O super-vulcão de Nápoles pode ter iniciado o seu ciclo mortal de magma

Marta Isabella Reina / Flickr

Os cientistas dizem que o super-vulcão dos Campos Flégreos entrou numa nova fase

O super-vulcão dos Campos Flégreos, próximo da cidade italiana de Nápoles, tem dado indícios de que uma grande erupção pode ocorrer brevemente. De acordo com um novo estudo, o vulcão entrou num novo ciclo de magma, conhecido por preceder as mais devastadores erupções desta zona vulcânica.

Segundo alertaram em 2016 especialistas italianos e franceses, a caldeira vulcânica dos Campos Flégreos, em Nápoles, que poderá ter causado a extinção dos Neandertal, é uma bomba-relógio à espera de explodir na Europa, e pode acordar a qualquer momento.

Num novo estudo agora apresentado, uma equipa de cientistas italianos concluiu que na realidade o mortífero super-vulcão de Nápoles pode já ter iniciado o seu ciclo mortal de magma, que precede potenciais erupções.

“Pensamos que o sistema de encanamentos sub-vulcânicos dos Campos Flégreos está, atualmente, a entrar numa nova fase de construção, podendo potencialmente culminar, num indeterminado ponto no futuro, numa erupção de grande volume”, escreveram os autores no artigo esta semana publicado na Science Advances. 

As descobertas agora publicadas sugerem que super-vulcão dos Campos Flégreos, que se encontra adormecido há quase 500 anos, embarcou num novo ciclo de magma, podendo trazer consequências devastadoras no futuro. No entanto, importa frisar, no plano imediato não há qualquer perigo para os 1,5 milhões de pessoas que vivem na região.

Para chegar a esta conclusão, a equipa de cientistas, liderada pela vulcanologista italiana Francesca Forni, da Universidade Tecnológica de Nanyan, em Singapura, examinou as 23 erupções registadas na história deste super-vulcão.

A mais recente destas erupções, que se estendeu durante oito dias em meados de 1538, pode ter sido grande o suficiente para dar origem a uma nova montanha – apelidada de Monte Nuovo – mas, ainda assim, foi um fenómeno relativamente fraco no rol de todas as erupções nos Campos Flégreos.

Os dois eventos mais notáveis foram a erupção de Campanian Ignimbrite, há cerca de 39 mil anos, e a posterior Neapolitan Yellow Tuff, erupção ocorrida há cerca de 15 mil anos.

Ambas as erupções foram massivas, e prova disso mesmo são as enormes caldeiras que acabaram por formar. Campanian Ignimbrite, por exemplo, dispersou-se por 3,7 milhões de quilómetros quadrados.

Web Gallery of Art / Wikimedia

Os Campos Flégreos, na região de Nápoles, pintura de Michael Wutky, 1780

Novo ciclo de magma no Campi Flegrei

Os cientistas conduziram análises químicas a rochas, minerais e amostras de vidro oriundas das duas grandes erupções acima citadas e, partiram desses dois exemplos para perceber este novo ciclo super-vulcão dos Campos Flégreos. De acordo com o artigo, as condições do magma do vulcão podem estar a entrar novamente na fase de aumento de pressão, que precede potenciais erupções.

“Os nossos dados revelam que a erupção mais recente de Monte Nuovo é caracterizada por magmas altamente diferenciados semelhantes aos que alimentaram a atividade pré-caldeira e as fases iniciais das erupções que a formaram [Campanim Ignimbrite e NYT]”, explicaram os especialistas.

Tendo isto em conta, a equipa sugere que a erupção de Monte Nuovo “é a expressão de uma mudança de estado nas condições de armazenamento do magma através da qual quantidades substanciais de voláteis começam a dissolver-se no reservatório raso”.

Simplificando: o tipo de magma que o Monte Nuovo expeliu – saturado em água e gasoso, sendo também rico em CO2 –, já foi anteriormente visto no desenvolvimento vulcânico de Campi Flegrei, nas suas duas maiores erupções de Campanim Ignimbrite e NYT.

E, por isso, os cientistas acreditam que a mais recente erupção pode ser “sintoma” de que uma maior pode estar a chegar. Contudo, e mesmo uma enorme e destrutiva erupção venha acontecer, seria apenas daqui a muitas centenas (ou até) milhares de anos.

“O super-vulcão dos Campos Flégreos pode manter estas mesmas condições físicas e químicas durante muito tempo”, explicou o co-autor Gianfilippo De Astis, do Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia da Itália, em declarações ao New York Times.

Por mais assustador que possa parecer, é importante realizar este tipo de estudos para perceber o comportamento e a evolução do magma, realinhando assim novas técnicas e ferramentas de compreensão.

“Entender o que está a derreter abaixo da superfície é muito importante para nos ajudar a prever os que os vulcões podem fazer no futuro”, explicou à The Verge a vulcanologista Janine Krippner, da Universidade de Concord, que não esteve envolvida na pesquisa.

“Estas erupções realmente massivas têm probabilidade extremamente baixas de ocorrer mas, se acontecer, precisamos de saber o máximo que conseguirmos”, rematou.

Uma ameaça muito maior que os asteróides

Cientistas da agência espacial norte-americana NASA afirmam que a ameaça da possível erupção de um supervulcão é “substancialmente maior” do que a dos asteróides ou cometas, cuja probabilidade de colidir com o nosso planeta é bastante baixa.

Os 20 supervulcões conhecidos na Terra, entre os quais a caldeira do Parque Yellowstone, nos EUA, e a caldeira vulcânica dos Campos Flégreos, em Itália, explodem em gigantescas erupções de consequências catastróficas, em média, uma vez em cada 100.000 anos.

Estas erupções causam normalmente extinções em massa e lançam o planeta em invernos vulcânicos que se prolongam por centenas ou milhares de anos – o que se torna um problema para as poucas criaturas que sobrevivem à erupção original.

Mas nem tudo está perdido, porque a NASA tem um plano para salvar a Terra – pelo menos, de uma eventual erupção do supervulcão de Yellowstone.

PARTILHAR

RESPONDER

Agentes do ex-Benfica Luka Jovic são suspeitos de branqueamento de capitais

Os agentes do antigo jogador do SL Benfica Luka Jovic, Fali Ramadani e Nikola Damjanac, são suspeitos de terem branqueado mais de 10 milhões de euros em Espanha. Os empresários Fali Ramadani e Nikola Damjanac, da …

Túmulos reais do Taj Mahal limpos pela primeira vez em 300 anos para receber Trump

Os túmulos reais do Taj Mahal foram limpos pela primeira vez em 300 anos como parte da preparação da visita do Presidente norte-americano, Donald Trump, à Índia, escreve o portal Newsweek citando média locais. Donald …

Microsoft revela novos detalhes da Xbox Series X

A Microsoft revelou novos detalhes da Xbox Series X, a principal corrente à Playstation 5 e à Nintendo Switch. A consola vai ser equipada com "12 Teraflops" e memória interna SSD. A Microsoft quer apostar forte …

OMS sobre Covid-19: O mundo "simplesmente não está pronto" para enfrentar a epidemia

O especialista que liderou a equipa da Organização Mundial de Saúde (OMS) enviada à China disse hoje que o mundo "simplesmente não está pronto" para enfrentar a epidemia do novo coronavírus. Bruce Aylward, médico canadiano especialista …

Um quinto das florestas australianas arderam devido a seca extrema

Os incêndios recentes "sem precedentes" que destruíram um quinto das florestas australianas estão ligados a uma seca de vários anos, devido às alterações climáticas, segundo um estudo publicado na segunda-feira. Os climatólogos estão, atualmente, a estudar …

Auditorias aos estádios da I Liga devido a casos de racismo começam amanhã

As auditorias aos estádios onde se realizam jogos da I Liga de futebol, motivadas pelos recentes atos de violência e racismo, vão decorrer até março, diz o Ministério da Administração Interna. As auditorias à segurança dos …

Liverpool já tem tantas vitórias como o invencível Arsenal de Wenger

O Liverpool operou esta segunda-feira a reviravolta sobre o West Ham (3-2) e evitou a primeira derrota na Liga inglesa de futebol, repondo a vantagem de 22 pontos para o Manchester City, no jogo que …

Lenine Cunha campeão de triplo e pentatlo em atletismo adaptado

O atleta paralímpico português Lenine Cunha sagrou-se, esta terça-feira, campeão mundial de triplo-salto e pentatlo, em Torun, na Polónia. Ana Filipe venceu a prova de triplo-salto no feminino. Lenine Cunha venceu a medalha de ouro, esta …

Kroos: Não foi fácil "adaptar-nos à falta de 40 ou 50 golos" de Ronaldo

Toni Kroos assumiu que foi difícil para o Real Madrid superar a saída de Cristiano Ronaldo. O alemão realçou a falta dos 40 ou 50 golos marcados pelo português fizeram-se sentir. Em entrevista ao The Athletic, …

Companhias aéreas querem conclusão das "obras urgentes" no aeroporto de Lisboa

A associação das companhias aéreas em Portugal (RENA) pediu ao Governo e à concessionária do aeroporto de Lisboa (ANA) a conclusão imediata "das obras urgentes" na infraestrutura, para além do "desenvolvimento do novo aeroporto" no …