Salário mínimo atualizado seria hoje de 546 euros

O Salário Mínimo Nacional seria atualmente de 546,5 euros se tivesse como base o valor de 1974 atualizado aos preços de 2012 e com a inflação e a produtividade até 2015, divulgou hoje o Barómetro das Crises.

De acordo com o barómetro do Observatório sobre Crises e Alternativas, se o SMN correspondesse aos 3.300 escudos da sua criação em 1974, atualizado a preços de 2012, seria agora de 532,03 euros.

Esta retribuição, sempre com base no SMN de 1974 (16,5 euros), atualizada a preços de 2015, seria agora 537,5 euros.

Neste barómetro é feita uma análise sobre os impactos de um aumento do SMN para valores entre os 532 e os 600 euros, a aplicar em 2016.

Os vários cenários foram construídos com base no valor do primeiro SMN, exceto o dos 600 euros, que corresponde ao valor salarial mais baixo, a seguir ao salário mínimo, referido nos dados publicados pelo Ministério do Emprego.

Segundo o barómetro do Observatório sobre Crises e Alternativas, do Centro de Estudos Sociais (CES), um aumento do SMN entre os 532 e os 600 euros abrangeria entre 30 a 44% dos trabalhadores do setor privado, que passariam a ter mensalmente mais 4% a 11,5% de rendimento base.

O estudo reconhece que o aumento do SMN terá impacto nos custos salariais de todas as empresas, sobretudo nas que praticam salários mais baixos, mas com efeitos médios limitados.

“Com um aumento do SMN para 532 euros a massa salarial global aumentaria apenas 0,65% e com um aumento para 600 euros, esse acréscimo seria de 2,9%”, diz a análise.

Um aumento do SMN dos atuais 505 euros para um valor entre os 532 e os 600 euros teria um impacto entre os 0,13 e os 0,6% no custo total de produção, segundo o estudo.

De acordo com esta análise, os maiores beneficiados com um aumento destes seriam os trabalhadores mais jovens e os trabalhadores com menos de dois anos de antiguidade na empresa.

Se o SMN passar para os 532 euros abrangerá 60% dos jovens até 25 anos, mas se passar para os 600 euros abrangerá 77% destes jovens.

Estes valores salariais abrangeriam 46% e 62% dos trabalhadores com menos de um ano de antiguidade na empresa, respetivamente.

O setor do comércio, a indústria alimentar, a restauração e a indústria têxtil são os setores onde se pratica mais o SMN, por isso, seriam também esses a registar um maior impacto do aumento desta remuneração.

O barómetro refere, a titulo de exemplo, que um aumento do SMN para os 532 euros beneficiaria 79% dos trabalhadores da produção de vestuário e se o aumento fosse para os 600 beneficiaria ainda mais 6%.

A subida da procura interna e as contas da Segurança Social seriam também beneficiadas com o aumento do SMN.

De acordo com o barómetro, o acréscimo da massa salarial levaria a um aumento entre 75,9 e 338,7 milhões de euros das contribuições para a Segurança Social feitas pelos trabalhadores e empregadores.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Lufthansa aceita condições do resgate. Vai ceder aviões e perder "slots"

O Governo da Alemanha e a Comissão Europeia (CE) chegaram a um acordo sobre o resgate da Lufthansa e que poderá evitar a falência da companhia aérea, anunciaram, na sexta-feira, fontes próximas das negociações e …

Chipre vai pagar despesas das férias a turistas que ficarem infetados no país

O Chipre vai pagar o custo das férias aos turistas que testaram positivo depois de viajarem para o país. Entre as despesas está o alojamento, a alimentação e os medicamentos. O Chipre comprometeu-se a pagar todas …

Tribunais vão vender máscaras a um euro. "É uma margem de lucro de 45 por cento"

Os tribunais vão ter máscaras cirúrgicas à venda para advogados e testemunhas, de modo a garantir que podem entrar nas salas de audiência a partir de quarta-feira, dia em que a Justiça retoma as sessões …

Julgamento BES. Ministério Público acredita que provas da Suíça ainda podem ser utilizadas

O jornal Público escreve este sábado que os procuradores do Ministério Público (MP) acreditam ainda ser possível utilizar os elementos solicitados nas cartas rogatórias enviadas às autoridades suíças no julgamento do caso BES. O Ministério …

Salários mais baixos podem passar a ter lay-off pago a 100%

O Governo está a estudar a possibilidade de o regime de lay-off, desenhado especificamente para o contexto da pandemia de covid-19, passar a ser pago na sua totalidade (100%) para quem tem salários mais baixos. …

Bronca na Liga. Contestação adia 5 substituições e o Marítimo recusa assinar Plano de Retoma

Após dois dias intensos de reuniões, foi aprovado o Plano de Retoma do campeonato nacional para a disputa das últimas 10 jornadas da época 2019/2020. Mas apenas 17 clubes o assinaram. O Marítimo recusou fazê-lo, …

Igreja perdeu 50 milhões de euros com a pandemia (e há dioceses em lay-off)

Ao cabo de dois meses de paragem por causa da pandemia de covid-19, as missas regressam, neste sábado, mas com regras novas para evitar a propagação do coronavírus. Uma paragem que resultou num "prejuízo" de …

Reabertura de ATL adiada para 15 de junho. Creches arrancam segunda-feira (sem apoios para os pais)

As Atividades de Tempos Livres (ATL) não integradas em estabelecimentos escolares só poderão voltar a funcionar a partir de 15 de junho, duas semanas depois daquilo que estava inicialmente previsto. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, …

Governo britânico vai continuar a pagar 80% dos salários durante mais três meses

O Governo britânico vai continuar a pagar durante mais três meses 80% do salário de trabalhadores em lay-off devido à pandemia de covid-19, e reduzir gradualmente o valor até ao fim do sistema, em outubro. O …

Resgate à TAP deverá ser feito através de empréstimo obrigacionista

A ajuda do Estado à TAP deverá chegar através de um empréstimo obrigacionista convertível em ações, avança o jornal Expresso neste sábado. Este é o cenário mais provável para a TAP, apurou o semanário, que …