“Indignação” na RTP1. Sexta às 9 suspenso (com investigações a meio) após saída de Sandra Felgueiras

8

José Sena Goulão / Lusa

“Indignação”, “profunda tristeza” e preocupação. É desta forma que os jornalistas que integram o “Sexta às 9” questionam a Direcção de Informação da RTP pela decisão de suspender o programa de investigação após o anúncio da saída da jornalista Sandra Felgueiras do canal público.

Estava previsto que a actual temporada do “Sexta às 9”, programa de jornalismo de investigação da RTP1, terminasse a 17 de Dezembro. Mas no seguimento da saída de Sandra Felgueiras da RTP, nesta sexta-feira será emitido o último episódio do programa.

Sandra Felgueiras é a coordenadora e o rosto do programa, mas vai sair do canal público para, alegadamente, rumar ao Grupo Cofina, onde deverá assumir funções na CMTV e na revista Sábado, como foi anunciado pela imprensa.

A Direcção de Informação da RTP anuncia que Sandra Felgueiras entregou a carta de demissão a 16 de Novembro, colocando a saída como “um facto consumado” e sem dar “espaço para negociação ou discussão”.

Mas o que indigna a equipa de cinco jornalistas que trabalha no programa é a suspensão do mesmo, até porque têm investigações a meio.

“É com profunda indignação que fomos confrontados com a decisão de suspender o Sexta às 9 já a partir da próxima sexta-feira através de uma nota enviada pela Direção de Informação sem que esta nos tenha dirigido uma única palavra sobre este assunto”, apontam os jornalistas numa carta aberta divulgada pelo Diário de Notícias (DN).

“É com profunda humilhação que vemos tudo isto acontecer, depois de meses de silêncio em relação à falta de recursos do programa e quando temos em curso várias investigações relevantes que são do conhecimento da Direcção de Informação e que só têm enquadramento no âmbito de um programa de investigação”, realçam ainda.

Além disso, os jornalistas destacam que “é absolutamente incompreensível que a Direcção de Informação anuncie que está a trabalhar num ‘renovado formato’ do Sexta às 9 – sem nunca nos ter ouvido – e quando sabe que o programa é o único espaço de investigação, assim designado e com periodicidade semanal, da RTP”.

“Como ficam as investigações em curso?”

Na carta aberta, estes jornalistas também perguntam “como ficam as investigações em curso previstas para os programas até 17 de dezembro?”

“O que prevê a Direcção de Informação fazer às investigações, das quais já tem conhecimento, sobre matérias tão sensíveis como a atribuição de licenças para exploração mineira, fraudes no sector alimentar e na retirada de afegãos para Portugal, ou em casos de possível corrupção no setor energético“, questionam ainda.

A equipa do “Sexta às 9” também aproveita para fazer críticas à política da RTP1 quanto aos seus colaboradores, perguntando se a nova equipa que vai fazer jornalismo de investigação “vai continuar a ter jornalistas em regime de ‘falsos recibos verdes’ que não têm nem telemóvel da empresa para fazer contactos tantas vezes delicados”, ou ainda “jornalistas que – apesar de vários pedidos e emails – são obrigados a estacionar fora do recinto da empresa”.

“Como pode a Direcção de Informação continuar a permitir que numa equipa onde se trabalha 12 a 16 horas por dia, não haja uma remuneração digna para o esforço constante e as inúmeras pressões a que está sujeita”, perguntam também.

Assim, a equipa do “Sexta às 9” manifesta “uma profunda tristeza e mágoa” pelo fim do programa, mas também pela “forma como todo este processo tem sido conduzido e, em especial”, pela “saída da jornalista Sandra Felgueiras da redação da RTP”.

  ZAP //

8 Comments

  1. O final do sexta as nove era mais do que certo mexia com muitos lobby’s e sistemas corruptos.Como em Portugal o que o povo quer é novelas e futebol estes programas de investigação que tentam abrir os olhos a população não têm força suficiente para acabar com o cancro de Portugal que é a corrupção, abuso de poder e clientelismo.

  2. Eles – PS – comem tudo e não deixam nada.
    A RTP que é paga por todos nós está dominada por gente do PS desde Direção de Informação até à Administração. Como bate o record em temos mínimos de audiências, qualquer dia o melhor será fechá-la e assim os Portugueses sempre terão mais euros ni final do ano.

  3. O xuxalismo entendeu os seus tentáculos a toda a comunicação social, desde TV, Rádios e Jornais. Com a entrada da CNN ainda pensei que viesse dar uma lufada de comunicação isenta, mas pelo que vi nesta semana é mais do mesmo, pois apetrechou-se de jornalistas da TVI24 que já estão cheios de vícios e comprometidos com o sistema instalado. LAMENTÁVEL.

  4. Enquanto não travarmos uma luta cerrada contra a corrupção e o clientelismo vamos continuar a ver os países a ultrapassar-nos e continuaremos na cauda da Europa. Lamentável.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.