Supremo absolve Brisa no processo de acidente na A3 provocado por contramão

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) ilibou a Brisa de responsabilidades num acidente registado em setembro de 2003 na A3, em Ponte de Lima, provocado por uma viatura em contramão e que resultou na morte de um casal.

A Brisa tinha sido absolvida na primeira instância, mas houve recurso e o Tribunal da Relação de Guimarães condenou a empresa ao pagamento de indemnizações de cerca de 100 mil euros aos familiares das vítimas, por danos patrimoniais e morais.

Foi a vez de a empresa recorrer para o STJ, que acabou por absolver, por acórdão datado de 13 de maio e a que a Lusa hoje teve acesso.

Para a condenação, a Relação alegou que a Brisa também teve culpa no acidente, devido à “omissão de um sistema eficiente de aviso” da existência da circulação de uma viatura em contramão.

A Relação considerava, assim, que o acidente ocorreu “omissão de cuidado” por parte da Brisa, “ao não diligenciar” por um mecanismo que pudesse prevenir o acidente, como a colocação de mecanismos de bloqueio da faixa de rodagem ou o impedimento da entrada de veículos na autoestrada no sentido em que circulava a viatura em transgressão.

Aquele tribunal determinou que a culpa pelo acidente se deveu em 70% ao condutor da viatura infratora e em 30% à Brisa.

No entanto, o STJ defende que a Brisa tem um sistema de vigilância e fiscalização das condições da estrada, dos acidentes e das infrações nela ocorridos, “suscetível de eficientemente monitorizar as situações que são suscetíveis de ocorrer, com alguma frequência, por motivo de condições climatéricas, de acidente ou de avaria”.

“Mas a condução de um veículo por alguém sem as necessárias habilitações, imperito, altamente alcoolizado, que conduza em contramão ou que de alguma forma crie um risco elevado e inusitado de acidentes não impõe que a concessionária da autoestrada tenha de prever um sistema que vise prevenir um acidente decorrente de tal conduta, infratora em nível muito intenso das regras estradais”, sublinha o acórdão.

Para o STJ, “mesmo que já estivesse implantado o sistema que a Brisa mandou instalar em 2003, nada garante que o reforço da vigilância e dos sistemas de alerta pudesse ter evitado o acidente”.

O acidente

O acidente registou-se cerca das 04:24 de 21 de setembro de 2003, na zona de Vilar das Almas, em Ponte de Lima.

Uma viatura em contramão, conduzida por um homem de 73 anos, colidiu com outra que seguia no sentido correto.

Morreram o condutor da viatura infratora e um casal que seguia na outra, ele de 52 anos e ela de 50 anos e residentes em Marrancos, Vila Verde.

O tribunal deu como provado que a viatura infratora andou 38 quilómetros em contramão.

O condutor entrou na A3 no nó de Cruz, em Famalicão, às 03:58, e o seu destino era Ponte de Lima, onde alegadamente iria vender nas Feiras Novas, mas, por engano, seguiu em direção ao sul.

Ao aperceber-se que ia no sentido errado, fez inversão de marcha.

O primeiro aviso desta irregularidade chegou à Brisa às 04:16.

Oito minutos depois, acabou por embater contra um outro veículo que entrara na A3 no nó de Anais, em Ponte de Lima.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Alexa, estou com calor." Já é possível controlar o ar condicionado de um Lamborghini apenas com a voz

A Amazon está a dar um grande passo na indústria automóvel ao integrar a Alexa no Huracán EVO da Lamborghini, não apenas para fazer perguntas, mas dando ao assistente virtual a capacidade de controlar as …

Nova tecnologia pode enviar luz solar para o subsolo

Investigadores da Universidade Tecnológica de Nanyang, na Singapura, inventaram um novo dispositivo que pode ajudar o país a iluminar a sua crescente infraestrutura subterrânea. A Singapura é um dos países que tem apostado cada vez mais …

Livro lança "caça ao tesouro" a urna de ouro oferecida por Inglaterra a França antes da Entente Cordiale

Um novo enigma literário está prestes a chegar às estantes de livros com uma recompensa incomum. Pistas em "The Golden Treasure of the Entente Cordiale" podem levar leitores no Reino Unido e França a um …

Para evitar casos de burnout, LinkedIn deu uma semana de férias aos quase 16 mil funcionários

O LinkedIn decidiu dar uma semana de férias (remunerada), que começou esta segunda-feira, a todos os seus funcionários espalhados pelo mundo. O objetivo? Desconectar, recarregar baterias e prevenir casos de burnout.  "Queríamos ter a certeza de …

Pequenos nadadores-robô curam-se a si próprios (e em movimento)

Uma equipa de investigadores da American Chemical Society desenvolveu pequenos robôs nadadores que conseguem curar-se a si mesmos magneticamente. O tecido vivo pode curar-se autonomamente de muitos ferimentos, mas fornecer habilidades semelhantes a sistemas artificiais, como …

Tondela 0-2 FC Porto | Missão cumprida com serviços mínimos

Missão cumprida. O FC Porto fez poupanças no jogo com o Tondela, mas levou os três pontos para casa, graças a um triunfo por 2-0. Os “dragões” foram claramente superiores no primeiro tempo, marcaram por Toni …

Portugal pode atingir linha vermelha dos 120 novos casos por 100 mil habitantes em dois meses

Portugal pode atingir uma taxa de incidência de de 120 casos por 100 mil habitantes daqui a dois ou mais meses se se mantiver o atual ritmo de crescimento deste indicador. Esta é a conclusão de …

Akon ainda não construiu a "Wakanda da vida real", mas o Uganda já lhe está a dar terrenos para a segunda

O artista de R&B Akon ainda não concretizou a sua visão ambiciosa de uma cidade “futurística” alimentada por uma criptomoeda chamada “Akoin” e construída num terreno que lhe foi dado pelo governo senegalês. Contudo, o …

O Budismo é a religião da paz. E não foi por acaso que conseguiu esta reputação

No ocidente, muitas pessoas associam o budismo à paz. No entanto, os budistas têm vindo a envolver-se em conflitos violentos desde o surgimento da religião. Num artigo assinado no The Conversation, Nick Swann, professor de Estudos …

Nikolai Glushkov. Exilado crítico de Putin morto em 2018 em Londres foi estrangulado

O exilado russo e crítico de Putin, Nikolai Glushkov, que foi encontrado morto e, 2018 na sua própria casa em Londres, no Reino Unido, foi estrangulado. O empresário Nikolai Glushkov, que criticava o presidente russo Vladimir …