/

Saco azul do BES terá financiado campanha de Cavaco Silva

29

José Sena Goulão / Lusa

O antigo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva

Dez altos responsáveis do Grupo Espírito Santo (GES) são suspeitos de terem combinado um esquema de financiamento ilegal à candidatura do antigo Presidente da República Aníbal Cavado Silva, durante as Presidenciais de 2011, avança a revista Sábado esta quinta-feira. 

A revista investigou fluxos financeiros emitidos pela ES Entreprises – o chamado “saco azul” do Banco Espírito Santos (BES), sediado no Panamá – e identificou vários vários casos em que os gestores em causa do BES foram reembolsados pelo valor exato “ao cêntimo” doado à candidatura do antigo primeiro-ministro e antigo Presidente da República.

A publicação destaca uma coincidência perfeita de valores e datas entre os donativos dos gestores do BES e a saída posterior de dinheiro do saco azul para as suas contas pessoais.

Em causa, e de acordo com a Sábado, estarão cerca de 253 mil euros em doações de Ricardo Salgado, antigo presidente do BES, e outros altos quadros a Cavaco Silva. Na maioria dos casos, os donativos terão atingido o valor máximo permitido por lei: 25.600 euros, correspondente a 60 salários mínimos.

A investigação levada a cabo sugere que houve um esquema no qual os quadros do BES entregaram donativos à candidatura de Cavaco Silva, sendo depois ressarcidos na totalidade pela ES Enterprise, que seria a verdadeira “benemérita” do ex-chefe de Estado.

A Sábado precisa que os donativos dos gestores chegariam até à candidatura de Cavaco Silva através de cheques. Depois, os mesmos responsáveis pela doações receberiam – para si ou para offshores que controlavam – transferências do “saco azul” do BES num valor semelhante ao que teria sido alegadamente doado. A revista aponta que estes esquema terá sido desenhado por Ricardo Salgado.

A ES Entreprises é uma sociedade referenciada em outros processos, como a Operação Marquês, tem que o antigo primeiro-ministro José Sócrates como principal arguido, e o caso da EDP. Suspeita-se que esta entidade tendo sido a origem do dinheiro oferecido por Ricardo Salgado a Zeinal Bava, José Sócrates ou Manuel Pinho.

A Sábado, que faz manchete do caso esta quinta-feira, recorda que no da candidatura de Cavaco Silva em causa, o BES registou prejuízos de 109 milhões de euros.

Os altos gestores

Além de Ricardo Salgado, escreve o semanário Expresso, o DCIAP está outros doadores suspeitos associados à família Espírito Santos. Entres os gestores estará Manuel Fernando Espírito Santo Silva, presidente da Rioforte, o comandante António Ricciardi, pai do então administrador José Maria Ricciardi e Manuel Fernando Galvão Espírito Santo, um dos gestores do Grupo Espírito Santo.

Surgem também os administradores executivos à época: Rui Silveira, Joaquim Goes, António Souto, Pedro Fernandes Homem e Amílcar Morais Pires, o braço-direito de Salgado.

De acordo com a revista, um outro financiador ligado a Salgado que passou um cheque para a campanha foi Mário Mosqueira do Amaral, acionista de referência da holding Espírito Santo Control, falecido em março de 2014.

De acordo com a lei de financiamento das campanhas, recorde-se, as candidaturas não podem ser financiadas por empresas ou instituições, apenas por cidadãos a título individual, o que pode explicar o alegado esquema e os donativos dos administradores do banco, todos dentro do limite legal.

  ZAP //

29 Comments

  1. Hoje em dia só não se sabe o que não se pretende saber. Qualquer cidadão está sujeito a um escrutínio e seguimento das suas acções, com a ajuda das tecnologias que se encontram à disposição das autoridades. Estas notícias que nos surgem todas as semanas, com nomes cada vez mais conhecidos, apenas vêm reforçar a ideia, que muitos de nós já assumimos como natural e incontrolável, de que a justiça em Portugal não é cega, e tem dois pesos e duas medidas. Existe uma factura por trás deste pensamento e conformismo. Enquanto as leis protegerem os criminosos de colarinho, leis que são feitas precisamente com esse propósito, nunca teremos um verdadeiro Estado de Direito, nunca teremos motivos de orgulho na nossa Nação, nunca teremos motivação suficiente para pensar no colectivo em detrimento do pessoal. Pois se o colectivo ganha, todos ganhamos também. Pessoalmente não vejo a tal “luz” ao fundo do túnel. O comboio da corrupção e passividade está a bloquear a mesma.

  2. “Cavaco diz que portugueses podem confiar no BES”
    tvi24.iol.pt/economia/pr/cavaco-diz-que-portugueses-podem-confiar-no-bes

  3. Corroboro inteiramente o pensamento do Sr. Bruno! É isso mesmo: – “…só não se sabe o que não se pretende saber…”; ..”muitos de nós já assumimos como natural e incontrolável, de que a justiça em Portugal não é cega…” e o legislador também não;)), digo eu… ou seja vai legislando em consonância com os interesses instalados e não de acordo com o princípios básicos da Constituição, o tal Estado de Direito… motivos que não nos orgulham em nada…

  4. Eu já não digo nada… Tenho a intuição de que não continuará a acontecer nada aos “intocáveis” deste país. Oxalá me engane. Só chega ao poder quem mostra não ter escrúpulos e quem mostra ser prestável aos interesses que controlam os bastidores do poder. As eleições servem para nos amansar com a ilusão de que temos algum controlo no que se passa.

    Eu tenho é que deixar de ler as notícias porque isto só serve diáriamente para enervamento e perda de tempo. As coisas que tiverem de acontecer, o corruptos que tiverem de ser condenados, etc… Tudo acontecerá da mesma maneira sem o tempo que eu perco aqui a fazer comentários. Não influi nada… Apenas serve para desabafo e nalguns casos para partilhar pontos de vista.

    Mas no fim, só vamos acumulando negatividade. Isto é corrosivo. Em vez de nos focarmos naquilo que de construtivo temos nas nossas vidas pra fazer, focamos e gastamos energias de forma inútil. Ninguém nos ouve… A nossa opinião não conta… E muito menos conta para a nossa felicidade.

  5. ……obviamente……os corruptores não corrompem o povo, preferem jogar pelo mais barato……………..corrompendo os eleitos pelo povo…..

    • O Soares foi quem foi buscar o Salgado e os Espírito Santo ao exílio. Mas isso não iliba o Cavaco. Quando se começar a investigar, se houver vontade para isso, vai-se perceber a quantidade astronómica de crimes económicos promovidos por essa figura sinistra e os que a rodeavam.

  6. O que nos resta é indignar-mo-nos e isso lava a alma. Se alguém pensa que a corrupção em portugal está circunscrita apenas a José Sócrates, muito se engana. Este e muitos outros que a bem da verdade fizeram bem pior andam por ai…, nada lhes aconteceu – Loureiros, o outro que roubou a Brasileira Rosalina etc,etc..

  7. ……..então, mas esta alma era o DDT porque??…..Questiona uma qualquer figura política, componente de uma qualquer comissão de inquérito parlamentar…..Responde o Zé pagode :-Ah, se calhar era porque tinha a melhor colecção de patos bravos no galinheiro do seu quintal……

  8. Em vesperas do aumento de capital Cavaco na televisão veio afirmar que BES era um banco seguro e não havia risco na compra de ações que agora valem zero. O homen serio que juntamente com a filha ganharam uma pequena fortuna nas ações do BPN que nem sequer estavam cotadas em bolsa,com acordo de recompra pelo banco passados uns dias, um acordo leonino, de quem um dia disse que estava para nascer alguem mais sério do que ele. É esta gente que nos envergonha e descredibiliza a classe politica.

  9. … eu bem pensava e dizia que este não era nada de especial e cá está o resultado mas vai haver mais, esperem caros colegas e daqui a uns tempos nem PS nem PSD nem qualquer partidito da miséria está a salvo de denuncias e cativeiro. São todos iguais, mais ide votar caros amigos e colegas, votai carago.

  10. Sérios? Políticos que prometem o melhor dos melhores , para que nas votações a vitória surja. A verdade é que a frustração surge . Não é coisa que não tenha acontecido no anterior governo . Durante a sua permanência implementaram-se a maior carga de impostos jamais vista em que a austeridade foi levada aos extremos . O desemprego espalhou-se levando as pessoas à miséria , muitos dos quais foram obrigados a deixar o país e foram refazer a sua vida em países estrangeiros que lhes deram emprego e condições dignas . As empresas estratégicas necessárias ao país e que davam lucros foram vendidas e hoje reconhecemos os erros que foram cometidos.
    Isto revela que a palavra acreditar em relação aos políticos por muito que digam não nos dão garantias . Muitas pessoas desinteressam-se e as urnas são pouco frequentadas como se constata nas votações.

  11. Está explicado a razão da afirmação de que os Portugueses poderiam confiar no BES. Isto realmente é só rir…

  12. Só resta revelar que este foi o esquema que financiou todos os governos e oposições desde o regresso do BES, após o 25 de Abril.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE