Só uma espécie terrestre verá o Sol morrer (e não é o Homem)

Tido como inevitável, o fim da vida na Terra gera habitualmente muita curiosidade, sobretudo quando se questiona que formas de vida conseguiriam, nesse futuro inóspito, sobreviver num mundo sem seres humanos.

E uma possível resposta foi dada esta semana por cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido. A espécie mais indestrutível do Mundo é um pequeno organismo de que provavelmente nunca ouviu falar – e vai sobreviver até ao dia em que o Sol morrer.

Num estudo publicado na revista Scientific Reports, investigadores britânicos concluem que o tardígrado, um microrganismo de oito patas também conhecido como urso d’água, pode viver até 10 mil milhões de anos, sobreviver a temperaturas de -273 a 150°C, e será provavelmente a última espécie a desaparecer da Terra.

Os tardígrados, espécie pertencente ao filo dos artrópodes, animais segmentados com exoesqueleto, podem sobreviver 30 anos sem alimento ou acesso à água, no mar profundo ou no vazio do espaço sideral. O ano passado, cientistas japoneses conseguiram ressuscitar um exemplar de urso de água encontrado congelado, há 30 anos, no Polo Sul.

Os cientistas britânicos analisaram a possibilidade de uma catástrofe global a uma escala cósmica que pudesse ocorrer na Terra, considerando três cenários possíveis: o impacto de um grande asteróide, a explosão de uma supernova nas proximidades do Sol, e uma explosão de raios gama.

Segundo os autores do estudo, todos estes eventos são improváveis, e mesmo assim a extensão do seu impacto não seria suficientemente forte para, por exemplo, ferver os oceanos do planeta e destruir estes microrganismos.

“Para nossa surpresa, descobrimos que, embora as supernovas próximas ou os grandes impactos de asteróides fossem catastróficos para as pessoas, os tardígrados não seriam afectados”, defendem os autores do estudo.

“Parece que a vida, uma vez que tenha começado, é difícil de eliminar completamente”, explica David Sloan, co-autor da pesquisa e investigador no Departamento de Física da Universidade de Oxford.

A resistência dos tardígrados e a sua capacidade de sobrevivência na Terra, que já é surpreendente nos cenários mais inóspitos, poderia ajudar a entender o que pode existir no espaço – e que a humanidade ainda nem sequer conhece.

“Os tardígrados são o mais próximo de indestrutível que temos na Terra, mas é possível que existam outros exemplos de espécies resistentes em outros locais do universo. Neste contexto, temos na Terra um caso real que nos ajuda a procurar vida em Marte e noutras áreas do sistema solar”, diz o investigador brasileiro Rafael Alves Batista.

Se os tardígrados são as espécies mais resistentes da Terra, quem sabe que mais há?”, pergunta Rafael Alves Batista, co-autor e investigador no Departamento de Física da Universidade de Oxford.

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. eventualmete estes organismos sobrevivendo entre estas temperaturas -273 a 150°C com certeza não irão ver o fim da nossa estrela em aproximadamente 10 bilhões de anos .
    daqui a 7 bilhões de anos estes seres não aguentarão a temperatura do sol na terra , que irá ser muito superior a 150ºC .

    Basta ver este documentário .
    https://www.youtube.com/watch?v=QuHr3ErT34I

  2. acredito QUE existam esse vermes na lua ou algum tipo de vida..
    e vou além esta conversa que Israel colocou estes vermes na cápsula e mandou pra lua é conversa fiada.
    estes seres ja estavam na lua ,esses governantes gananciosos descobriram e agora vem com esta conversa que são seres que eles mandaram para a lua.
    até parece se eles descobrirem algo diferentes fora do planeta eles vão dividir esta informação com o resto da humanidade.
    eles vão fazer o que fazem de melhor estes países egoístas e gananciosos, vão domina e fazer comércio para riqueza de si próprio.Mais não esqueçam com certeza estes canalhas já descobriram vida fora do planeta só estão esperando o momento oportuno para divulgar.

  3. E quanto a evolução? É muito improvável que uma espécie exista por bilhões de anos sem evoluir. Caso esses seres ainda existam daqui a bilhões de anos, certamente não serão mais tardígrados; serão qualquer outra coisa, que no máximo terão uma semelhança mínima com os tardígrados que existem atualmente. Não seria absurdo imaginar que eles evoluissem para seres inteligentes e colonizassem a galáxia, sendo eles muito mais resistentes que os humanos.

RESPONDER

Dois satélites "reformados" podem estar prestes a colidir na órbita da Terra

Dois satélites desativados passarão muito próximos um do outro em 29 de janeiro e, de acordo com a empresa de rastreamento de satélites LeoLabs Inc, há uma probabilidade de 1 em 100 de colidirem. Embora a …

FC Porto 2-1 Gil Vicente | “Dragão” afasta crise com reviravolta

O FC Porto voltou a sorrir. Após dois desaires – ambos diante do Braga – nos últimos três jogos, os “azuis-e-brancos” regressaram aos triunfos e derrotaram o Gil Vicente por 2-1 esta terça-feira, num embate …

Aeroporto de Southampton tem uma equipa canina para acalmar os passageiros

O Aeroporto de Southampton, no Reino Unido, tem uma equipa canina para acalmar os nervos dos passageiros que não gostam muito de andar de avião. Se alguma vez aterrar em Southampton, no Reino Unido, não se admire …

"Padres-robôs" dão bênçãos, fazem casamentos e até funerais

A Inteligência Artificial está a pavimentar o seu caminho em várias religiões espalhadas pelo mundo. "Padres-robôs" são capazes de dar bênçãos, fazer casamentos e até funerais. Há um novo padre em Kodaiji, um templo budista com …

Livro sugeria que o 11 de setembro tinha sido "orquestrado pela CIA". Editora obrigada a corrigir

A editora francesa Ellipses Publications teve que corrigir um livro de História no qual era sugerido que os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos (EUA), foram "orquestrados pela CIA". Segundo noticiou …

Paulo Coelho vai destruir rascunho de livro infantil escrito com Kobe Bryant

O escritor brasileiro Paulo Coelho anunciou hoje que pretende apagar o rascunho de um livro infantil que se encontrava a escrever em conjunto com o antigo basquetebolista norte-americano Kobe Bryant, que morreu no domingo num …

Encontrado famoso navio que desapareceu misteriosamente no Triângulo das Bermudas há 95 anos

Os destroços de um navio que desapareceu misteriosamente no Triângulo das Bermudas há 95 anos foram descobertos na costa da Florida, nos Estados Unidos. O SS Cotopaxi - um navio mercante norte-americano - deixou Charleston, na …

Ana Gomes diz que diretiva europeia sobre branqueamento de capitais é aplicável a Rui Pinto

A ex-eurodeputada socialista Ana Gomes disse hoje em Lisboa que pode aplicar-se ao ‘hacker’ Rui Pinto a diretiva europeia sobre branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo, sem esperar pela transposição de legislação sobre o …

"Há grandes chances de Jesus sair em maio para o FC Porto", diz Carlos Alberto

Carlos Alberto, atual comentador desportivo e antigo jogador do FC Porto, acredita que os 'dragões' vão avançar para a contratação de Jorge Jesus, em maio. Recentemente, a ideia de Jorge Jesus no FC Porto tem ganho …

Raras lesmas cor-de-rosa fluorescente sobreviveram aos incêndios na Austrália

Uma rara espécie de lesma cor-de-rosa fluorescente (Triboniophorus aff. graeffei) conseguiu sobreviver aos incêndios que assolaram a Austrália no início de janeiro e que deixaram milhões de animais mortos e outros tantos sem abrigo. Tratam-se …