Só uma espécie terrestre verá o Sol morrer (e não é o Homem)

Tido como inevitável, o fim da vida na Terra gera habitualmente muita curiosidade, sobretudo quando se questiona que formas de vida conseguiriam, nesse futuro inóspito, sobreviver num mundo sem seres humanos.

E uma possível resposta foi dada esta semana por cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido. A espécie mais indestrutível do Mundo é um pequeno organismo de que provavelmente nunca ouviu falar – e vai sobreviver até ao dia em que o Sol morrer.

Num estudo publicado na revista Scientific Reports, investigadores britânicos concluem que o tardígrado, um microrganismo de oito patas também conhecido como urso d’água, pode viver até 10 mil milhões de anos, sobreviver a temperaturas de -273 a 150°C, e será provavelmente a última espécie a desaparecer da Terra.

Os tardígrados, espécie pertencente ao filo dos artrópodes, animais segmentados com exoesqueleto, podem sobreviver 30 anos sem alimento ou acesso à água, no mar profundo ou no vazio do espaço sideral. O ano passado, cientistas japoneses conseguiram ressuscitar um exemplar de urso de água encontrado congelado, há 30 anos, no Polo Sul.

Os cientistas britânicos analisaram a possibilidade de uma catástrofe global a uma escala cósmica que pudesse ocorrer na Terra, considerando três cenários possíveis: o impacto de um grande asteróide, a explosão de uma supernova nas proximidades do Sol, e uma explosão de raios gama.

Segundo os autores do estudo, todos estes eventos são improváveis, e mesmo assim a extensão do seu impacto não seria suficientemente forte para, por exemplo, ferver os oceanos do planeta e destruir estes microrganismos.

“Para nossa surpresa, descobrimos que, embora as supernovas próximas ou os grandes impactos de asteróides fossem catastróficos para as pessoas, os tardígrados não seriam afectados”, defendem os autores do estudo.

“Parece que a vida, uma vez que tenha começado, é difícil de eliminar completamente”, explica David Sloan, co-autor da pesquisa e investigador no Departamento de Física da Universidade de Oxford.

A resistência dos tardígrados e a sua capacidade de sobrevivência na Terra, que já é surpreendente nos cenários mais inóspitos, poderia ajudar a entender o que pode existir no espaço – e que a humanidade ainda nem sequer conhece.

“Os tardígrados são o mais próximo de indestrutível que temos na Terra, mas é possível que existam outros exemplos de espécies resistentes em outros locais do universo. Neste contexto, temos na Terra um caso real que nos ajuda a procurar vida em Marte e noutras áreas do sistema solar”, diz o investigador brasileiro Rafael Alves Batista.

Se tardígrados são as espécies mais resistentes da Terra, quem sabe que mais existe?”, pergunta Rafael Alves Batista, co-autor e investigador no Departamento de Física da Universidade de Oxford.

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. eventualmete estes organismos sobrevivendo entre estas temperaturas -273 a 150°C com certeza não irão ver o fim da nossa estrela em aproximadamente 10 bilhões de anos .
    daqui a 7 bilhões de anos estes seres não aguentarão a temperatura do sol na terra , que irá ser muito superior a 150ºC .

    Basta ver este documentário .
    https://www.youtube.com/watch?v=QuHr3ErT34I

    • provavelmente e tendo em conta as capacidades atuais, até lá terão tempo de evoluir e porventura o “range” de -273 a 150 irá aumentar … enfim, dou-lhes entre 8 e 9 bilhões; vale uma aposta !?

RESPONDER

Novo governo transformou a Áustria no "cinzeiro da Europa"

Muitos países ocidentais - entre os quais Portugal - já baniram o tabaco dos bares e restaurantes. Mas a Áustria nega-se a seguir essa tendência. De acordo com uma lei aprovada em 2015, a Áustria deveria …

Físicos criaram uma nova forma de luz

Cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts e da Universidade de Harvard demonstraram que é possível que dois feixes de luz se encontrem e se fundam num único fluxo luminoso. Se tentarmos cruzar a luz de …

ALMA observa um donut giratório de gás e poeira em redor de um buraco negro supermassivo

Observações de alta resolução com o ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array) captaram um toro de gás rotativo e empoeirado em torno de um buraco negro supermassivo ativo. A existência destas estruturas giratórias em forma de donut …

Porto vs Rio Ave | Dragão devolve chapa 5

Vitória esclarecedora do FC Porto na recepção ao Rio Ave. A equipa “azul-e-branca” venceu por 5-0, num jogo em que marcou muito cedo e foi construindo o resultado com eficácia ofensiva e alguma fortuna nos …

Algoritmo descobriu qual a cidade mais verde do mundo

Como podemos saber quis as cidades mais verdes do mundo? Somar os parques e praças? Mapear as zonas arborizadas? E contar o número de árvores plantadas? Uma pesquisa recente do Sensable City Lab, do MIT - Instituto …

Instrumentos cirúrgicos podem espalhar a proteína do Alzheimer

Novas proteínas sugerem que uma das proteínas responsável pelo desenvolvimento da doença poderia ser transmitida a pacientes saudáveis através de materiais cirúrgicos. Um grupo de cientistas descobriu uma nova prova de que a proteína beta-amiloide, implicada …

Três pessoas detidas por fraude bilionária em banco da Índia

Duas pessoas ligadas ao PNB, Banco Nacional do Punjab, e um responsável do grupo financeiro do empresário joalheiro Nirav Modi foram detidos este sábado, acusados de uma fraude de cerca de 1,5 mil milhões de …

Comentários racistas sobre Meghan Markle fazem cair líder de partido

O líder do partido eurocético britânico UKIP, Henry Bolton, foi demitido após uma votação em que os afiliados demonstraram falta de apoio no seguimento de comentários racistas da sua ex-companheira sobre a futura mulher do …

Montenegro abandona o Parlamento e admite disputar liderança do PSD no futuro

O ex-líder parlamentar do PSD Luís Montenegro anunciou que vai deixar o parlamento a 5 de abril, 16 anos depois de ter tomado posse, e prometeu ao partido que poderá no futuro disputar a liderança. "Conhecem …

Os inimigos dos aztecas construíram uma cidade com tantos edifícios como Manhattan

Uma equipa de cientistas realizou uma análise minuciosa de uma antiga cidade, no oeste do México, construída por um povo inimigo dos aztecas: os purepechas. A cidade recebeu o nome de Angamuco e, de acordo com …