Rússia arrisca maior isolamento por agressão “inaceitável”

patquinnforillinois / Flickr

Joe Biden, vice-Presidente dos EUA

Joe Biden, vice-Presidente dos EUA

 

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, advertiu esta sexta-feira, durante uma visita a Kiev, que a Rússia arrisca um maior isolamento e possíveis novas sanções por causa da agressão “inaceitável” no leste da Ucrânia.

“É simplesmente inaceitável que no século XXI países tentem redefinir pela força as fronteiras na Europa (…) ou intervenham militarmente porque não gostam da decisão que o vizinho tomou”, afirmou Biden, após um encontro com o Presidente ucraniano, Petro Poroshenko.

O representante norte-americano advertiu igualmente que a Rússia não cumpriu os compromissos assumidos em setembro na capital bielorussa de Minsk, onde foi assinado um acordo de cessar-fogo.

“Enquanto isso continuar, a Rússia irá enfrentar custos elevados, maior isolamento”, frisou.

Moscovo nega apoiar militarmente os separatistas que lutam na região leste da Ucrânia, mas o Ocidente continua a acusar a Rússia de envolvimento, o que está a provocar a pior degradação das relações diplomáticas desde o final da Guerra Fria.

Biden visitou Kiev por ocasião das comemorações do primeiro aniversário do início dos protestos populares da praça Maidan, que acabaram por derrubar o regime pró-russo do então Presidente ucraniano Viktor Ianukovich.

As cerimónias de hoje foram marcadas pelos ânimos mais exaltados de algumas pessoas. Quando o Presidente Poroshenko depositou uma coroa de flores em memória das vítimas dos protestos foi vaiado por algumas dezenas de pessoas.

“Vergonha! Porque é que ninguém foi punido?“, gritaram as pessoas, algumas familiares das vítimas.

“Poroshenko, onde estão os assassinos dos nossos filhos?”, lia-se num cartaz, segundo as agências internacionais.

O movimento Maidan começou após o pró-russo Ianoukovitch ter renunciado a um acordo de associação com a União Europeia (UE), em benefício do reforço da cooperação com Moscovo.

Reprimido pelas forças de segurança do regime pró-russo, o movimento de contestação ficaria marcado pela morte de uma centena de pessoas.

Os líderes ucranianos esperavam que Biden aproveitasse esta vista a Kiev para anunciar uma ajuda adicional dos Estados Unidos para as forças ucranianas que combatem no leste.

Washington tem limitado o seu apoio a uma assistência não letal, mas Kiev quer que a ajuda vá mais longe, nomeadamente com o fornecimento de armas de munições.

Durante a conferência de imprensa na capital ucraniana, Joe Biden não fez qualquer menção direta sobre este assunto, mas o gabinete do vice-presidente norte-americano informou, num comunicado, que a Casa Branca prometeu mais 20 milhões de dólares (cerca de 16 milhões de euros) para apoiar reformas ao nível da justiça e mais três milhões de dólares (2,4 milhões de euros) em ajuda alimentar e apoio aos deslocados.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ex-governador do Rio de Janeiro libertado. Luiz Pezão passará a usar pulseira eletrónica

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) brasileiro libertou na terça-feira o ex-governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão, substituindo a sua prisão preventiva por medidas cautelares alternativas, como uso de pulseira eletrónica, anunciaram fontes …

EUA, Canadá e México assinam revisão do NAFTA. Pacto comercial tem 25 anos

Representantes dos Estados (EUA), do Canadá e do México assinaram na terça-feira uma nova revisão do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA), um pacto comercial entre os três países, que já tem 25 anos. Segundo noticiou …

Bósnia fecha campo improvisado e transfere quase 800 pessoas para Sarajevo

A Bósnia fechou, esta quarta-feira, um campo de refugiados, montado num local onde antes funcionava um aterro de lixo, que não tem água potável nem eletricidade. As autoridades bósnias fecharam esta quarta-feira um campo acolhimento de …

Trabalhadores dos Registos em greve a 26, 27 e 28 de dezembro

O Sindicato Nacional de Registos vai estar em greve contra o decreto-lei aprovado pelo Governo, acusando Marcelo Rebelo de Sousa de não ter tido "sensibilidade na análise do diploma do sistema remuneratório". O Sindicato Nacional de …

Artistas exigem 1% do Orçamento do Estado para a Cultura

Mais de 300 artistas concentrados esta terça-feira em frente ao Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa, exigiram um valor imediato de 1% do Orçamento do Estado para a Cultura, em 2020. O protesto, convocado pela …

Depois do Idai, ainda há carência de comida e água potável

São milhares os desalojados que, após o ciclone Idai, continuam sem acesso a água potável. Além disso, a necessidade de comida mantém-se em níveis inalterados. Os dados da Organização Internacional para as Migrações (OIM), patentes no …

Há mulheres-polícia que recebem menos quando estão grávidas

De acordo com um relatório sobre as iniquidades de género dentro da Polícia de Segurança Pública (PSP), ao qual a revista Sábado teve acesso, há mulheres-polícia que recebem menos quando ficam grávidas. Segundo o inquérito realizado …

França. Governo adia entrada em vigor das novas pensões

O novo sistema universal de pensões em França vai abranger apenas as gerações nascidas a partir de 1975 e só terá nova formulação, através de pontos, a partir de 2025. O novo sistema universal de pensões …

Greta Thunberg é a "Personalidade do Ano" da revista Time

Greta Thunberg é a “Personalidade do Ano” mais jovem alguma vez escolhida pela revista Time. A capa da edição de 23 de dezembro foi divulgada esta quarta-feira. A revista norte-americana Time elegeu a ativista climática sueca …

Erupção do Whakaari. Nova Zelândia encomendou 120 metros quadrados de pele para tratar os feridos

A Nova Zelândia já encomendou 120 metros quadrados de pele humana aos Estados Unidos para tratar os 30 feridos do vulcão Whakaari, na Ilha Branca. Cirurgiões neozelandeses têm trabalhado sem parar dado o número de queimados …