Sondagens dão maioria pró-UE no Parlamento Europeu (mas eurocéticos crescem)

As sondagens para o Parlamento Europeu apontam para uma maioria de partidos pró-União Europeia (UE), apesar de os partidos eurocéticos ganharem terreno em relação à composição que resultou das eleições de 2014.

Entre os 751 assentos parlamentares em jogo, de acordo com a projeção do Politico, haverá uma maioria 467 deputados provenientes de partidos pró-UE, contra 257 que são eurocéticos. Há ainda 27 deputados de forças políticas cuja posição em relação à UE não é totalmente clara.

Ainda assim, quando analisados os deputados que deverão caber a cada um dos grupos políticos que se concentram em Bruxelas, os números tornam-se mais dispersos e deixam adivinhar tempos de negociações difíceis logo desde o início, em que cabe ao Parlamento Europeu eleger o próximo presidente da Comissão Europeia.

Para chegar a uma maioria, são precisos 376 deputados. O que se torna evidente nesta sondagem é que vai ter de haver algum tipo de entendimento entre bancadas para viabilizar uma solução para a liderança Comissão Europeia — e para aprovar diplomas nos próximos cinco anos.

De acordo com o Politico, o maior grupo continuará a ser o do Partido Popular Europeu (PPE, onde se inclui o PSD, CDS e MPT), com 168 deputados — suficiente para ficar em primeiro mas bem longe dos 214 de 2014 e uma queda significativa dos 288 em apenas 10 anos, contando a partir das eleições de 2009.

Logo a seguir, ainda em segundo mas também em queda, está a Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas (S&D, onde se insere o PS). Aquele grupo poderá ficar-se pelos 147 deputados.

Segue-se depois o grupo dos liberais, do ALDE, onde está inserido o PDR, de Marinho Pinto. O Politico prevê 104 deputados a este grupo — uma subida dos 83 nas eleições de 2014, para a qual muito contribui a entrada do Renaissance, de Emmanuel Macron, nas suas fileiras.

Seguem-se depois a aliança ENF, que junta vários partidos da extrema-direita e direita radical eurocética. Ali, além da Liga (Itália), estão os franceses União Nacional (ex-Frente Nacional), os holandeses do PVV, os britânicos do UKIP e também os austríacos do FPÖ. Para este grupo eurocético, o Politico prevê 73 deputados — o que faz deste o quarto maior grupo em Bruxelas.

Logo a seguir deverá ficar o ECR, também de tendência eurocética e de direita. Por ali, deverão ficar 59 deputados. Seguem-se depois os Verdes (pró-UE, ecologistas e alguns regionalistas), com 54 deputados; o GUE/NGL (extrema-esquerda e esquerda radical com diferentes matizes de euroceticismo, onde está a CDU e o Bloco de Esquerda, com 50 deputados).

Por fim, há a soma do Movimento 5 Estrelas e do Partido do Brexit, de Nigel Farage. Somadas, as duas tendências eurocéticas deverão ter 49 deputados. A fechar, estão ainda 47 deputados para partidos novos e cuja posição em relação à UE não é ainda clara.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Jovens que acusaram Harry de “traição da raça” condenados com pena de prisão

O caso remonta a dezembro de 2018, quando surgiram as primeiras notícias de uma investigação da BBC que envolvia a família real britânica. Um grupo neonazi era responsável por uma propaganda online onde sugeriam que o …

UEFA confirma três jogos de suspensão para Neymar

A UEFA anunciou, esta quarta-feira, que rejeitou o recurso do Paris Saint-Germain e manteve os três jogos de suspensão a Neymar, na sequência de insultos aos árbitros na partida com o Manchester United, da Liga …

Transportes estão cada vez mais cheios. Carris vai comprar 100 novos autocarros

A Carris vai lançar dois concursos para a aquisição de 100 novos autocarros, 70 dos quais a gás natural e 30 elétricos, anunciou o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina. Falando na apresentação da …

Apenas 59% dos habitantes da Europa ocidental confiam na vacinação. França é o país com mais dúvidas

Na Europa oriental, apenas metade da população olha para as vacinas como uma forma segura de prevenção de saúde. No caso da zona ocidental, o número sobe para os 59%, mas fica ainda distante dos …

César Peixoto é o novo treinador da Académica

O antigo futebolista é o novo treinador da Académica, sucedendo a João Alves no comando técnico dos estudantes, anunciou o clube que integra a II Liga portuguesa. César Peixoto vai ser apresentado às 17h00, em conferência …

Tribunal diz que ausência de resistência de vítima de violação é "desejo de sobreviver"

Quando as vítimas não resistem, revelam "o desejo de sobreviver a uma situação cujo controlo não detêm", adotando um comportamento de preservação, diz o Tribunal da Relação de Lisboa. O Tribunal da Relação de Lisboa considerou …

Draghi abre a porta a cortes nas taxas de juro

Mario Draghi afirmou esta terça-feira que se o objetivo de ficar abaixo dos 2% de inflação estiver ameaçado, "estímulos adicionais serão necessários". O presidente do BCE admitiu mesmo uma descida das taxas. O presidente do BCE, Mario …

SNS dá “sinais de cansaço” e tem sistema “que não é amigo do cidadão”

A Convenção Nacional da Saúde concluiu esta terça-feira que o SNS “dá sinais de cansaço” e avisa que os portugueses “não podem ter listas de espera de anos” por consultas ou cirurgias, nem ter “enormes …

Violência doméstica: sobe para 16 o número de mulheres mortas em 2019

O número de mulheres mortas desde o início do ano em contexto de violência doméstica subiu para 16, segundo a contabilidade feita pelo Público com base nas notícias publicadas sobre o assunto. O número exclui …

Costa garante que Miguel nunca pediu ajuda ao Governo. Mas assegurou todo o "apoio diplomático e consular"

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou que o Governo nunca foi contactado por Miguel Duarte, jovem que está a ser investigado em Itália por suspeita de ajuda à imigração ilegal, mas assegurou todo o "apoio diplomático …