ministério da Saúde explica que “a ausência da totalidade da informação do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve, EPE contribuiu significativamente para esse acréscimo, com uma diferença de cerca de cinco milhões de euros relativamente ao ano 2017″.

A atividade médica realizada sob a forma de prestação de serviços visou sobretudo assegurar a prestação de trabalho em contexto de urgência, que representa cerca de 65% do total de encargos.

No ano passado, os encargos com o pessoal médico contratado em regime de prestação de serviço para as urgências ultrapassaram os 68,1 milhões de euros (2,4 milhões de horas).

As cinco entidades que mais recorrem a este tipo de prestação de serviços foram o Centro Hospitalar e Universitário do Algarve, EPE, o Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE, o Centro Hospitalar do Oeste, EPE, a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano, EPE e a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, IP.

 

De acordo com o Relatório Social do Ministério da Saúde e do Serviço Nacional de Saúde, em 2018 os encargos com pessoal ultrapassaram os quatro mil milhões de euros, o que representa um acréscimo de 5,8% face ao ano de 2017.

Segundo o documento, para o efeito contribuíram, entre outros fatores, “o aumento do número de trabalhadores e a reposição das majorações do trabalho realizado em horas de qualidade”.

Em 2018, o trabalho suplementar ultrapassou as 13 milhões de horas, o valor mais alto de sempre, com o pagamento de 260 milhões de euros, avança a TSF, que cita o mesmo relatório. A nível global, o volume de horas face ao ano anterior aumentou 11,2%.

Os enfermeiros registam o maior número de trabalho extraordinário (27%), com uma média de 115 horas por ano. Embora tenham sido contratados mais de 1300 profissionais, destaca-se o impacto da alteração do período normal de trabalho no trabalho por turnos para os trabalhadores em contratos individuais de trabalho.

No ano passado, o pessoal médico realizou cerca de 5,7 milhões de horas suplementares, das quais aproximadamente 78% foram realizadas em presença física e 22% em regime de prevenção.

Considerando o número de médicos que realizaram trabalho suplementar durante o ano 2018, em média, cada um deles realizou 303 horas.

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) tinha no final de 2018 mais 3.403 trabalhadores (+2,6%) do que no ano anterior, alcançando um total 135.401 trabalhadores. Os grupos profissionais com o maior aumento foram os enfermeiros (+1.373), os médicos (+682) e os assistentes operacionais (+423).

Faltas por greve dispararam em 2018

Segundo o mesmo relatório, as greves dos trabalhadores da saúde atingirem valores recorde, o que aponta para um aumento da contestação no setor.

As faltas por greve em 2018 equivaleram, somando as de todos os profissionais, a mais de 175 mil dias de trabalho, quando em 2017 se ficaram por 120 mil e em 2016 não atingiram sequer os 70 mil dias de trabalho equivalentes.

Foi um crescimento de 45,3% em relação a 2017. Comparando com 2014 e 2015, os dias de trabalho perdidos por motivos de greve no SNS mais do que duplicaram.

Também as faltas por motivo de doença aumentaram em 2018, com um crescimento de quase 6%. O absentismo por direitos de parentalidade manteve-se em níveis semelhantes aos de 2017.

Aumento significativo tiveram ainda as ausências de trabalho por cumprimento de pena disciplinar, com um incremento de quase 35% em relação a 2017.

No total dos motivos de ausência ao trabalho, os farmacêuticos e os médicos foram os que registaram um maior aumento de faltas entre 2017 e 2018, respetivamente de 10% e de 8%.

Os enfermeiros, por serem também o grupo profissional mais numeroso, são os que mais dias de ausência ao trabalho registam, tendo também aumentado o absentismo em 2018, com mais 6,4% em relação a 2017.

A taxa de absentismo geral nos profissionais do SNS atingiu em 2018 um valor acima dos 11%, o mais elevado desde pelo menos 2010, que é a série de anos analisada no relatório hoje divulgado.

Entre 2010 e 2018, o ano com menor taxa de absentismo foi o de 2013, com 8,6%. A taxa de absentismo foi decrescendo entre 2010 e 2013 e começou a aumentar em 2014, ano a partir do qual o aumento foi sendo progressivo.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"Muito angustiado". Papa diz sofrer com a transformação de Santa Sofia em mesquita

O Papa Francisco afirmou este domingo estar "muito angustiado" com a conversão, decidida pela Turquia, da antiga basílica de Santa Sofia numa mesquita, após a oração dominical do Angelus. “O mar leva o meu pensamento um …

Gestor de ativos norte-americano diz que o ouro é o "verdadeiro bitcoin" (e explica porquê)

Um gestor de ativos norte-americano disse, em entrevista à CNBC, que acredita que o outro é o "verdadeiro bitcoin" - e explicou porquê. O preço do ouro, "investimento-refúgio" racional para investidores em tempos de crise …

Fortuna de Jeff Bezos não pára de engordar. Acabou de atingir um novo recorde

A fortuna do fundador e CEO da Amazon, Jeff Bezzos, acaba de quebrar um novo recorde ao atingir os 182,6 mi milhões de dólares. Os números foram avançados esta semana pela revista Forbes, que detalha que …

Portugal não pode chegar ao inverno com a situação atual, alerta epidemiologista

Portugal corre o risco de não conseguir responder a um ressurgimento de casos de covid-19 no inverno, afirmou este sábado o médico de Saúde Pública Ricardo Mexia, considerando que o país não pode chegar a …

Pela primeira vez, nasceu um raro par de elefantes gémeos no Sri Lanka

Um raro par de elefantes gémeos foi encontrado num parque nacional no Sri Lanka. É a primeira vez que o país regista crias gémeas, que são extremamente raros em elefantes. Os dois animais, que terão entre …

Teste aos forcados e lotação reduzida. Publicadas as novas regras para as touradas

A temporada taurina retoma com praças com lotação de 50%, uma reivindicação do sector que viu este sábado ser publicada pela Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC) uma acualização às normas discutidas com a DGS. “O que …

Trump propôs "vender" Porto Rico após a passagem do furacão Maria, revela ex-funcionária

Elaine Duke, ex-secretária adjunta de Segurança Interna do presidente dos EUA disse que Donald Trump propôs "alienar" ou "vender" a Comunidade de Porto Rico depois de a ilha ser atingida pelo furação Maria, em 2017. "As …

Catarina Martins atira-se a Rio. Líder do PSD está a fazer "um favor" a Costa no fim dos debates

A coordenadora do Bloco de Esquerda fez este sábado um duro ataque ao líder do PSD, que acusou de fazer um favor ao primeiro-ministro. Catarina Martins considerou “extraordinário” que o líder do maior partido da oposição …

Fraudes em subsídios europeus atingem 2,3 mil milhões. Dava para salvar a TAP (duas vezes)

Uma investigação levada a cabo pela Polícia Judiciária (PJ) concluiu que os casos de fraude na obtenção e desvio de fundos públicos, nos últimos dez anos, ascendem a cerca de 2,3 mil milhões de euros. Os …

Sem ganho económico e muitas mortes. O que dizem os dados da controversa estratégia sueca

A estratégia relaxada da Suécia contra a covid-19 gerou várias críticas. Os números mostram que tanto a nível sanitário como económico, o país saiu a perder. O Governo sueco não impôs um confinamento à população e, …