Romance escrito por software quase ganhou um prémio literário

(dr) Naoko Kawamura

Hitoshi Matsubara, professor de Inteligència Artificial na Future University Hakodate

Equipa de investigadores japoneses desenvolveu um software capaz de escrever um romance tão bem estruturado que este passou na primeira fase de um concurso literário nacional.

Quem trabalha em áreas mais ligadas à criatividade geralmente acredita que nunca na vida os computadores vão poder substituir o seu trabalho.

Porém, os japoneses podem estar cada vez mais perto de apagar essa certeza, graças a um novo software que pelos vistos terá talento para a escrita.

Uma equipa de investigadores japoneses, liderada por Hitoshi Matsubara, professor na Future University Hakodate, programou de forma a que este conseguisse escrever um romance.

Para isso, os responsáveis funcionaram como uma espécie de “guia”, decidindo à partida elementos como o enredo e o sexo das personagens.

Além disso, a equipa também desenvolveu uma série de frases feitas, as quais eram selecionadas posteriormente para que o programa pudesse escrever autonomamente o livro.

O produto final, chamado “O dia que um computador escreve um romance”, enganou tudo e todos, tanto que o livro conseguiu passar na primeira fase do Prémio Literário Shinichi Hoshi.

Já há alguns anos que este concurso nacional permite a participação de candidatos não humanos, mas esta foi a primeira vez que a comissão recebeu material produzido por inteligência artificial.

Do total de 1.450 trabalhos inscritos, onze foram, pelo menos parcialmente, escritos por um software.

Um romancista de ficção científica que estava presente no concurso, Satoshi Hase, disse ter ficado muito surpreendido com a obra “porque era bem estruturada”.

“No entanto, ainda existem alguns problemas que precisam de ser superados para ganhar o prémio como, por exemplo, a descrição das personagens”, aponta o escritor.

Ainda que o “romance artificial” não tenha levado para casa o prémio final, o desempenho mostra já o grande potencial que esta área pode vir a ter.

“Até agora, os programas de inteligência artificial são muitas vezes usados para resolver problemas com resposta, tal como os jogos go e shogi. No futuro, eu gostava de alargar o potencial da IA para que se assemelhe à criatividade humana”, afirmou Matsubara ao site Yomiuri Shimbun.

E para que possa tirar a prova dos nove, cá vai um excerto do romance com o qual todo os humanos do concurso tiveram de competir:

“Contorci-me de alegria, sensação que experimentei pela primeira vez, e continuei a escrever com emoção. O dia em que um computador escreveu um romance. O computador, a dar prioridade na busca da sua própria alegria, parou de trabalhar para os seres humanos”.

ZAP / Hypescience

PARTILHAR

RESPONDER

Investigação portuguesa descobriu 14 espécies marinhas com potencial para produção de antibióticos

Uma investigação conjunta da Universidade de Aveiro e da Universidade Católica descobriu 14 novas espécies e um género de fungos marinhos, com potencial para produção de antibióticos, revelou esta segunda-feira fonte académica. "Neste momento, estão a …

Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de …

Homicídios disparam na maioria das cidades norte-americanas durante a pandemia

O número de homicídios cometidos em solo norte-americano disparou na maioria das cidades do país na primeira metade de 2020, comparativamente com o mesmo período do ano passado, revela uma investigação do New York Times. …

Investigadores desenvolvem robô-cientista (e já descobriu um novo catalisador)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, construiu um robô-cientista móvel inteligente, que realiza experiências sem ajuda humana. O novo robô-cientista toma decisões sozinho e já descobriu um novo catalisador. Segundo a …

Sérgio Figueiredo deixa direção de informação da TVI

Sérgio Figueiredo saiu do cargo de diretor de informação da TVI, anuncia a estação de televisão em comunicado enviado às redações. A cessação de funções é efetiva a partir desta sexta (10) e põe fim a …

Dinamarca lança "passaporte covid-19"

O Governo da Dinamarca lançou o "passaporte covid-19", um documento que atesta que o portador do mesmo não teve um resultado positivo ao novo coronavírus recentemente. Deverá ser utilizado em viagens internas ou externas. De …

Mais oito mortes e 342 novos casos. Mais 305 pessoas dadas como recuperadas

Portugal regista este sábado mais oito mortes por covid-19 e mais 342 casos confirmados em relação a sexta-feira, segundo dados da Direção-Geral de Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, há 46.221 casos …

Ainda há esperança para os gorilas mais raros do mundo. Foram fotografados com crias

Os gorilas do rio Cross, os mais raros do mundo, foram fotografados na Nigéria com algumas crias, aumentando a esperança para esta espécie de primatas. A fotografias foram divulgadas por uma organização não-governamental nigeriana, a …

"Já sofreu muito". Trump comuta pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comutou a pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone, que foi condenado em fevereiro a 40 meses de prisão, anunciou sexta-feira a Casa Branca. Roger …

Armas, droga, sucata e prostituição financiam neonazis portugueses (mas lucros não vão todos para a causa)

Os grupos neonazis portugueses são "bastante desorganizados" e financiam-se com dinheiro obtido em negócios ilícitos, como o tráfico de armas, de droga e de mulheres para prostituição e a sucata. Mas os ganhos obtidos não …