/

TAP cobrou 657 milhões de euros de voos ainda por fazer

A TAP tem 657,5 milhões de euros já cobrados em voos que ainda não realizou e enfrenta sérios atrasos no call center.

Por causa das restrições impostas por alguns países devido à pandemia de covid-19, muitas pessoas viram-se obrigadas a cancelar as suas viagens nos últimos tempos. A TAP tem sido vítima deste fenómeno, escreve o Expresso.

A companhia aérea tinha 657,5 milhões de euros em bilhetes vendidos e não voa­dos a 30 de junho de 2021 — um valor superior aos 602 milhões de euros registados a 31 de dezembro de 2020.

No relatório e contas deste primeiro semestre, a companhia aérea reconhece que parte “significativa” deste montante é fruto de voos cancelados por causa da pandemia. A TAP mantém responsabilidade pela prestação destes voos no futuro ou pelo seu reembolso.

“A TAP tem reservado todos os meses uma parte importante do seu orçamento para o pagamento dos reembolsos e está a trabalhar arduamente para responder a todos os pedidos”, assegura fonte da TAP, citada pelo semanário. Apenas 2% de reembolsos pedidos pelos clientes estão pendentes, realça a companhia aérea.

Cerca de metade das reclamações de passageiros no segundo semestre de 2020 pertencem à TAP. Os principais motivos apontados estão relacio­nados com cancelamentos de voos e reembolsos, representando 72,7% do total das 1641 reclamações.

Há ainda outro problema que a TAP enfrenta. Devido ao plano de reestruturação, que ainda aguarda ‘luz verde’ de Bruxelas, houve uma redução abrupta de trabalhadores no serviço ao cliente. Desde o início da pandemia, a transportadora terá perdido cerca de metade dos trabalhadores que tinha no call center.

Segundo o Expresso, há centenas de chamadas que não são atendidas diariamente e, aqueles que têm a sorte de ser atendidos, têm de esperar horas.

“Nenhuma companhia aérea foi dimensionada e preparada, do ponto de vista de equipas e instalações tecnológicas, para fazer face a estas situações num prazo razoável. Para se ter uma noção real da dimensão do problema, antes da pandemia a TAP estava dimensionada para fazer face e responder a cerca de 20 mil contactos mensais. […] Passou a receber cerca de 200 mil contactos por mês. Dez vezes mais”, explica fonte oficial da empresa.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.