/

Sequenciado o genoma do axolote, a super-salamandra que pode guardar o segredo da regeneração humana

1

O axolote, à semelhança de outras espécies animais, possui a formidável capacidade de regenerar os seus tecidos, fazendo “nascer” novamente membros, o tecido cardíaco e até a medula espinal. Aplicar este processo de regeneração nos humanos seria concretizar uma “fantasia” há muito criada pela ficção científica – mas os cientistas estão agora um passo mais perto.

Uma equipa de investigadores da Universidade de Kentucky, nos Estados Unidos, acaba de sequenciar o genoma do axolote, a super-salamadra que os cientistas acreditam ser capaz de guardar o segredo para a regeneração humana. As conclusões da investigação serão publicadas no próximo mês de Fevereiro na revista especializada Genome Research.

Segundo Randal Voss, co-autor do estudo, o axolote é já considerado há algum tempo como “um modelo de regeneração”. “É difícil encontrar uma parte do corpo que [o axolote] não consiga regenerar: as extremidades, a cauda, a medula espinhal, o olho, e, em algumas espécies, as lentes e até metade do cérebro”, explicou, citado em comunicado.

Apesar de os humanos partilharem muitos do genes desta salamandra, o genoma do axolote é dez maior, o que representou uma “formidável barreira” para a investigação genética. Uma das dificuldades sentidas, notam os cientistas na mesma nota, passou por sequenciar o genoma na ordem correta, passo fundamental para uma ampla e detalhada análise da sua estrutura e função.

Para “montar” o genoma, os cientistas recorreram ao mapeamento genético a partir da abordagem conhecida como linkage, que permitiu sequenciar o genoma da salamandra de forma rápida, eficiente e na ordem certa. Além disso, escreveram os cientistas na mesma nota, este é o primeiro genoma destas dimensões a ser sequenciado até agora.

“Agora que temos acesso à informação do genoma, podemos realmente começar a testar as funções do gene do axolote, aprendendo como é que estas salamandras conseguem regenerar partes do seu corpo”, disse Voss, deixando a esperança de que no futuro esta informação possa ser traduzida numa terapia humana. Futuramente, a Genética poderá realizar as ambições traçadas pela ficção.

  ZAP //

1 Comment

  1. pode ser a cura para mutilados de Guerra e Acidentes ,a aposta monetaria neste tipo de investigaçao ,devia ser maior e cooperaçao de nivel mundial

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.