Sem sal disponível, tribo criou um substituto com dois ingredientes inesperados

1

Arunachal2007 / Wikimedia

Um membro da tribo Apatani.

Um membro da tribo Apatani.

Sem acesso a sal, os apatanis tiveram de encontrar uma solução alternativa. Usando arbustos e cinzas, criaram um substituto à altura.

Os apatanis são um grupo tribal de aproximadamente 26.000 pessoas em Ziro, no planalto de Apatani, na Índia. Muits apatanis, todavia, vivem atualmente fora deste planalto, formando uma população total de 60.000 em todo o território indiano.

Sem uma fonte de sal acessível, esta tribo teve de pôr mãos à obra e arranjar um substituto. Para tal, criaram o tapyo, um sal caseiro.

“Sempre vivemos entre as montanhas e tínhamos pouco ou nenhum contacto com o mundo exterior”, começou por dizer Hibu Rimung, um membro da tribo, citado pelo Atlas Obscura. “Quando finalmente aprendemos sobre o sal, não tínhamos dinheiro para comprá-lo. Era demasiado caro porque levá-lo ao vale do Ziro era um desafio para os comerciantes”.

Tapyo não é literalmente sal. É feito de plantas e desempenha um papel semelhante em termos de sabor e saúde.

Isto porque consumir níveis muito baixos de sal pode ser tão prejudicial à saúde quanto o seu exagero, pois aumenta os riscos de doenças cardiovasculares. Ainda hoje, em países como o Sudão, alguns habitantes sofrem com a deficiência de iodo, que causa bócio e aumenta a mortalidade infantil.

Embora agora seja algo comum nas nossas dietas, há muitos anos o sal era visto como um bem tão valioso quanto o ouro. Os apatanis usam o seu sal em doses muito reduzidas, preservando esse mesmo ideal de valor. A descoberta deste sucedâneo, porém, poderá ter sido acidental.

“As casas Apatani tradicionais têm a chulha [uma lareira de três níveis] localizada no centro da casa. Quando as pessoas acabavam de comer, usavam as cinzas como alternativa ao sabão enquanto lavavam as mãos”, diz explicou. “Foi assim que perceberam que a cinza tinha um sabor salgado e poderia ser usada para temperar as refeições”.

O senso comum diz-nos que não devemos comer cinzas, mas Rimung realça que a ciência diz que não há problema, desde que seja a acompanhar outro alimento e em pequenas quantidades. A verdade é que o tapyo parece ter proporcionado benefícios para a saúde ao longo de gerações.

Tendo em conta que os apatanis não usam tapyo no dia-a-dia e produzi-lo envolve um processo demorado, esta iguaria não é feita regularmente.

Com um travo amargo, o tapyo pouco ou nada tem a ver com o nosso sal, mas parece oferecer as mesmas qualidades.

  Daniel Costa, ZAP //

1 Comment

  1. O iodo pode ser adicionado em qualquer alimento não necessariamente no sal.

    iodo é encontrado em quantidades variáveis nos alimentos e na água de beber, sendo que as fontes mais ricas são: sal marinho, peixes de água salgada e frutos do mar, tais como moluscos bivalves, lagostas, ostras, camarão, sardinhas, bacalhau.

    O sal iodado é um reforço a mais de iodo.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.