Salários cresceram em 2014 – sobretudo nos cargos de direção

tec_estromberg / Flickr

Em 2014 registou-se um aumento real dos salários pagos na maior parte das categorias profissionais em Portugal, com maior relevância nos cargos de direção e administração, que variou entre os 1,64% e os 3,31%, divulgou esta quarta-feira a consultora Mercer.

De acordo com o estudo Total Compensation Portugal 2014, este ano registou-se “um aumento real dos salários efetivamente pagos na maior parte dos grupos funcionais”, entre os 1,18% e 1,56%.

“As funções de Direção Geral/Administração e Diretores de 1ª Linha obtiveram a maior variação salarial (3,31% e 1,64% respetivamente)”, refere o estudo.

De fora ficaram as funções de Comerciais/Vendas e Operários, cujos salários foram reduzidos em 0,14% e 1,41%, respectivamente. Esta situação é justificada com a entrada de novos trabalhadores para estas funções, com níveis salarias mais baixos.

Para fazer este estudo a Mercer analisou 106.445 postos de trabalho, em 302 empresas presentes no mercado português.

Pela primeira vez a Mercer analisou os níveis salariais dos recém licenciados, verificando que o salário base anual destes trabalhadores, no seu primeiro emprego, situa-se maioritariamente entre 12.600 euros e os 18.075 euros.

O crescimento salarial verificado em 2014 foi superior ao observado em 2013 (entre 1,09 e 1,24%) e a perspetiva para 2015 é de que esse crescimento varie entre 1,23% e 1,40%.

De acordo com o estudo, os aumentos salariais dependem dos resultados das empresas, dos resultados individuais do trabalhador, da equidade interna, dos acordos coletivos de trabalho, e da antiguidade, entre outros fatores.

Bónus e perspectivas de crescimento

Das empresas analisadas, 95% atribuem um bónus anual a todos os trabalhadores e 55% um bónus de incentivo de vendas aos trabalhadores da área comercial, com periodicidade mensal ou trimestral.

Cerca de 38% das empresas participantes no estudo atribuem aos seus trabalhadores um complemento de subsídio de doença, que pode ir até aos 35% do salário base, e que é atribuído em situações de baixas por doença.

A maioria das empresas (90%) conta atualmente com um seguro de saúde para os trabalhadores, beneficiando estes de cuidados médicos e hospitalares.

Mais de metade das empresas analisadas (56%) concede aos trabalhadores mais dias de férias que os estipulados por lei.

Este ano o número de empresas que prevê aumentar o seu efetivo de trabalhadores (19%) é maior do que o número de empresas que prevê reduzir (8%). Mas a maioria das empresas – 73% – prevê manter o seu pessoal em 2014.

Das 302 empresas que constituíram a amostra para o estudo da Mercer, 60% são multinacionais, 39% são empresas nacionais privadas e 1% são empresas nacionais públicas.

Foram analisadas pequenas, médias e grandes empresas de vários setores de atividade, nomeadamente, de serviços gerais (29%), de bens de consumo (16%), industrias diversificadas (16%), tecnologia e telecomunicações (10%), serviços financeiros (9%) e grande distribuição (8%).

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Está a nevar em Plutão

Em julho de 2015, a sonda New Horizons da NASA concluiu uma longa e árdua jornada pelo Sistema Solar, viajando a 36.000 mph durante nove anos e meio. Toda a missão focava-se em mapear a …

Cientistas dão um importante passo na criação de uma Internet quântica segura

Uma nova investigação da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, revelou o elo que faltava para termos uma Internet quântica funcional e prática: uma forma de corrigir os …

Os pedregulhos de Bennu brilham como faróis para a Osiris-Rex da NASA

Este verão, a sonda OSIRIS-REx empreenderá a primeira tentativa da NASA de tocar a superfície de um asteroide, recolher uma amostra e recuar em segurança. Mas, desde que chegou ao asteroide Bennu há mais de …

Cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para futuros desastres

Especialistas ouvidos pelo portal One Zero acreditam que cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para populações que possam vir a enfrentar desastres naturais no futuro potenciados pelas alterações climáticas. À medida que os desastres naturais …

Descobertas três novas espécies de pterossauro em Marrocos

Cientistas encontraram três novas espécies de pterossauro, que viveram no deserto do Sahara, há 100 milhões de anos, em Marrocos. De acordo com o site EurekAlert!, estas três novas espécies de pterossauro faziam parte de um …

Texto português do século XVI mostra eficácia da quarentena

Um especialista australiano descobriu num texto português do século XVI uma prova de que a quarentena ou o isolamento podem impedir a globalização de uma doença como a covid-19, que já provocou mais de 30 …

Coronavírus. Mercados chineses continuam a vender morcegos

Nem com a pandemia de covid-19 a China abre mão dos seus velhos hábitos. Embora o novo coronavírus tenha tido origem num mercado de animais exóticos, em Wuhan, muitos destes sítios continuam a funcionar normalmente …

No Twitter, o discurso de ódio contra chineses cresceu 900%

A L1ght, uma empresa que mede a toxicidade das plataformas digitais, partilhou recentemente um relatório no qual revela que o discurso de ódio contra a China e contra os chineses teve um crescimento de 900%. Donald …

Há mais pessoas em quarentena do que vivas durante a 2ª Guerra Mundial

Um terço da população mundial - 2,6 mil milhões de pessoas - está em quarentena. São mais seres humanos em isolamento do que aqueles que estavam vivos para testemunhar a 2ª Guerra Mundial. Na terça-feira, o …

Biblioteca virtual no Minecraft dá voz a jornalistas censurados de todo o mundo

Enquanto governos de todo o mundo reprimem a liberdade jornalística e censuram a sua imprensa nacional, a Reporters Without Borders está a trabalhar para chegar ao público através de um canal improvável: uma enorme biblioteca …