Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias.

Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial se aproxima nos EUA no próximo ano, as sondagens estão por toda parte. Os cidadãos terão que navegar entre muito barulho enquanto decidem qual partido ou candidato escolher.

Como uma recente investigação descobriu, a maneira como os cidadãos recebem informações sobre sondagens pode afetar o resultado das eleições.

Os investigadores realizaram várias experiências de laboratório para testar se o comportamento da votação é afetado por uma divulgação tendenciosa dos números da sondagem. Os resultados sugerem que sim.

Na sua experiência, os investigadores pediram a 375 estudantes voluntários que votassem numa série de eleições, escolhendo entre dois partidos — partido K e partido J. Eles fizeram-no sob duas condições: uma condição de tratamento imparcial, onde viram todas as sondagens, e uma de tratamento tendencioso, onde viram apenas as sondagens em que a popularidade do partido K foi a mais alta.

O cenário tendencioso conferiu um benefício considerável ao partido K. Nele, o partido K ganhou 80% das vezes. No cenário imparcial, o partido ganhava apenas 60% das vezes (essa proporção relativamente alta foi devida ao puro acaso).

Numa outra experiência, os participantes foram explicitamente informados de antemão que receberiam informações tendenciosas sobre as sondagens. Notavelmente, o partido K ainda ganhou consideravelmente apesar do viés, vencendo 64% das vezes — em comparação com 57% num ambiente imparcial. Mesmo quando os eleitores sabiam que estavam a receber informações tendenciosas, não pareciam descontá-las o suficiente ao votar.

Influência dos media

Tudo isto sugere que os resultados das eleições em países democráticos podem ser sensíveis a parcialidades, de acordo com a maneira como os media tradicionais divulgam os resultados das sondagens.

Os media tradicionais selecionam quais sondagens devem ser enfatizadas a partir de um grande conjunto de resultados. Às vezes, fazem isso com o objetivo de gerar notícias interessantes ou satisfazer as expectativas do público.

Este último significa que os jornalistas podem decidir não publicar uma sondagem que mostre um resultado inesperado, por exemplo, mesmo que acreditem que seja verdade, por preocupação de que os leitores possam vê-los como menos credíveis.

Os investigadores também descobriram que as redes sociais propagam os resultados das sondagens de maneira tendenciosa. No Twitter, em particular, “boas notícias” para partidos e políticos de esquerda espalham-se mais amplamente do que boas notícias para os conservadores.

E, como mostram os resultados experimentais, mesmo quando sabemos que isso está a acontecer, os cidadãos têm dificuldades em ter isso em consideração na cabine de voto. A investigação mostra isso, porque foi perguntado aos participantes quais é que eles achavam que iam ser os resultados para os partidos K e J. As intenções de voto foram muito semelhantes aos resultados médios das sondagens, mesmo quando os eleitores sabiam que os resultados eram tendenciosos.

Existe uma preocupação com o papel das sondagens de intenções de voto nas democracias modernas. Os resultados da investigação indicam que essa preocupação pode ser justificada.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Promessa eleitoral de Costa em Coimbra arranca um aviso da CNE. Rio ficou "chocado"

António Costa tem estado activo na campanha eleitoral, ao lado dos candidatos do PS às autárquicas, e até sacou da cartola uma maternidade em Coimbra. Uma promessa que deixou Rui Rio "chocado" e que leva …

O voto que dá que falar. "Não há um centímetro quadrado de Portugal que seja indigno" do Constitucional

Três juízes do Tribunal Constitucional contestaram o parecer dos seus pares que considera "desprestigiante" a mudança deste órgão de Lisboa para Coimbra, mas é o voto contra de Mariana Canotilho que dá que falar, uma …

T-shirt reduz efeitos da menopausa

T-shirt portuguesa reduz sintomas da menopausa e ajuda quem tem cancro (e já está à venda)

A investigadora da Universidade do Minho (UM) Filipa Fernandes criou uma t-shirt que atenua os efeitos da menopausa e melhora a qualidade de vida de pacientes com cancro, graças a um tecido com um revestimento …

Estrela Vermelha 2-1 Braga | Guerreiros com mira desalinhada

Inglório. O Sporting de Braga foi a Belgrado perder com o Crvena Zvezda, ou Estrela Vermelha, por 2-1, na primeira jornada do Grupo F da Liga Europa. Os minhotos tiveram mais bola, criaram diversos lances de …

Após "humilhação" frente ao Ajax, Sporting abre caça a novo reforço

O Sporting tem apenas quatro jogadores para a posição de defesa-central. Rúben Amorim vai ter de esperar pelo mercado de inverno para trazer um reforço. As opções para o trio de centrais do Sporting são escassas. …

"Tempestade perfeita" ajuda a explicar "descontrole" nos preços da luz (mas as eléctricas deixam uma promessa)

Os preços da electricidade no mercado de energia atingiram, neste mês de Setembro, um valor recorde e estão "completamente descontrolados" numa altura em que se formou o que os especialistas dizem ser uma "tempestade perfeita". …

Bolsonaro garante que irá à Assembleia Geral da ONU mesmo sem estar vacinado

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que recusa vacinar-se contra a covid-19, afirmou que participará ainda assim na Assembleia Geral da ONU, na próxima semana, em Nova Iorque, onde deverá ser exigido um certificado de vacinação. "Estarei …

PCP e Bloco defendem que há mais vida além do défice (e exigem "resposta aos problemas sociais")

A frase é de Jorge Sampaio, mas PCP e Bloco de Esquerda têm defendido a mesma ideia a cada oportunidade: há mais vida além do défice e combater as consequências económicas, sociais e financeiras da …

Roma ganhou por 5-1 mas Mourinho avisa: "Temos de falar com São Pedro"

Estreia dos italianos na fase de grupos Liga Conferência Europa da UEFA terminou com goleada sobre o CSKA Sofia mas, mesmo assim, o treinador da Roma não gostou do que viu. Nuno Espírito Santo e José …

Patrões querem testes obrigatórios nas empresas (com trabalhador a cobrir os custos)

António Saraiva, líder da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), defende a criação de legislação que obrigue os trabalhadores a serem testados à covid-19. Em declarações à Renascença, o líder do CIP conta que há empresas com …