Afinal, uma sesta não substitui uma noite mal dormida

O facto de não se atingir um nível de relaxamento tão profundo como o que acontece durante períodos longos de sono, como acontece durante a noite, leva os indivíduos a cometer erros semelhantes aos que cometeriam mesmo que não tivessem feito qualquer sesta, diz novo estudo.

Se é daqueles que após o almoço suspira — ou boceja — por uma sesta que lhe permita continuar a suas tarefas após uma noite mal dormida, por exemplo, fique a saber que as suas expectativas podem sair defraudadas.

Um novo estudo desenvolvido por investigadores da Universidade do Michigan, nos Estados Unidos da América, com o objetivo de medir a influência das sestas no alívio dos efeitos da privação de sono revelou que dormir entre 30 a 60 minutos não tem qualquer influência, principalmente positiva.

“Ao passo que sestas curtas não mostraram ter resultados mensuráveis no alívio dos efeitos da privação de sono, descobrimos que a quantidade de sono de ondas lentas que os participantes obtinham durante o sono estavam relacionadas com a redução das perturbações associadas à privação de sono”, disse Kimberly Fenn, professora associado na universidade e diretor do laboratório Sleep and Learning.

O sono de ondas lentas — SWS, na sigla em inglês — é o estado mais profundo e restaurativo do sono. É marcado ondas cerebrais de grande amplitude e baixa frequência e é o estado de sono em que o corpo está mais relaxado, já que os músculos estão mais à vontade e o ritmo cardíaco mais lento.

Segundo Fenn, o SWS é também o estado “mais importante” do sono. “Quando uma pessoa está sem dormir durante um longo período de tempo, mesmo que durante um dia, ela constrói uma necessidade de o fazer. Particularmente, forma-se uma necessidade de SWS.

Quando um indivíduo vai dormir todas as noites ele rapidamente entra no estado de SWS e vai passar uma parte substancial do seu sono neste estado”, explicou o investigador.

A investigação, publicada em junho na revista Sleep, contou com 275 voluntários cujas idades se enquadram nas dos tradicionais estudantes universitários. Estes foram convidados a completar tarefas cognitivas quando chegavam pela note ao Sleep and Learning Lab, sendo também divididos em três grupos.

O primeiro foi mandado para casa — pasme-se — para dormir; o segundo permaneceu nas instalações do laboratório durante a noite e teve a oportunidade de dormir sestas de 30 a 60 minutos; e o terceiro não dormiu apesar da condição de privação de sono, descreve o Futurity.

Na manhã seguinte, os participantes reuniram-se no laboratório para repetir as tarefas cognitivas, as quais tinham como objetivo medir a atenção ou a capacidade de cumprir um determinado objetivo numa ordem específica sem saltar tarefas ou repeti-las, mesmo depois de terem sido interrompidas.

“O grupo que permaneceu no laboratório e foi dormindo sestas ainda sofreu dos efeitos da privação de sono e cometeu erros significativos nas tarefas do que aqueles que foram para casa e dormiram uma noite de sono completa” revela Feen. “Ainda assim, cada aumento de dez minutos no SWS reduziu os erros após as interrupções em cerca de 4%.”

À primeira vista, estes podem parecer baixos, mas quando considerados os tipos de erros que são mais prováveis de ocorrer em pessoas com privação de sono recorrentes, tais como cirurgiões, agentes da polícia ou motoristas de camiões, uma redução de 4% em erros pode significar a salvação de uma vida, aponta Feen.

“Os indivíduos que conseguiram mais SWS tendem a mostrar uma redução em ambas as tarefas. De qualquer forma, eles ainda mostram um desempenho pior do que os participantes que dormiram a note completa”, afirmou Feen.

A esperança do investigador é que as descobertas venham sublinhar a importância de dar prioridade ao nosso sono, já que as sestas — mesmo que estas atinjam o estado de SWS — não conseguem substituir uma noite completa de sono.

ARM, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Suspeito de violação viveu cinco anos como falso refugiado (e chegou a receber apoios do Estado)

O homem, natural de Marrocos, terá usado identidade para pedir proteção em Portugal. O Ministério Público (MP) acusa-o agora de violação. O cidadão marroquino está a ser acusado pelo Ministério Público de ter violado uma sem-abrigo, …

Polícia italiana desmantela poderoso clã mafioso do sul de Itália (e evita homicídio)

A polícia italiana desmantelou um poderoso clã da máfia na Sicília, no sul de Itália, após a prisão de oito dos seus membros, e evitou ainda um homicídio planeado pelo grupo, informaram esta segunda-feira as …

A mentira de Mourinho e os dois milagres de Patrício

José Mourinho venceu no seu milésimo jogo enquanto treinador de futebol. O encontro com o Sassuolo foi especial, ao contrário do que o próprio Mourinho tinha dito.  Passaram 21 anos e 999 jogos desde a sua …

Cantinas escolares começam a ser fiscalizadas. Maioria deixa de servir refeições em take away

As cantinas das escolas começam hoje a ser alvo de ações de fiscalização para garantir a qualidade das refeições fornecidas aos alunos, revelou o ministro da Educação, anunciando um novo plano de controlo de qualidade. “A …

Portugal tem quatro mestrados em gestão entre os melhores do mundo — e há uma surpresa

Portugal tem quatro mestrados de gestão entre os 100 melhores do mundo, indica o ranking do Financial Times de 2021 divulgado hoje. À Nova SBE, Católica-Lisbon e ISCTE Business School, que regressa este ano ao ranking, …

Coreia do Norte efetua teste com "novo míssil de longo alcance”. É uma "ameaça" à comunidade internacional

A Coreia do Norte efetuou com sucesso um teste com um novo “míssil de cruzeiro de longo alcance” durante este fim de semana, anunciou este domingo a agência oficial KCNA. Os disparos do teste, efetuado no …

Mulher de Ricardo Salgado já não vai ser ouvida como testemunha

A mulher do ex-banqueiro, Maria João Salgado, foi dispensada pela defesa de ser ouvida como testemunha. Padre da capela da família foi chamado, mas não apareceu no tribunal. Maria João Salgado, que deveria ser ouvida esta …

Marques Mendes defende expulsão de juiz negacionista da magistratura

Comentador avaliou negativamente o desempenho de Carlos Moedas nos debates com Fernando Media, elogiou António Costa, recomendou o uso de máscara na rua apesar do fim da obrigatoriedade e atirou-se ao lóbi das farmacêuticas. No seu …

Um Mundial a cada dois anos? Entre várias críticas, há quem o defenda com unhas e dentes

Um Mundial a cada dois anos e a concentração dos jogos internacionais em um ou dois períodos por ano? As opiniões dividem-se. Ultimamente tem-se discutido a possibilidade de mudar a periodicidade da realização do Campeonato do …

Hospital de Santa Maria está a realizar cirurgia inovadora no combate à obesidade

O Hospital de Santa Maria, em Lisboa, está a realizar uma nova cirurgia à obesidade que não implica incisões e requer menos tempo de internamento. Inovadora e revolucionária, a cirurgia realizada no Hospital de Santa Maria …