Supremo Tribunal do Canadá aboliu leis que proibiam a prostituição

Spocfacts / wikimedia

Amy Lebovitch

Amy Lebovitch

O Supremo Tribunal do Canadá deliberou por unanimidade abolir as leis canadianas que proibiam a prostituição, numa decisão resultante de um processo movido por 3 prostitutas.

Os magistrados canadianos entenderam que toda a legislação que proíbe bordéis, que impede que profissionais do sexo comuniquem em público com potenciais clientes e que considera fora da lei quem sobrevive de prostituição, deve ser banida.

O governo canadiano terá agora um ano para criar uma nova legislação sobre o assunto.

Todos os nove juízes que compõem o Supremo Tribunal do Canadá entenderam que as leis actuais são “totalmente desproporcionais”.

“Não é um crime no Canadá ser pago em troca de sexo”, escreveu a magistrada Bever Mclachlin na decisão publicada esta sexta-feira.

“O Parlamento tem o direito de criar regulações e evitar perturbações à sociedade, mas não se isso custar a saúde, a segurança ou a vida das prostitutas”, afirmou a juíza.

De acordo com Mclachlin, a lei actual não impõe apenas condições para o trabalho dos profissionais do sexo. “Ela vai um passo além ao impor condições perigosas para a prostituição, a lei impede que pessoas envolvidas numa atividade arriscada – mas legal – tomem medidas para diminuir o seu risco”.

Se os parlamentares canadianos não aprovarem novas versões das leis no prazo de doze meses, elas serão automaticamente abolidas – mas até lá devem continuar em vigor.

O ministro da Justiça canadiano, Peter MacKay, afirmou à BBC que o governo irá reflectir sobre “esse problema tão complexo”. “Estamos a rever a decisão e a explorar todas as opções possíveis para tratar dos danos significativos que decorrerem da prostituição e prejudicam comunidades, os envolvidos na actividade e as pessoas vulneráveis”, disse MacKay.

A Associação Canadiana de Sociedades Elizabeth Fry, que afirma lutar pelos direitos das mulheres, condenou a decisão. “Agora nós constatamos que não há qualquer problema em comprar e vender mulheres e meninas neste país”, afirmou Kim Pate, presidente da associação, à TV estatal canadiana.

terrijeanbedford.com

A dominatriux Terri-Jean Bedford

A dominatriux Terri-Jean Bedford

O processo que deu início a esta decisão e respectiva discussão, conhecido como “processo Bedford contra Canadá“, foi movido por três mulheres com experiência no comércio do sexo, Terri-Jean Bedford, Amy Lebovitch e Valerie Scott, que alegaram que as leis canadianas de prostituição eram inconstitucionais.

Terri-Jean Bedford, nascida em 1959, uma antiga prostituta, é uma dominatrix profissional, proprietária de uma “casa de S&M” no Ontário chamada “Madame de Sade’s House of Erotica”. Ficou conhecida pelo seu habitual vestuário de couro preto.

Amy Lebovitch, nascida em 1979, trabalha na indústria do sexo desde os 18 anos. Estudou criminologia e psicologia na Universidade de Otava e serviço social na Universidade de Toronto. É directora executiva da SPOC, a Associação de Profissionais do Sexo do Canadá.

Understanding Law / wikimedia

Valerie Scott

Valerie Scott

Valerie Scott, nascida em 1958, entrou para o negócio do sexo aos 24 anos. Trabalhou inicialmente na rua, mais tarde como escort independente e em salões de massagens. Tornou-se activista em 1985 quando aderiu à SPOC, da qual é a Coordenadora Legal.

Nos últimos 27 anos, Valerie Scott participou em numerosas comissões parlamentares, palestras e eventos académicos ou sociais, nos quais defende a necessidade de descriminalização da sua profissão.

O governo federal do Canadá apelou contra dois aspectos da decisão, pedindo que a proibição de bordéis não seja abolida e prpondo a manutenção de alguns aspectos da legislação que impede pessoas de viverem da prostituição.

Os advogados do governo teriam argumentado que são os próprios profissionais do sexo que se colocam em risco ao adoptar a actividade e não as condições impostas pela lei.

Mas o Supremo Tribunal decidiu que muitos profissionais da área não têm outras opções. O órgão judicial considerou que alguns dos factores que levam à prostituição são o desespero, a dependência de drogas, doenças mentais e pressão de proxenetismo.

“Muitas vezes as profissionais do sexo têm poucas opções além de vender os seus corpos”, afirmou a juíza McLachlin na sua declaração de voto.

ZAP / BBC

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

      • Obrigado. Fico muito contente por ao contrário de outros sites aqui ter feedback, especialmente da equipa responsável. Só por isso já vale a pena visitar o site e mudar o tom das intervenções que às vezes se fazem noutros sites, uma vez que aqui não há censuras e a capacidade de reconhecimentos dos factos é exemplar. Bom Natal equipa!

RESPONDER

Coca-Cola financiou estudos científicos que minimizaram o papel das bebidas açucaradas na obesidade, revela investigação

A Coca-Cola terá financiado com milhões de dólares vários estudos científicos que minimizaram o impacto das bebidas açucaradas na obesidade. A conclusão é de uma investigação publicada na revista médica Public Health Nutrition, que conta …

André Ventura vai pedir suspensão temporária do mandato no Parlamento

O deputado do Chega vai pedir, em setembro, a suspensão do mandato parlamentar até fevereiro do próximo ano para se dedicar às campanhas eleitorais da região dos Açores e das Presidenciais. Em declarações à agência Lusa, …

Governo abre concursos para 800 novos técnicos especializados nas escolas

As escolas vão poder contratar mais de 800 novos técnicos especializados, um reforço de recursos humanos "englobado nas medidas excecionais de organização e funcionamento das escolas para o próximo ano letivo". "As escolas vão poder contratar …

Macron em Beirute: "Se não houver reformas, Líbano continuará a afundar-se"

O Presidente francês chegou, esta quinta-feira, a Beirute, no Líbano. É o primeiro chefe de Estado a visitar o país depois das explosões que destruíram parte da capital.  Emmanuel Macron aterrou no Líbano, esta quinta-feira, e …

"Eu disparei". Neonazi alemão confessa ter matado autarca Walter Lübcke

Um neonazi alemão confessou hoje em tribunal ter matado o autarca Walter Lübcke em 2019, homicídio que chocou o país e fez ressurgir o debate sobre a violência de extrema-direita na Alemanha. "Eu disparei" sobre Walter …

Há 16 anos que não havia tão pouca água na albufeira do Alqueva

É preciso recuar ao ano de 2004 para encontrar uma altura em que esta albufeira tenha tido menos água do que agora, que corresponde apenas a 63,8% do seu nível de pleno armazenamento. De acordo com …

CTT passam de lucros a prejuízos de dois milhões de euros

Os CTT registaram, no primeiro semestre deste ano, prejuízos de dois milhões de euros, o que compara com lucros de nove milhões de euros em igual período de 2019. "O resultado líquido foi de -2 milhões …

Equipa do ciclista em estado grave vai apresentar queixa-crime contra o rival

O diretor da equipa Deceuninck-Quick Step confirmou, esta quinta-feira, que vai apresentar uma queixa-crime contra o ciclista Dylan Groenewegen, face à sua responsabilidade na grave queda de Fabio Jakobsen no Tour da Polónia. "Confirmo as mensagens …

Caso do negócio das golas antifumo já tem 18 arguidos

O processo sobre a alegada corrupção no negócio das golas antifumo já tem 18 arguidos, entre os quais o ex-secretário de Estado da Proteção Civil, Artur Neves, e o presidente da Proteção Civil, Mourato Nunes. A …

Farmacêutica Pfizer inicia ensaio clínico de vacina para covid-19 com 30 mil participantes

A farmacêutica norte-americana Pfizer e a biotecnológica alemã BioNTech iniciaram um ensaio clínico de uma potencial vacina para a covid-19 envolvendo cerca de 30 mil participantes, foi anunciado na quarta-feira. Segundo noticiou a agência Lusa, …