Sistema financeiro suíço foi seriamente afetado pelo escândalo da Petrobras

Nestlé / Flickr

Sede da Nestlé na Suiça

Sede da Nestlé na Suiça

As investigações do Ministério Público suíço sobre as contas suspeitas de movimentarem dinheiro obtido através do esquema de corrupção na Petrobras ainda não foram encerradas, mas o órgão já afirma que o centro financeiro do país foi seriamente afetado pelo escândalo.

As apurações da chamada operação Lava Jato, no Brasil, sobre a corrupção na petrolífera estatal chegaram a contas suspeitas no exterior, grande parte delas na Suíça.

Mas qual seria a dimensão do impacto do escândalo brasileiro sobre o sistema financeiro suíço?

Procurado pela BBC, o Ministério Público em Berna declara que o escândalo gerou denúncias de lavagem de dinheiro em níveis “muito acima da média” e que isso desencadeou extensas investigações – que ainda estão em andamento.

“Os resultados iniciais das investigações indicaram que o sistema financeiro da Suíça foi seriamente afetado pelo escândalo, uma vez que diversas pessoas e empresas que já foram indiciadas e condenadas no Brasil conduziam transações suspeitas envolvendo contas na Suíça”, afirmou a porta-voz Walburga Bur.

Esta semana, a agência reguladora do mercado financeiro suíço (FINMA) anunciou ter aberto investigações contra três bancos que não observaram as práticas de combate à lavagem de dinheiro em contas relacionadas ao escândalo da Petrobras.

As investigações são resultado de um extenso levantamento feito com diversas instituições financeiras ligadas aos clientes monitorizados pelos investigadores suíços.

Não foram divulgados os nomes das três instituições financeiras que estão sob investigação desde setembro.

“No caso de alguns bancos, os esclarecimentos preliminares ainda não foram concluídos”, ressaltou à BBC Tobias Lux, representante da FINMA.

De acordo com o regulador, as diligências procuram estabelecer até que ponto estes bancos estão envolvidas no caso e de que forma resguardaram – ou não – as resoluções de vigilância financeira.

Se for provado que os bancos agiram incorretamente, poderão sofrer sanções que incluem reestruturações compulsórias, confisco de valores, revogação da licença de operação e, em última instância, a liquidação.

A notícia da investigação foi dada com destaque pela imprensa local. Um dos principais jornais do país, o Neue Zürcher Zeitung, escreveu que as investigações do escândalo brasileiro colocam a Suíça sob “forte pressão” e representam “um alto risco para a reputação” do país, ecoando as preocupações do MP.

Extensão das irregularidades

Em março foi divulgado que pelo menos 30 bancos suíços tinham contas investigadas pela Lava Jato. Essas contas, que totalizavam 400 milhões de dólares (cerca de 365 milhões de euros), foram congeladas.

O MP negou-se a divulgar dados atualizados, mas confirmou que o número de contas e bancos investigados aumentou.

A título de referência, em 2014, o MROS (Money Laundry Report Office Switzerland), departamento que recebe as denúncias de branqueamento de capitais, contabilizou cerca de três mil milhões de dólares (cerca de 2,75 mil milhões de euros) em ativos ilegais denunciados.

A BBC pediu ao MROS dados específicos sobre Brasil, mas o órgão alega não organizar as estatísticas por países. Existe, no entanto, informação de que a onda de investigação atual foi desencadeada por 60 denúncias enviadas ao MP ligadas à Petrobras.

Problema sistémico

Para Maximilian Heywood, da ONG anticorrupção Transparência Internacional, o impacto do escândalo brasileiro na Suíça “é mais um exemplo das múltiplas falhas de prevenção do branqueamento de capitais no setor financeiro”.

“Assim como no caso da FIFA, o que nós vemos aqui são provas de múltiplas transações, espalhadas por diversos bancos por um longo período de tempo”, diz. “Há sem sombra de dúvida vulnerabilidades sistémicas”,afirmou.

A representante da Associação dos Bancos Suíços, Sindy Schmiegel, interpreta o impacto do escândalo brasileiro sob outra perspectiva. “Prefiro ver isso como exemplo de que o sistema funciona”, defende.

“Não se trata de falhas endémicas, mas sim de provas de que o sistema responde, pois os casos foram devidamente reportados e esperamos agora que a FINMA atue”, reforçou.

Apesar de não estipular um prazo para encerrar as investigações, a agência supervisora prometeu emitir um relatório quando concluir o trabalho.

O trabalho do Ministério Público, por sua vez, também não dá sinais de abrandar.

“Ao conduzir essas investigações, o Procurador Geral da Suíça está a cumprir o seu dever de combater a corrupção internacional e proteger o centro financeiro suíço, que está exposto a altos riscos de reputação em incidentes desse tipo”, disse a porta-voz Walburga Bur.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas encontram dois fragmentos do meteorito de Barcelona

Cientistas espanhóis encontraram dois pequenos fragmentos do chamado meteorito de Barcelona, que caiu, há mais de 300 anos, no dia de Natal. No dia 25 de dezembro de 1704, um meteorito rasgou os céus e caiu …

"Pressionaram-me para o denunciar". Higuita recorda amizade com Escobar

A relação de amizade entre René Higuita e Pablo Escobar levou a que o ex-futebolista fosse seguido pelas autoridades. A polícia chegou a pressioná-lo para denunciar Escobar. O antigo internacional colombiano René Higuita é provavelmente uma …

George Floyd. Portugal junta-se às manifestações mundiais contra o racismo

Cinco cidades portuguesas juntam-se hoje à campanha de solidariedade mundial contra o racismo, associando-se à luta pela dignidade humana na sequência da morte, a 25 de maio, do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia …

Covid-19. México investiga mercado negro de atestados de óbito falsos

As autoridades da Cidade do México anunciaram que estão a investigar um suposto mercado negro de atestados de óbito relacionado com a covid-19, no dia em que o país registou 625 mortes nas últimas 24 …

Astrónomos descobrem "réplica" do Sol e da Terra a três mil anos-luz

O que diferencia esta descoberta de outros exoplanetas parecidos com a Terra é que a sua estrela tem uma semelhança impressionante com o nosso Sol. Entre os dados da missão Kepler, uma equipa de investigadores identificou …

Sem romarias e festas, milhares de famílias estão a entrar em falência

Milhares de famílias cujo rendimento depende das romarias e festas populares estão a atravessar sérias dificuldades económicas. Os prejuízos ultrapassam os 50 milhões de euros. A suspensão das festas populares e romarias religiosas em todo o …

Corpo de Maria Velho da Costa ficou 11 dias na morgue. Filho critica MP e fala em "massacre psicológico"

Os restos mortais da escritora Maria Velho da Costa, que faleceu a 23 de Maio, ficaram no Instituto de Medicina Legal, em Lisboa, durante 11 dias, sem que a família tivesse conhecimento de que já …

"Vocês são uns ingratos". Vieira arrasa equipa após empate com o Tondela

Luís Filipe Vieira foi ao balneário falar com os jogadores após o empate com o Tondela. O presidente benfiquista mostrou-se irritado e acusou os futebolistas de ingratidão. Depois do empate do SL Benfica com o CD …

Costa tirou o tapete ao seu "super-ministro" (que é cada vez mais candidato a líder do PS)

Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, já foi um peso-pesado do Governo de António Costa, mas o primeiro-ministro desautorizou-o na discussão sobre o futuro da TAP, num claro sinal de que a "lua-de-mel" entre os …

Há dois candidatos na calha para suceder a Centeno. Siza Vieira fora da corrida

Pedro Siza Vieira era apontado como o favorito a suceder a Mário Centeno na pasta das Finanças, mas recusou essa possibilidade. Nelson de Souza e João Leão são agora os dois principais candidatos. Com a saída …