As vistas, sons e cheiros da França rural podem vir a ser protegidos pela lei

Sem saber, o galo Maurice foi um presságio para uma grande reviravolta da legislação em França (ou, pelo menos, o início de uma).

No ano passado, os donos de uma casa de férias na ilha francesa de Oléron queixaram-se de que o galo Maurice cantava cedo demais. No entanto, o tribunal decidiu que o “símbolo da França rural” pode cantar quando lhe apetecer.

“Sempre houve barulho no campo”, disse Corinne Fesseau, dona do galo gaulês, que vive em Saint-Pierre-d’Oléron há 35 anos. “Quando as pessoas estão no campo, têm de aceitar os barulhos, tal como aceitam os barulhos da cidade.”

Maurice tornou-se o símbolo de um conflito ainda maior. À medida que os “neo-rurais” se deslocam das cidades para as pequenas aldeias, e as próprias cidades se expandem para invadir as comunidades rurais que as cercam, mais queixas contra as vistas, sons e cheiros da vida no campo chegam aos tribunais franceses.

Com tantas queixas acerca do mundo rural, os autarcas das pequenas comunidades são solicitados a intervir, apesar de a maioria hesitar fazê-lo. Segundo o Atlas Obscura, alguns governantes começaram a erguer nas suas aldeias sinais para alertar os visitantes de que sinos de igrejas, galos e rebanhos de ovelhas fazem parte do “pacote rural”.

“Se não consegue lidar com isso, está no lugar errado”, lê-se num dos sinais.

Pierre Morel-à-L’Huissier, o deputado que representa a zona rural de Lozère na Assembleia Nacional da França, explicou que este assunto faz as pessoas rir num primeiro momento, mas é mais sério do que imaginamos: “aborda algumas considerações complicadas entre a vida rural e a vida urbana”.

Em setembro do ano passado, Morel-à-L’Huissier apresentou uma nova proposta de lei à Assembleia Nacional Francesa: a Lei de Proteção do Património Sensorial do Interior de França.

O responsável introduziu, assim, um novo conceito – “herança sensorial” – no sistema jurídico francês. Pela primeira vez, os sons e os cheiros que animais como Maurice fazem serão explicitamente protegidos pela lei e reconhecidos como elemento integrante de um local.

Em janeiro, a proposta foi aprovada em unanimidade pela Assembleia Nacional e será agora votada pelo Senado, uma votação que foi adiada devido à pandemia de covid-19. Morel-à-L’Huissier mantém a esperança de que a lei ainda possa ser aprovada este ano.

  ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Novo ano letivo marcado pelo recorde de pedidos de bolsas de estudo no superior

Número crescente de alunos e perda de rendimentos das famílias são duas das razões apontadas para os pedidos recorde. O ano letivo 2021/22 ainda agora arrancou, mas já está a bater recordes no que respeita aos …

Urgências em Lisboa estão cheias. Situação pode piorar nas próximas semanas

As urgências do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, estão em situação crítica, com tempos de espera elevados. A situação de calamidade multiplica-se em vários hospitais do país, de …

Portugal já tem 86% da população totalmente vacinada contra a covid-19

A vacinação completa contra a covid-19 abrange já 86% da população portuguesa e são já mais de nove milhões de pessoas as que têm pelo menos uma dose da vacina, de acordo com os dados …

Direção do CDS desautoriza Telmo Correia e defende eleições "o mais brevemente possível"

A direção do CDS-PP não gostou de ouvir o líder parlamentar dizer que a melhor altura para realizar eleições legislativas seria no final de janeiro ou fevereiro. Depois de uma reunião com o presidente da Assembleia …

Órban e Le Pen apoiam a Polónia e criticam "imperialismo" da UE

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Órban, e a líder da União Nacional (RN, na sigla em francês), Marine Le Pen, manifestaram esta terça-feira apoio à Polónia no conflito que mantém com a UE, a qual acusam …

Após goleada frente ao Bodø/Glimt, Mourinho põe de lado quatro jogadores

Em duas convocatórias consecutivas, José Mourinho deixou de fora quatro futebolistas que participaram na derrota por 6-1 frente ao Bodø/Glimt. Naquela que foi a maior derrota de sempre da carreira de José Mourinho, o Tottenham perdeu …

O que cai e o que fica: as medidas que o chumbo do OE deita por terra e as que permanecem

O grosso das medidas previstas na proposta de Orçamento do Estado para 2022 não deverá sair do papel. As aprovadas em Conselho de Ministros, por sua vez, manter-se-ão viáveis, já foram discutidas fora da sede …

Truque permite que o Orçamento não seja votado esta quarta-feira

Há um mecanismo que, se for acionado, permite que o Orçamento do Estado para 2022 sobreviva mesmo que não seja votado. O Orçamento do Estado para 2022 pode baixar à comissão sem votação. Este mecanismo, nunca …

Conceição reconhece supremacia do Santa Clara e admite culpa na derrota

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, reconheceu que o Santa Clara foi superior e diz-se culpado pela derrota pesada que deixa o clube fora da Taça da Liga. O FC Porto está fora da Taça …

"Vechtpartij", quadro de Jan Steen.

Antigos jogos de bebida acabavam em vinho derramado e esfaqueamentos

Hoje vistos como jogos de diversão para jovens, na antiguidade, os drinking games (jogos de bebida) eram comuns em toda a sociedade — e, por vezes, terminavam mal. O kottabos era um antigo jogo de bebida …