As vistas, sons e cheiros da França rural podem vir a ser protegidos pela lei

Sem saber, o galo Maurice foi um presságio para uma grande reviravolta da legislação em França (ou, pelo menos, o início de uma).

No ano passado, os donos de uma casa de férias na ilha francesa de Oléron queixaram-se de que o galo Maurice cantava cedo demais. No entanto, o tribunal decidiu que o “símbolo da França rural” pode cantar quando lhe apetecer.

“Sempre houve barulho no campo”, disse Corinne Fesseau, dona do galo gaulês, que vive em Saint-Pierre-d’Oléron há 35 anos. “Quando as pessoas estão no campo, têm de aceitar os barulhos, tal como aceitam os barulhos da cidade.”

Maurice tornou-se o símbolo de um conflito ainda maior. À medida que os “neo-rurais” se deslocam das cidades para as pequenas aldeias, e as próprias cidades se expandem para invadir as comunidades rurais que as cercam, mais queixas contra as vistas, sons e cheiros da vida no campo chegam aos tribunais franceses.

Com tantas queixas acerca do mundo rural, os autarcas das pequenas comunidades são solicitados a intervir, apesar de a maioria hesitar fazê-lo. Segundo o Atlas Obscura, alguns governantes começaram a erguer nas suas aldeias sinais para alertar os visitantes de que sinos de igrejas, galos e rebanhos de ovelhas fazem parte do “pacote rural”.

“Se não consegue lidar com isso, está no lugar errado”, lê-se num dos sinais.

Pierre Morel-à-L’Huissier, o deputado que representa a zona rural de Lozère na Assembleia Nacional da França, explicou que este assunto faz as pessoas rir num primeiro momento, mas é mais sério do que imaginamos: “aborda algumas considerações complicadas entre a vida rural e a vida urbana”.

Em setembro do ano passado, Morel-à-L’Huissier apresentou uma nova proposta de lei à Assembleia Nacional Francesa: a Lei de Proteção do Património Sensorial do Interior de França.

O responsável introduziu, assim, um novo conceito – “herança sensorial” – no sistema jurídico francês. Pela primeira vez, os sons e os cheiros que animais como Maurice fazem serão explicitamente protegidos pela lei e reconhecidos como elemento integrante de um local.

Em janeiro, a proposta foi aprovada em unanimidade pela Assembleia Nacional e será agora votada pelo Senado, uma votação que foi adiada devido à pandemia de covid-19. Morel-à-L’Huissier mantém a esperança de que a lei ainda possa ser aprovada este ano.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O Bosão de Higgs foi apanhado a fazer algo inesperado

Uma equipa de cientistas do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN) observou o Bosão de Higgs, a fazer algo inesperado: à medida que caía, esta parecia decompor-se numa combinação inesperada de partículas. De acordo com …

Feitos de estrelas. Os nossos ossos são compostos por estrelas que explodiram

Uma nova investigação concluiu que metade do cálcio do nosso Universo é oriundo de uma supernova rica em cálcio, que explodiu há milhões de anos. O novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista …

"Monarquia criminosa". Parlamento declara Catalunha republicana e não reconhece o rei

O Parlamento catalão aprovou esta sexta-feira uma resolução na qual declara que “a Catalunha é republicana e, portanto, não reconhece nem quer ter um rei”, rotulando a monarquia de “criminosa”. A resolução foi aprovada em sessão …

Novo método deteta metais tóxicos em alimentos e água em apenas algumas horas

Uma equipa de cientistas da Universidade de Joanesburgo, na África do Sul, desenvolveu um método sensível para detetar níveis perigosos de metais pesados em alguns alimentos e água. Os vestígios de metais como chumbo (Pb), arsénico …

Meghan Markle vence primeira batalha judicial contra jornal britânico

A Duquesa de Sussex conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que está a ser levada a cabo. O 39º aniversário …

Cientistas obrigados a rebatizar dezenas de genes humanos. A culpa é do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é mais parecida com um fogo florestal do que com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …