Dezenas de substâncias potencialmente tóxicas identificadas em fraldas em França

Dezenas de substâncias potencialmente tóxicas foram encontradas em fraldas descartáveis na França, segundo um estudo divulgado esta semana pela Agência Francesa para Segurança Alimentar, Ambiental e do Trabalho (Anses).

Segundo a agência, o estudo – descrito como o primeiro do tipo – identificou substâncias como o herbicida glifosato, dois perfumes artificiais, dioxinas potencialmente perigosas e butilfenil metilpropional, composto usado em cosméticos.

O controverso glifosato é amplamente usado na agricultura. Um estudo de 2015 da Organização Mundial da Saúde concluiu que o herbicida “provavelmente causa cancro”.

A Anses sublinhou que não há ainda estudos médicos que comprovem problemas de saúde causados por fraldas descartáveis, mas afirmou que riscos não podem ser descartados, uma vez que foi detetada a presença de substâncias acima dos limites considerados saudáveis.

O governo francês convocou uma reunião com os fabricantes de fraldas descartáveis para quarta-feira, dando-lhes um prazo de 15 dias para remover as substâncias potencialmente tóxicas identificadas pela investigação da Anses.

“Quero reassegurar aos pais que a Anses afirma que não há risco imediato para a saúde das nossas crianças”, afirmou a ministra da Saúde francesa, Agnes Buzyn. “Obviamente devemos continuar a colocar fraldas descartáveis nos nossos bebés.” Buzyn ressaltou, porém, que o estudo não exclui um risco à saúde das crianças a longo prazo. “Por isso, queremos, por precaução, proteger as nossas crianças de possíveis efeitos.”

Para o estudo, cientistas da Anses testaram 23 tipos de fraldas descartáveis depois de serem utilizadas por bebés. “Calculamos a quantidade [de químicos] absorvida de acordo com o tempo que uma fralda é usada e o número de fraldas usadas por bebés até os 36 meses de idade. Por fim, comparamos os resultados com padrões toxicológicos”, explica Gérard Lasfargues, vice-diretor da Anses.

Na França, um bebé usa, em média, 3.800 a 4.800 fraldas descartáveis. Segundo Lafargues, os componentes químicos potencialmente prejudiciais à saúde foram encontrados até em produtos anunciados como ecologicamente corretos.

Em comunicado divulgado nesta quarta-feira, a fabricante Pampers, que pertence ao grupo americano Procter & Gamble, afirmou que as suas fraldas são “seguras e sempre o foram”.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Será só na França? e o resto?
    por isso existem cada vez mais casos de cancro infantil, será? quer-me parecer que sim
    Mas afinal quanto terá pago a Monsanto aos chulos de Bruxelas da UE para se manter em uso por mais 5 anos na mesma UE o glifosato????
    Os pais das crianças atingidas deviam constituir uma associação e processar a Monsanto e a UE

As Forças Armadas sul-africanas não estavam preparadas para um inimigo invisível

A Força de Defesa Nacional da África do Sul não está preparada para combater uma pandemia silenciosa como a da covid-19. Este "inimigo invisível" veio trazer à tona as fragilidades do país. As Forças Armadas da …

Putin convoca referendo sobre alterações constitucionais para 1 de julho

A aprovação da reforma constitucional permitirá ao atual Presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprir mais dois mandatos suplementares a partir de 2024. Vladimir Putin anunciou a data de 1 de julho para o referendo nacional de …

Depois das máscaras e do gel, procura por acrílico dispara

À semelhança do que aconteceu com as máscaras de proteção e com o álcool-gel, a procura mundial por acrílico está a aumentar. Primeiro foram as máscaras e o desinfetante em gel, mas agora há um novo …

Real Madrid não volta ao Santiago Bernabéu até final da temporada

O Real Madrid vai disputar os restantes jogos da Liga espanhola de futebol na condição de visitado no estádio Alfredo di Stéfano, no centro de treinos merengue. Segundo a agência EFE, Florentino Pérez enviou uma carta …

Metade das empresas que aderiram ao teletrabalho tenciona mantê-lo

A pandemia veio mudar a forma como trabalhamos. Quase metade das empresas que aderiram ao teletrabalho tenciona manter a atividade, ou parte dela, em regime de trabalho remoto.  De acordo com um inquérito da CIP - …

"Muitos de vocês são fracos". Trump critica ação dos governadores durante protestos

O Presidente dos Estados Unidos ridicularizou alguns governadores estaduais por serem "fracos" e exigiu-lhes que tomem medidas duras contra os manifestantes, após mais uma noite de violência em diversas cidades. Donald Trump conversou com os governadores, …

O vírus "não desapareceu". DGS apela para responsabilidade dos adeptos de futebol

Graça Freitas apelou aos adeptos de futebol para que respeitem as regras da Direção-Geral da Saúde, sublinhando que não podem existir ajuntamentos junto aos estádios e concentrações de pessoas em cafés ou em outros locais. Durante …

PSD junta-se ao Bloco e PCP e pede apreciação parlamentar do decreto das PPP na Saúde

O PSD pediu a apreciação parlamentar do decreto-lei que regulamenta a criação de parcerias público-privadas (PPP) na Saúde. O maior partido da oposição junta-se assim ao Bloco de Esquerda e PCP, embora com motivos diferentes. Os sociais-democratas …

Reembolsos de IRS estão a ser "indevidamente retidos", denuncia Provedora de Justiça

Maria Lúcia Amaral escreveu ao secretário de Estado dos Assuntos Fiscais para pedir a correção de erros, lembrando que o reembolso é uma ajuda preciosa para muitas famílias, nomeadamente nesta altura. A Provedora de Justiça, Maria …

Rússia quer exportar antiviral que diz ser eficaz em 90% dos casos

O antiviral Afivavir mostrou ser eficaz no combate ao novo coronavírus em 90% dos casos, mas não estará à venda em farmácias. A Rússia planeia exportar para vários países do mundo um medicamento para a …