SpaceX lançou o primeiro “cripto satélite” do mundo

tedconference/ Flickr

Elon Musk, CEO da Tesla e SpaceX

O primeiro “cripto satélite” do mundo está agora em órbita. Foi lançado pela empresa de Elon Musk, a SpaceX, esta quarta-feira.

O SpaceX lançou a sua quinta missão Transporter-5 do Complexo de Lançamento Espacial 40 na Estação Espacial do Cabo Canaveral na Florida esta quarta-feira.

Pouco depois de enviar a carga útil para a órbita baixa da Terra (LEO), a primeira etapa do foguete Falcon 9 regressou para aterrar no Cabo Canaveral.

A missão lançou o primeiro “cripto satélite” do mundo, um marco interessante para uma empresa cujo CEO, Elon Musk, está firmemente enraizado na cultura criptográfica — só esta semana, surgiram notícias de que uma falsificação de Musk estava a ser usada para enganar utilizadores criptomoedas.

O satélite, chamado “Crypto-1”, foi concebido pelo satélite americano Cryptosat para lançar as bases de uma criptografia segura, relacionada com a blockchain no espaço, de acordo com um relatório da Forbes India.

O satélite tem aproximadamente o tamanho de uma caneca de café, será fisicamente inacessível no espaço e transmitirá comunicações abertas. Ninguém pode mexer no sistema e qualquer pessoa com uma antena pode ouvir as transmissões do satélite. Será utilizado para o lançamento de plataformas seguras de blockchain e Web3.

O Cryptosat já realizou alguns testes na Estação Espacial Internacional com o objetivo de investigar aplicações de segurança de dados no espaço.

“Estamos basicamente a aderir ao Uber dos voos espaciais“, explicou Yonatan Winetraub, co-fundador da Cryptosat, à Cointelegraph, em entrevista. “Todos entram na mesma órbita e nós somos um dos passageiros”.

“O SpaceX lança um monte de satélites, cada um deles está a fazer coisas diferentes”, acrescentou. “Não importa o nosso serviço, esperamos utilizar o nosso satélite para fornecer serviços criptográficos aos nossos clientes aqui na Terra, que não interfiram em nada com os outros satélites”.

Yan Michalevsky, outro co-fundador da Cryptosat, sublinhou que o Crypto1 era a primeira “raiz da confiança” fora do mundo, e que não estaria dependente de outros satélites construídos por outras empresas, segundo a Interesting Engineering.

Uma potencial aplicação interessante destacada por Michalevsky foi a possível utilização do Crypto1 para protocolos de prova de conhecimento-zero, que são cada vez mais utilizados para sistemas de votação online.

Há muita necessidade disto“, insiste Michalevsky. “Se estamos a investigar protocolos, especialmente na Web3, existem sistemas financeiros inteiros e sistemas de contratos inteligentes, como acordos legais digitais, que dependem da fiabilidade da criptografia que está por detrás”.

Michaelevsky observou também que o Crypto1 podia permitir a primeira implantação de toda uma blockchain a partir do Espaço, com comunicações realizadas através de rádio frequência.

Pouco depois do lançamento bem sucedido do Transporter-5, Musk partilhou uma imagem no Twitter do primeiro impulsionador do Falcon 9 na aterragem, com uma descrição que dizia “humanos para escala”.

A missão Transporter-5 do SpaceX transportou também a nave espacial da NASA Ames’ Pathfinder Technology Demonstrator-3, e uma série de cargas úteis experimentais. No total, a missão incluiu 39 cargas úteis.

Algumas delas irão distribuir mais smallsats nas próximas semanas, elevando o número total de naves espaciais lançadas pelo Transporter-5 para 59.

  Alice Carqueja, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.