Rúben Amorim mantém guerra com Slimani (mesmo que isso lhe custe o emprego e o campeonato)

José Coelho / Lusa

Islam Slimani tornou-se uma preocupação no Sporting, tendo sido descartado pelo treinador Rúben Amorim devido a uma alegada falta de empenho. Já há adeptos a criticarem o técnico, mas ele sublinha que não abdica de ter todos a “remar para o mesmo lado”, mesmo que isso lhe custe o emprego e títulos.

Slimani foi descartado do jogo com o Tondela por uma alegada falta de empenho no treino, após ter sido informado de que não seria titular.

Na preparação do clássico com o FC Porto para a Taça de Portugal, “a atitude do argelino, uma vez mais, desagradou ao técnico do Sporting, que nem sequer levou o avançado para estágio”, como destaca A Bola.

Mas Rúben Amorim também estará chateado com “comportamentos extra-campo de Slimani”, segundo o desportivo que sublinha que o treinador descartou o atleta das suas opções. Assim, não contará com ele para a próxima época, caso continue no Sporting.

Na sexta-feira, Slimani terá treinado à parte do grupo e “o cenário actual só mudará” se o jogador “fizer um pedido de desculpas, ao treinador e ao grupo”, aponta A Bola.

Depois de ter sido afastado do clássico com o FC Porto, Slimani usou o seu Instagram para responder às críticas de falta de empenho de Ruben Amorim.

Sem beber e sem comer, mas sempre treinei arduamente pelo meu clube e ninguém pode tirar-me isso”, apontou numa mensagem que faz referência ao Ramadão e que só terá agravado ainda mais a má relação com o treinador.

Enquanto isso, há adeptos que criticam a rigidez de Amorim, não entendendo que o treinador deixe um jogador com a qualidade de Slimani fora do onze do Sporting.

Há quem chegue até a acusar Amorim de estar a “queimar” Slimani na praça pública.

“De campeões com os meninos da formação, passamos para uma época para os meninos do Amorim“, aponta outro sportinguista, pedindo aos responsáveis do clube para não se esconderem “nas arbitragens” e para analisarem “outras opções e vão ver enormíssimas diferenças entre uma época e outra”.

“Prefiro perder campeonatos e o emprego”

Contudo, apesar das críticas, Amorim assegura que não vai mudar a sua postura, mesmo que isso lhe custe o emprego.

“Há que seguir um caminho”, constata o técnico. “Eu não acredito que o Sporting ganhe se todos não remarem para o mesmo sentido e nós temos que remar com muita força”, diz ainda.

“No dia em que eu cheguei ao Sporting, aquele ambiente que estava, eu garanto que não volta a haver. Prefiro perder eliminatórias, prefiro perder campeonatos e prefiro perder o meu emprego, mas o Sporting não volta a ter aquele ambiente que tinha na Academia quando eu cheguei”, aponta também Amorim.

“Todos vão remar para o mesmo lado”, mesmo que isso implique vender jogadores ou prescindir dos que “não se adaptaram”, ou até mesmo do “treinador que não ganhou”, acrescenta Amorim, salientando que é algo que tem como “muito claro” e alertando que “toda a gente no Sporting tem que estar preparada” para isso.

  Susana Valente, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.