/

O segredo para a saúde mental das crianças pode estar na fruta e nos vegetais

Um novo estudo descobriu que crianças que comem mais fruta e vegetais têm uma melhor saúde mental. O pequeno-almoço e o almoço podem fazer a diferença.

Cerca de 10 a 20% dos adolescentes em todo o mundo sofrem de um problema de saúde mental, como ansiedade ou depressão, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.

Também foi demonstrado que metade de todas as condições de saúde mental começam aos 14 anos. Dada a importância da adolescência na vida de uma pessoa, é extremamente importante encontrar maneiras de proteger ou melhorar o bem-estar mental de crianças e jovens.

Já sabemos como uma boa nutrição e dieta alimentar são valiosas para a saúde física — é por isso que os especialistas recomendam que comamos cinco porções de fruta e vegetais por dia.

Mais recentemente, estudos também sugerem que a nutrição pode influenciar a saúde mental. Um novo estudo descobriu que ter uma dieta mais nutritiva, rica em fruta e vegetais, e ter um pequeno-almoço e hábitos de almoço mais saudáveis foram associados a um melhor bem-estar mental nas crianças.

Os resultados foram publicados na revista científica BMJ Nutrition, Prevention & Health.

Os cientistas usaram dados sobre o bem-estar mental e diferentes coisas que o impactam — como estatuto socioeconómico e idade — de crianças em mais de 50 escolas em Norfolk, em Inglaterra. Isto permitiu investigar o impacto do consumo de fruta e verduras, e das escolhas alimentares, no bem-estar mental nesta faixa etária.

Os investigadores analisaram 1.253 alunos do ensino primário com idades entre 8 e os 11 anos e 7.570 alunos do ensino médio e secundário com idades entre 12 e 18 anos. Usando questionários diferentes para os dois grupos, avaliaram o seu bem-estar mental, pedindo-lhes que dissessem quantas vezes tiveram os sentimentos descritos em afirmações como “Tenho-me sentido bem comigo mesmo” ou “Tenho-me sentido amado”.

As pontuações de cada afirmação foram somadas para dar uma pontuação total. Quanto maior for a pontuação total, maior seria o bem-estar mental da criança.

Também perguntaram aos alunos sobre a sua idade, sexo, saúde, situação de vida e experiências adversas, juntamente com perguntas sobre que tipos de alimentos eles costumavam comer.

No grupo de alunos do ensino médio e secundário, o maior consumo de fruta e vegetais foi associado a maiores pontuações de bem-estar mental — cerca de 8% mais alto para aqueles que comiam cinco porções diárias em comparação com aqueles que não comiam nenhuma.

Os cientistas também descobriram que a pontuação de bem-estar variou dependendo do tipo de pequeno-almoço ou almoço que os participantes tiveram. Em comparação com crianças do ensino médio e secundário, que tomaram um pequeno-almoço convencional (como cereais, torradas), aqueles que não tomaram pequeno-almoço tiveram uma pontuação de bem-estar mental quase 6% menor.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Aqueles que consumiram apenas uma bebida energética no pequeno-almoço tiveram uma pontuação de bem-estar mental quase 7% menor.

As pontuações foram igualmente baixas para aqueles que não almoçaram em comparação com aqueles que o fizeram. Estas associações também foram semelhantes em crianças do ensino primário.

  ZAP // The Conversation

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.