Sindicato denuncia que São João também ficou sem radiologistas à noite

José Coelho / Lusa

Hospital de São João, Porto

O Hospital de São João juntou-se ao Hospital de São José e ficou sem radiologistas à noite, diz o Sindicato, que garante que a retirada foi feita “pela calada”. Já o Centro Hospitalar São João (CHSJ) desmente.

Primeiro, o Hospital de São José, em Lisboa. Agora, também o Hospital de São João, no Porto, ficou sem radiologistas à noite. A denúncia partiu do Sindicato Independente dos Médicos.

À TSF, o presidente Jorge Roque da Cunha diz que esta mudança foi feita recentemente – há cerca de um ou dois meses – “pela calada”. A denúncia só surge agora porque, segundo o responsável, a suspeita demorou algum tempo a ser confirmada pela delegada sindical do hospital.

No entanto, o Centro Hospitalar São João desmente a falta de radiologistas à noite, garantindo que o sistema se mantém inalterado há 10 anos, não tendo havido qualquer mudança recente.

Assim, o CHSJ garante 24 horas por dia radiologia convencional, neurradiologia e neurradiologia de intervenção. A TAC de corpo, entre as 8 e a 1h, é assegurada exclusivamente pelo CHSJ, enquanto que entre a 1h e as 8h é assegurada por telerradiologia.

Segundo o CHSJ, os exames são realizados no São João e os relatórios são feitos à distância. Também a ecografia é assegurada pelo CHSJ entre as 8h e a 1h, enquanto que entre a 1h e as 8h só ecografias emergentes, realizadas pelo Serviço de Urgência.

À semelhança do São José, o Hospital de São João é um dos maiores hospitais da cidade e da região, para onde são encaminhados os casos de saúde mais graves. O sindicato diz não fazer sentido em situações de urgência recorrer a empresas externas que, pela telemedicina, avaliam os exames realizados aos pacientes.

Jorge Roque denuncia que os radiologistas foram retirados “pela calada da noite, sem grande alarido e sem praticamente ninguém se aperceber”, informação contrariada pelo São João.

À TSF, o presidente sindical afirma que o fim dos radiologistas à noite põe em causa a saúde dos doentes. “Não é a mesma coisa ter um radiologista presente fisicamente e ter um radiologista a relatar um exame a alguns quilómetros de distância”, afirma Jorge Roque.

O presidente do Sindicato Independente dos Médicos lança, inclusivamente, um desafio ao Ministério da Saúde: “fazer uma investigação de quantas não conformidades é que as empresas externas de prestação de serviços acabam por cometer, inclusive erros de diagnóstico com necessidade de repetição de exames”.

Há um mês, quando foi noticiado o fim dos radiologistas à noite no Hospital de São José, a administração do centro hospitalar garantiu que o uso da telemedicina é comum nos hospitais nacionais e internacionais, admitindo se ruma boa prática de recursos humanos, não colocando em risco os doentes.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ah, pagam empresas externas pelo serviço de telemedicina???
    Então porque não pagar aos próprios radiologistas uma quota parcial para estarem “de prevenção” em casa para as avaliações em telemedicina?
    Aposto que sai mais barato.

    Ah, pois, mas assim não dão a ganhar aos amigos de bolso……

RESPONDER

Bastonária dos Enfermeiros aumentou salários na Ordem à "socapa" (e com retroativos)

A Bastonária dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco, está a ser acusada por antigos responsáveis da Ordem e outros profissionais de saúde de aprovado “à socapa” um subsídio de função, que a beneficia financeiramente, bem como …

Bancos emprestaram 47 milhões por dia às famílias

Os bancos emprestaram, em média, 47 milhões por dia desde janeiro. Os créditos concedidos para compra de casa e bens de consumo continuam a subir. Só no mês de junho, foram emprestados mil milhões para crédito …

Glisofato encontrado em cereais de criança

O herbicida glisofato, que causou cancro a um jardineiro, foi encontrado em 43 dos 45 cereais à base de aveia e barras de snack numa amostra recolhida nos Estados Unidos. O glisofato é um herbicida muito …

Funcionários da Google em protesto contra motor de busca censurado para a China

Mais de mil funcionários do gigante da Internet Google assinaram uma petição em protesto contra o plano secreto da empresa para criar um motor de busca que vai cumprir com as exigências da censura chinesa. O …

Pasteleiro que recusou fazer bolo de casamento homossexual volta a tribunal

Jack Phillips avançou com uma ação em tribunal contra o estado, alegando discriminação religiosa. Em causa está o facto de a Comissão de Direitos Civis do Colorado ter deliberado contra o pasteleiro, depois de este …

Em 2017, só 387 funcionários públicos esperaram pelos 70 anos para se reformar

No ano passado, só 387 funcionários públicos esperaram pelos 70 anos para se aposentarem. Este valor representa 3.1% de todas as novas pensões concedidas em 2017 pela Caixa Geral de Aposentações. As categorias profissionais mais altas …

Costa preocupado com aumento de risco de incêndio no interior norte do país

O primeiro-ministro manifestou-se preocupado com as previsões meteorológicas que indiciam um aumento do risco de incêndio a partir de sexta-feira. António Costa relembrou ainda os comportamentos que devem ser evitado no fim-de-semana. “As previsões podem implicar …

Pode ter sido encontrada a solução para comer sem engordar

Uma equipa de investigadores pode ter descoberto como resolver o problema da obesidade, e como comer sem engordar. Eles conseguiram bloquear a absorção de gordura por parte do corpo, mas, para já, só em ratos. Esta …

Nova moeda na Venezuela obriga banca a paralisar serviços eletrónicos por 24 horas

A reconversão monetária vai obrigar a banca venezuelana a paralisar o serviço eletrónico durante 24 horas, a partir das 18h00 horas locais de domingo (22h30 horas em Lisboa), anunciou o ministro venezuelano do Interior, Justiça …

Governo italiano admite ser "inevitável" que número de mortos em Génova aumente

O Governo de Itália admitiu nesta quinta-feira que será "inevitável" que o número de mortos na sequência da queda de uma ponte na terça-feira em Génova aumente à medida que os trabalhos de resgate prosseguem …