A Rússia vai ter mais e melhores armas

2

Alexei Nikolsky / EPA / RIA NOVOSTI / KREM

Vladimir Putin, presidente da Rússia

Ordem do presidente Vladimir Putin, que quer outro volume, outra variedade e outra qualidade no armamento. Sem medidas extraordinárias.

“Não há necessidade de introduzir medidas extraordinárias. Mas deve-se fazer um trabalho preciso, de qualidade e bem coordenado”.

Vladimir Putin falou nesta quinta-feira uma reunião do conselho coordenador das Forças Armadas da Rússia.

O presidente da Rússia ordenou que os militares russos tenham mais armas e armas com melhor qualidade, na Ucrânia.

“É importante não apenas aumentar o volume e a variedade dos fornecimentos, mas também melhorar a sua qualidade”, disse Putin.

Há meses que se aponta que há problemas de falta de armas e de munições entre os russos.

Aliás, terá sido esse o factor principal (e não o avanço ucraniano) que originou a retirada Russa de Kherson – cidade que foi alvo de bombardeamento russo nesta quinta-feira, duas semanas depois dessa retirada.

Putin reforçou que é “necessário garantir oportunamente tudo o que é necessário para as nossas Forças Armadas durante a operação militar especial”.

O governante avisou que é preciso maior coordenação: as armas devem ser entregues aos militares em datas e volumes combinados com precisão.

Nesta sexta-feira estava previsto um encontro entre Vladimir Putin e familiares de soldados russos que estão na Ucrânia.

Olga Tsukanova, fundadora de um grupo independente de mães e mulheres de soldados na frente, disse no Euronews que Putin só fala com pessoas “escolhidas a dedo”. E acusou o presidente russo de não ter coragem de enfrentar quem tem ou perdeu familiares próximos nesta guerra.

  ZAP //

2 Comments

  1. E quem lhas vai arranjar? Há que saber e sancionar também.
    Com tantas sanções como as vai pagar?
    Putin é um menino mimado, possivelmente habituado a … como na canção: “Pede, pede que a mamã dá” mas todos sabemos que na vida não é assim. Essas crianças no fim dá ….

  2. Os nove meses de guerra na Ucrânia tem permitido aos russos não só melhorarem a eficácia de certas armas, como também aprender a usar a força aérea e os drone s de forma muito mais eficaz. A preocupação de Putin com a qualidade do armamento não tem nada a ver com a guerra contra a Ucrânia, mas com a possibilidade da guerra se alargar à NATO. Se tal acontecer Putin quer que as forças armadas russas sejam capazes de derrotar a NATO num prazo razoável.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.